17
maio / 2012
NBB / Notícias / Colunistas / São José x Flamengo: Espetáculo garantido!

É belo o exemplo de como estas duas equipes protagonizam o show de maneira cooperativa e parceira

Caio Torres, do Flamengo e Murilo, do São José

Caio Torres, do Flamengo e Murilo, do São José

O Rio de Janeiro oportunizou aos aficionados pelo melhor esporte do planeta, que estiveram no Ginásio do Tijuca Tênis Clube, na última terça-feira, um espetáculo de gala: Flamengo x São José, a primeira partida das semifinais do NBB 4. E quem ficou em casa também pôde assistir a transmissão ao vivo, pelo SporTV, de uma partida extremamente bem jogada,  em que o Flamengo levou a melhor e abriu o playoff em 1 x 0.

As duas equipes possuem jogadores bem qualificados, e jogam de forma coletiva, cada um com características muito definidas. A maior diferença na sistematização de Flamengo e São José está na filosofia de seus ataques, são equipes que atuam de forma muito organizada, aproveitam o máximo  as características e qualidades dos atletas, abrem espaços e dificultam bastante o sistema defensivo adversário.

O Flamengo trabalha muito com os deslocamentos ofensivos, executados coordenados por passes e bloqueios indiretos nos jogadores que não têm a bola, assim espalham o quinteto de forma harmônica e ganham posicionamento ora no jogo interno, ora no jogo externo. Já o São José também executa esta exposição em que distribui seus jogadores através de movimentos no bloqueio direto buscando o desequilíbrio defensivo, na maioria das vezes através do pick and roll.

Não existe o certo nem o errado, as duas equipes são muito bem sistematizadas, e otimizam as qualidades do seu elenco de jogadores de forma inteligente, que demonstra a boa atuação de Gonzalo Garcia e Régis Marrelli no comando de Flamengo e São José.

É bom salientar a importância da vinda de Rubén Magnano para o nosso basquete, no comando da seleção principal, e de Gonzalo para o Flamengo, mas sem desmerecer o nosso ótimo trabalho. Nós técnicos brasileiros que a cada dia demonstramos mais conhecimento e capacidade de estarmos entre os melhores do mundo. Régis Martelli realiza um trabalho excepcional a frente do São José, com muita dedicação e com a habilidade de um veterano.

Ainda não falei do sistema defensivo das duas equipes, que também foi um show a parte, com tocos e ações muito bem estudadas por ambas as equipes. Mas no final, a ótima defesa do Flamengo levou leve vantagem sobre o pick and roll do São José, tão difícil de ser defendido. O rubro-negro soube levar vantagem e com a sua boa defesa venceu a primeira partida do confronto da semifinal. Não vou deixar de arriscar um prognóstico de que esta série deverá ter cinco grandes espetáculos, pois a cada jogo se costura um crescimento neste processo esportivo de competição em alto nível. Não vejo defeitos nestas duas grandes equipes do basquete brasileiro, e acho que estão fundidas nesses jogos, e cada vez mais aperfeiçoando padrões e justificando a importância de se competir sempre com honra, categoria e principalmente jogando limpo, propiciando assim espetáculos sensacionalmente mágicos.

É belo o exemplo de como estas duas equipes protagonizam o show de maneira cooperativa e parceira, que beneficia o todo, independente do resultado e fazem do NBB 4 uma excelente ópera que inclui e integra o público, os dirigentes, os patrocinadores, os técnicos, os juízes e os iniciantes.

Comentários

  • Luisf Vieira2

    Parabéns pela coluna Alberto Bial

  • gildeir andre

    o são josé venceu o flamengo de 107 a 98 que jogo,o meu são josé ta arrebentando e em casa o bicho pega,,jogar aqui no lineu de moura não é facil,,e essa torcida é sensacional,,valeu bial sou seu fã tu é mestre em baskete e curto muito seus comentários no sportv nos jogos ao vivo.

  • http://www.facebook.com/people/Luiz-Oliveira/100003644709324 Luiz Oliveira

    Bial, o cara que faz poesia com o Basquete, que mostra toda a beleza do melhor esporte do planeta! Só acho que, depois do São José fazer 2 a 1 no Flamengo, ficaremos com quatro jogos apenas nesta série.