#JOGAJUNTO

NBB CAIXA

#10FatosMOG x FLA

09-03-2018 | 04:20
Por Liga Nacional de Basquete

Clima de clássico, duelo de cestinhas e marca de Olivinha: tudo que você precisa saber sobre a partida deste sábado entre Mogi e Flamengo, ao vivo na Band

Um duelo de titãs. Um choque de G-4. Um clássico. Flamengo e Mogi das Cruzes estarão frente a frente neste sábado (10/03) para um confronto para lá de especial. Vice-líder contra quarto colocado, os dois times, que ainda carregam, rivalidade bastante aflorada devido aos embates dos últimos anos, se enfrentarão no Ginásio Hugo Ramos, em Mogi das Cruzes (SP), às 14 horas, com transmissão ao vivo da Band.

Por isso, separamos dez fatos para explicar um pouco mais dessa história e dos atrativos que envolvem a partida. Confira e não deixe de assistir a esse duelo que promete ser de arrepiar.

+Ingressos acabando: corra e não deixe de garantir sua entrada para o Jogo das Estrelas 2018

O NBB CAIXA é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB), em parceria com a NBA, e conta com o patrocínio master da CAIXA, os patrocínios da SKY, INFRAERO, Avianca, Nike, Penalty e Wewi e os apoios do Açúcar Guarani e do Ministério do Esporte.

Confira os #10Fatos da partida entre Flamengo e Mogi:

Choque de G-4

De olho na liderança do NBB CAIXA, o vice-líder Flamengo (21 vitórias e 3 derrotas), precisa ganhar para encostar ainda mais no líder Paulistano (23 vitórias e 3 derrotas). Já o quarto colocado Mogi (16 vitórias e 7 derrotas) tem que vencer de qualquer maneira para evitar uma ultrapassagem do quinto colocado Bauru (15 vitórias e 9 derrotas). Até porque o Dragão terá um confronto direto contra os mogianos na quinta-feira (15/03), no Panela de Pressão.

+Tabela de classificação do NBB CAIXA 2017/2018

Clima de clássico

Flamengo e Mogi carregam um histórico recente de confrontos emocionantes no NBB CAIXA, com direito duas séries de playoffs de tirar o fôlego, ambos vencidos pelos cariocas: quartas de final em 2013/2014 (3 a 1) e semifinal em 2015/2016 (3 a 2). Ao todo, os rubro-negros venceram 16 dos 20 jogos contra os mogianos no NBB CAIXA. No entanto, mesmo com essa larga diferença, os dois times se tornaram grandes rivais.

Flamengo e Mogi se enfrentaram 2 vezes em playoffs do NBB CAIXA e protagonizaram verdadeiras batalhas nos últimos anos (João Pires/LNB)

Só uma

Das quatro vitórias do Mogi sobre o Flamengo na história NBB CAIXA, somente uma foi válida pela fase de classificação. Isso aconteceu na temporada 2013/2014, no Ginásio Hugo Ramos, pelo placar de 94 a 90. Na ocasião, a equipe era comandada pelo técnico espanhol Paco Garcia e contou com atuação decisiva de Guilherme Filipin, autor de 16 pontos (4/5 nas bolas de 3), sendo dez deles no último quarto, para sair de quadra vencedor.

Valeu liderança

No primeiro turno da atual temporada, o Flamengo venceu o Mogi na Arena Carioca 1, por 77 a 71, em duelo valendo a liderança do NBB CAIXA. O trio JP Batista (22), Ronald Ramon (21) e Marquinhos (20) combinou para 63 pontos, o que representa 81,8% da pontuação da equipe. Com 18 pontos, Shamell foi o maior anotador do time mogiano.

Os maiores

Mogi, de Shamell, e Flamengo, de Marquinhos, farão duelo decisivo neste sábado (Bruno Lorenzo/LNB)

A partida reunirá os dois maiores cestinhas da história do NBB CAIXA. De um lado, Shamell (Mogi), líder absoluto do ranking de pontos da competição, com 6.427 pontos. Do outro, Marquinhos (Flamengo), que assumiu o posto ainda nesta temporada, com 5.698 pontos.

+Ranking de pontos da história do NBB CAIXA

Além disso, estarão frente a frente os dois atletas que mais acertaram bolas de 3 pontos em todos os tempos do campeonato nacional: o líder absoluto Marcelinho Machado, com 959 tiros certos, e também Shamell, segundo colocado, com 787.

Em alta

E por falar nele, Marquinhos vem fazendo uma temporada de encher os olhos. Com média de 18,5 pontos por partida, o camisa 11 rubro-negro é o cestinha da presente edição do NBB CAIXA e vem de quatro atuações exuberantes de maneira consecutiva: 23 pontos contra Bauru, 28 pontos contra o Minas, 17 contra a Liga Sorocabana, este no qual foi decisivo no final, e 19 contra o EC Pinheiros, seu ex-clube.

Já jogou lá

Marquinhos, por sua vez, jogou em Mogi das Cruzes no início de sua carreira no basquete profissional. Em 2004, quando tinha apenas 20 anos, atuou pela equipe do Corinthians/Mogi ao lado de “jovens” como Fúlvio (Vasco), Murilo Becker (Vitória) e Felipe Ribeiro (Solar Cearense). No ano seguinte, partiu para a Itália para defender o Sutor Montegranaro e deu início à sua carreira internacional, que terminaria com passagem pela NBA (Memphis Grizzlies e New Orleans Hornets) dois anos depois.

Caio Torres foi campeão e MVP da Final do NBB CAIXA 12/13 pelo Flamengo e recebeu o prêmio das mãos de Anderson Varejão (João Pires/LNB)

Fez história

Dominante no garrafão do Mogi, o pivô Caio Torres teve passagem marcante pelo Flamengo, onde foi campeão e MVP das Finais do NBB CAIXA 2012/2013. A atuação na decisão contra o Uberlândia (MG), que na época foi realizada em jogo único, foi de 23 pontos e dez rebotes (26 de eficiência). Curiosamente, Caio recebeu o troféu das mãos de Anderson Varejão, na época jogador do Cleveland Cavaliers, hoje pivô do próprio Flamengo.

Guerrinha x José Neto

Dois dos maiores técnicos do basquete brasileiro na atualidade, Guerrinha (Mogi) e José Neto (Flamengo) se enfrentam no NBB CAIXA desde a temporada 2011/2012, quando o primeiro comandava o Bauru e o segundo tinha sua primeira experiência na competição, à frente do Joinville. Ao todo, os dois fizeram 17 duelos diretos entre si, com 12 vitórias para Neto e cinco para Jorge Guerra. Entre os confrontos estão a série melhor de três da Final de 2014/2015, entre Flamengo e Bauru, vencida pelos cariocas, por 2 a 0.

5.000?

Maior reboteiro da história do NBB CAIXA (2.799 rebotes), Olivinha está próximo de completar uma expressiva marca em sua carreira, mas em pontos. Se fizer 20 pontos, o ala/pivô do Flamengo se tornará o sexto jogador na história a atingir a marca dos 5 mil pontos na competição. Os cinco atletas são Giovannoni (Vasco), Marcelinho (Flamengo), Alex Garcia (Bauru), Marquinhos (Flamengo) e Shamell (Mogi).