#JOGAJUNTO

NBB CAIXA

#10FatosPIN x MIN

09-03-2018 | 05:40
Por Liga Nacional de Basquete

Conhecido de longa data, confronto pelos playoffs e duelos de pivôs; confira os 10 fatos do duelo entre Pinheiros e Minas deste sábado

Dois dos clubes mais tradicionais do esporte brasileiro, EC Pinheiros e Minas Tênis Clube acumulam grandes histórias dentro do NBB CAIXA. Neste sábado (10/03), os dois times ficarão frente a frente pela 25ª vez na história da competição, às 18 horas (de Brasília), no Ginásio Henrique Villaboim, com transmissão ao vivo via Twitter. Com isso, reunimos os 10 principais fatos deste grande duelo. Confira:

O NBB CAIXA é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB), em parceria com a NBA, e conta com o patrocínio master da CAIXA, os patrocínios da SKY, INFRAERO, Avianca, Nike, Penalty e Wewi e os apoios do Açúcar Guarani e do Ministério do Esporte.

Destaque minastenista nos dias de hoje, Wesley disputou quatro LDB’s pelo Pinheiros, sendo campeão na edição de 2015 (João Pires/LNB)

De longa data

Um dos grandes nomes do Minas neste NBB CAIXA, Wesley possui longa história pelo Pinheiros. Hoje camisa 21 mineiro, o ala/pivô foi atleta da equipe da capital paulista por quatro LDB’s (2012 a 2015), inclusive com título na última, e deu seus primeiros passos no basquete adulto por lá. Além dele, tanto Jefferson Campos, no NBB CAIXA 14/15, quanto Teichmann, no NBB CAIXA 16/17, também aturam pelo time.

Velho conhecido

Se pelo lado mineiro três jogadores já defenderam o uniforme pinheirense, pelo Pinheiros, Ansaloni é o único jogador com passagem pelo rival deste sábado. Ao todo, foram quatro temporadas e 114 atuações pelo NBB CAIXA do pivô pela equipe minastenista, com médias de 7,5 pontos e 5,2 rebotes por jogo.

Voando baixo

Em um momento de instabilidade vivido pelo Minas, Jefferson Campos vem chamando a responsabilidade e tem sido destaque. O camisa 7 anotou ao menos 10 pontos nos últimos seis jogos da equipe. Ao todo, às médias do ala/armador no período são de 15,5 pontos, 3,5 rebotes e 3,8 assistências.

Em uma série emocionante, o Pinheiros reverteu a desvantagem de 2 a 0 e eliminou o Minas nas oitavas de final do NBB CAIXA 15/16 (Ricardo Bufolin/ECP)

Pegou fogo

Equipes presentes no NBB CAIXA desde a primeira edição, Pinheiros e Minas se enfrentaram uma vez pelos playoffs da competição. O confronto ocorreu pela fase oitavas de final da edição 15/16. Depois de abrir 2 a 0 na série, os mineiros viram o os pinheirenses reagirem de forma significativa. No quinto e decisivo jogo, o time da capital paulista confirmou a grande virada, com vitória, por 74 a 66, dentro de casa, com grandes atuações do trio Bennett (14pts, 6reb e 5ast), Holloway (18pts e 5reb) e Lucas Dias (16pts e 10reb).

Playoffs vem aí!

Se o confronto pelo NBB CAIXA 15/16 foi marcante, as duas equipes estão bem próximas de se reencontrarem nas oitavas de final desta temporada. Neste momento o confronto aconteceria, já que o Pinheiros é o atual oitavo colocado, com 13 vitórias e 12 derrotas, enquanto o Minas vem logo atrás, na nona posição, com 10 resultados positivos e 13 negativos.

Recordistas

Tanto de um lado quanto do outro estarão em quadra jogadores que possuem  recordes pessoais dentro do NBB CAIXA contra seus rivais. Pelo Minas, o pivô Mosso converteu seis bolas 3 pontos diante dos pinheirenses, logo na primeira edição da competição, quando defendia o Assis, que venceu o jogo, por 87 a 77. Já pelo Pinheiros, Arthur Bernardi pegou 11 rebotes na temporada passada, em que atuou pelo Banrisul/Caxias do Sul, na dura derrota de seu time, por 83 a 63.

Quarto atleta mais utilizado nesta edição, Bennett teve média de 38,1 minutos em quadra nos últimos três jogos (Victor Lira/Bauru Basket)

Incansável

Peça chave no elenco pinheirense, não é de hoje que Bennett é conhecido por ser um dos atletas mais exigidos do NBB CAIXA. Vice-líder em minutos por jogo na última temporada (34,5 MPJ), o norte-americano é o atual quatro colocado nesta edição, com 31,9 MPJ. Nas últimas três atuações da equipe paulista, o camisa 3 teve pelo menos 37 minutos de atuação. Ao todo, são 38,1 minutos, além de 19,3 pontos de média para o armador.

Visitante indigesto

Se dentro de casa o Minas não vem correspondendo nos últimos jogos (quatro derrotas seguidas), como visitante o time comandado por Flávio Espiga vem sendo uma pedra no sapato dos rivais. Em suas quatro últimas atuações na condição, o time mineiro venceu três, Caxias (91 a 71), Joinville/AABJ (73 a 66) e Botafogo (76 a 70). A única derrota veio justamente na partida mais recente, contra o Flamengo, por 96 a 84.

Mr. Versatilidade, Teichmann está no Top 3 da temporada em três estatísticas diferentes e é o melhor pivô passador da competição (Stephan Eilert/Solar Cearense)

Versatilidade de sobra

A contribuição de Teichmann dentro de quadra pode ser notada em diversos fundamentos. O pivô do Minas está dentro do Top 3 de três quesitos individuais nesta temporada: 1º em tocos (1,5 TPJ), 2º em enterradas (1,1 ENPJ) e 3º em rebotes (7,2 RPJ). Além disso, o camisa 11 minastenista é nada mais nada menos que o melhor pivô passador de todo NBB CAIXA, com média de 3,1 assistências por partida.

Disputa lá no alto

No jogo deste sábado, não será só Teichmann que estará em quadra como um dos principais reboteiros desta temporada. Do outro lado da quadra, o camisa 11 do Minas terá um adversário pra lá de conhecido. Companheiro do pivô minastenista na temporada passada, quando ambos atuaram pelo Pinheiros, Ansaloni é hoje o vice-líder na estatística dominada pelos grandalhões, com média de 7,7 rebotes por partida.