#JOGAJUNTO

NBB CAIXA

Rivalidade?Temos!

12-10-2018 | 02:50
Por Liga Nacional de Basquete

Você falou em rivalidade? Paulistano e Mogi têm de sobra! Confira 5 fatos que explicam esse cenário do confronto

Quando Paulistano/Corpore e Mogi das Cruzes/Helbor se enfrentam a expectativa é sempre boa. Neste sábado (13/10), as duas equipes se encontrarão pelo primeiro jogo do NBB CAIXA 2018/2019, no Ginásio Antônio Prado Jr, em São Paulo (SP), às 13h35, com transmissão simultânea da Band e da ESPN.

+Rodada de abertura do NBB CAIXA terá três jogos transmitidos

Para entrar ainda mais no clima da partida, confira cinco fatos que explicam a rivalidade do clássico paulista entre Paulistano e Mogi:

1) Últimos finalistas

Paulistano e Mogi se enfrentaram na final da última temporada do NBB CAIXA e o título ficou clube da capital paulista, que venceu a série melhor de cinco por 3 a 1. Nos primeiros dois jogos, os times visitantes levaram a melhor: o CAP venceu o Jogo 1, em Mogi, e o time mogiano devolveu a vitória em São Paulo, na segunda partida. Com a série empatada, o Paulistano conseguiu vencer o terceiro duelo em seus domínios e liderar a decisão. O time então comandado pelo técnico Gustavo De Conti confirmou o título no Jogo 4, em Mogi das Cruzes, ao vencer por 82 a 76.

+Confira análise do elenco do Paulistano

Paulistano conquistou título do NBB CAIXA no Ginásio Hugo Ramos, em Mogi das Cruzes (João Pires/LNB)

2) Rivalidade recente e duelos equilibrados

A rivalidade entre os times está cada vez mais forte. O equilíbrio nos duelos recentes é um dos fatores que ajudam a explicar isso. Pelo NBB CAIXA, os dois já se enfrentaram 16 vezes, com uma leve vantagem no retrospecto para o CAP – nove vitórias contra sete. Na última temporada, Paulistano e Mogi se encontraram em duelos decisivos de três competições diferentes.

+Confira análise do elenco do Mogi das Cruzes

Além da final do NBB CAIXA, os times se enfrentaram na semifinal do Campeonato Paulista e na Liga das Américas. Pelo Estadual, a série foi apenas decidida no Jogo 5, com vitória do CAP após uma prorrogação. Já pela Liga das Américas, ainda na fase de grupos, o Mogi conseguiu vencer o rival paulista nos últimos segundos, com um game-winner anotado por Shamell, que classificou o time comandado por Guerrinha para a próxima fase.

No duelo pela Liga das Américas, Mogi derrotou Paulistano nos últimos segundos, com game-winner de Shamell(Divulgação/Fiba Americas)

3) Régis x Guerrinha: duelo dos técnicos mais longevos do NBB CAIXA

Além da rivalidade entre as duas equipes, outro confronto histórico acontecerá neste sábado (13/10). Dois dos mais experientes treinadores da competição, Régis Marrelli e Guerrinha estarão na zona técnica de Paulistano e Mogi, respectivamente. Os dois são os únicos técnicos a passar da marca de 300 jogos pelo NBB CAIXA.

Desta forma, com o passar dos anos, o confronto entre os dois se acirrou tanto quanto o duelo entre Mogi e CAP. No geral, eles se enfrentaram 21 vezes pelo NBB CAIXA, com Guerrinha levando grande vantagem na disputa, com 15 triunfos contra apenas seis do atual treinador do CAP.

Já em jogos eliminatórios o panorama do duelo muda, com Régis Marrelli mais decisivo em comparação ao treinador do Mogi. Os dois se enfrentaram apenas uma vez em playoffs, pelas quartas de final do NBB CAIXA 2016/2017. Na ocasião, Marrelli defendia as cores do Universo/Vitória e Guerrinha fazia sua temporada de estreia no Mogi. A série melhor de cinco jogos encerrou com vitória do clube baiano, comandado por Régis Marrelli, de virada, por 3 a 2.

Guerrinha e Régis Marrelli são os dois únicos técnicos com mais de 300 jogos no NBB CAIXA (João Pires/LNB)

4) Reencontro com Arthur Pecos

A partida de abertura também promoverá reencontros, como o do armador Arthur Pecos, que hoje atua pelo Mogi, com sua ex-equipe, o Paulistano. O jogador de 23 anos foi projetado ao cenário nacional do basquete pelo CAP e, neste sábado, estará frente a frente com o tão conhecido clube da capital paulista.

+Veja aqui sete curiosidades sobre as partidas de abertura

A história de Pecos no Paulistano não é pequena. Ao todo, foram três participações na LDB e seis temporadas no NBB CAIXA. O destaque fica por conta da campanha na temporada 2016/2017, quando o atleta tinha com 21 anos e assumiu a responsabilidade de ser um dos capitães da equipe que conquistou vice-campeonato nacional – Sendi/Bauru Basket foi o campeão.

Essa não será a primeira vez que o jogador reencontrará seu ex-clube. Na temporada passada, quando defendia o Flamengo, Pecos enfrentou o CAP duas vezes e não conseguiu vencer. Neste ano, defendendo as cores do Mogi, o atleta enfrentou o Paulistano duas vezes na fase classificatória do Campeonato Paulista e saiu vitorioso somente no duelo do Ginásio Antônio Prado Jr, palco do jogo deste sábado.

Arthur Pecos levantou a taça do segundo lugar do NBB CAIXA 2016/2017 (João Pires/LNB)

5) Experiência x juventude

O duelo também marcará um encontro entre dois representantes de gerações distintas, mas ambos com grande importância não só em seus clubes, mas no basquete nacional. De um lado, o experiente Shamell, ala do Mogi, e do outro uma das maiores joias do esporte brasileiro, o jovem armador Yago Mateus, do Paulistano.

Aos 38 anos, Shamell é um dos poucos atletas que disputou todas as edições do NBB CAIXA. O ala norte-americano, que já teve passagem pelo próprio Paulistano, é atualmente o maior pontuador da história da competição nacional, com 6.635 pontos. No geral, o atleta se acostumou a conquistar títulos importantes, como dois Campeonatos Paulista (2011 e 2016), uma Liga das Américas (2013) e uma Liga Sul-Americana (2016).

Do outro lado, a maturidade do jovem Yago impressiona. Com apenas 19 anos, o armador do CAP está indo para sua terceira participação no NBB CAIXA. Logo em sua primeira edição, o jogador natural de Tupã (SP) foi peça chave no vice-campeonato do Paulistano, na temporada 2016/2017. No ano seguinte, vieram os primeiros títulos da curta carreira do “monstrinho”, o Campeonato Paulista e o NBB CAIXA, além de virar presença constante nas convocações de Aleksandar Petrovic para a Seleção Brasileira.

Experiência de Shamell e juventude de Yago lado a lado em quadra (Fotojump/LNB)

O NBB CAIXA é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB), em parceria com a NBA, e conta com o patrocínio máster da CAIXA, os patrocínios de INFRAERO, Avianca, Nike e Penalty e os apoios de UNISAL e Açúcar Guarani.