#JOGAJUNTO

NBB CAIXA

A bola não para!

11-01-2017 | 03:17
Por Liga Nacional de Basquete

Em mais um dia cheio de jogos pelo NBB CAIXA, Brasília e Macaé fazem confronto de opostos com transmissão ao vivo do #NBBnaWeb via Facebook

Vice-líder contra penúltimo colocado. Na grande maioria das competições, o confronto desta quinta-feira (12/01) entre UniCEUB/BRBCARD/Brasília e Macaé teria um favorito claro, porém o equilíbrio do NBB CAIXA 16/17 promete mais um jogo emocionante. A bola sobe no Ginásio da ASCEB a partir das 20 horas (de Brasília) e você não perde nada com a transmissão ao vivo do #NBBnaWeb via Facebook.

O NBB CAIXA é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB), em parceria com a NBA, e conta com o patrocínio master da CAIXA, o patrocínio da SKY e os apoios do Ministério do Esporte e da Avianca.

Fúlvio, do Brasília, e Alexandre Pinheiro, do Minas

Em seu primeiro jogo em 2017, o Brasília foi dominante e não teve problemas para bater o Minas, por 92 a 79 (Brito Júnior/UniCEUB)

Com nove vitórias em 12 partidas e a segunda melhor campanha do NBB CAIXA 16/17, o Brasília vive boa fase na temporada e chega com dois triunfos consecutivos para o confronto desta quinta. Em sua última atuação, a equipe candanga recebeu o Minas Tênis Clube e abriu seu 2017 com o pé direito em uma vitória de impacto, por 92 a 79.

Na vitória contra os mineiros, pela quinta vez na temporada o Brasília alcançou a marca de pelo menos 90 pontos. Os comandados de Bruno Savignani têm a terceira melhor média ofensiva deste NBB CAIXA, com 83,83 pontos anotados por partida até o momento.

Além do ataque poderoso, o elenco candango também é responsável pela melhor defesa da temporada. São 75,42 pontos sofridos de média pelo Brasília ao longo seus doze jogos no NBB CAIXA 16/17, menor número entre os 15 participantes, seguido de perto pela LSB/Uniso, que tem média de 75,58 pontos sofridos por partida.

“Nos últimos jogos o Macaé se apresentou muito bem, o time vem se ajustando, e por isso temos que respeitar. Eles perderam vários jogos por poucos pontos de diferença. Toda partida é dura, a seriedade tem que ser a maior possível”, alertou o comandante candango Bruno Savignani.

Para conter a força candanga, o Macaé terá que fazer um jogo praticamente impecável. Como a sua última partida em 2016, quando o time sofreu apenas 53 pontos para o Solar Cearense e venceu por 64 a 53, dentro de casa.

“Um jogo onde a gente sabe do poder ofensivo do Brasília e a gente precisa defender melhor do que contra o Minas para tentar ter chance de vitória. É um jogo dificílimo, mas o ponto principal é defender melhor”, analisou Léo Costa, técnico do Macaé.

Diante do Minas, os macaenses sofreram com o bom primeiro tempo do time da casa e mesmo depois de uma grande segunda metade de partida, não conseguiram reagir a tempo e acabaram derrotados, por 86 a 78. Destaque para as boas atuações de Schneider (17 pontos e cinco rebotes) e Kendall Anthony (12 pontos e seis assistências).

Rafa Moreira, do Macaé, e Mosso, do Minas

Mesmo com grande segundo tempo, o Macaé não conseguir reagir a tempo e acabou derrotado pelo Minas, fora de casa (Orlando Bento/MTC)