#JOGAJUNTO

NBB CAIXA

À la Boracini

11-04-2018 | 01:41
Por Marcel Pedroza

Clutch é pouco: Duda “repete” jogada sofrida pelo Bauru e leva equipe às quartas de final com um dos maiores game winners da história do NBB CAIXA

Quando Duda Machado foi à linha do lance livre com seis segundos para o fim da prorrogação e com o Sendi/Bauru Basket três pontos atrás no placar, veio a pergunta: será que ele vai tentar igual ao Paulinho Boracini? “Mas, é claro!”, respondeu Duda com um dos game winners mais marcantes da história do NBB CAIXA.

Com um erro proposital no segundo lance livre, Duda pegou o próprio rebote e acertou bola de 3 para virar o jogo para Bauru. Depois, o Vasco até teve um último ataque, mas não pontuou e o time paulista confirmou não só a histórica vitória como também garantiu classificação às quartas de final, após fechar a série em 3 a 1.

A inspiração em Boracini é verdadeira. Em situação parecida, o ala/armador do Solar Cearense acertou o primeiro lance livre, errou o segundo propositalmente e, após pegar o próprio rebote, deu a vitória ao Carcará com um arremesso certeiro da linha de 3 pontos.

Logo após o jogo desta terça, Duda admitiu que o lance realizado por Paulinho fez com que ele pensasse nessa jogada em um momento que poucos acreditavam que o Bauru poderia virar e vencer o Vasco.

“Com certeza me inspirei no Paulinho. Ele fez essa bola contra a gente ainda e mostrou muita coragem para fazer aquilo. Hoje tive que ter essa mesma coragem e deu tudo certo”, disse Duda, em entrevista ao SporTV.

Mas peraí Duda? A jogada de Boracini foi contra o Bauru? Não pode ser.

Sim, é isso mesmo. Em meio à proporção mundial que o lance de Boracini tomou dias atrás, poucos se atentaram que aquela jogada deu a vitória ao Solar Cearense em uma partida justamente diante do Bauru, em partida válida pela fase de classificação.

Ou seja, em uma das maiores ironias do destino já vistas, a equipe que sofreu a épica jogada de Boracini foi aquela a reproduzi-la com maestria, numa série de playoffs, para conseguir uma virada épica e a classificação às quartas de final. Já parou para pensar no tamanho do feito conquistada por Duda e o Dragão nesta terça? GIGANTE.

Fez a festa: Duda Machado decidiu o jogo e recebeu o carinho de seus companheiros (Nayra Halm/fotodojogo)

Só pra quem é

Assim como Boracini, Duda também é um daqueles jogadores especialistas em bolas “impossíveis”. Arremesador nato, o irmão caçula de Marcelinho Machado acumula uma série de jogadas decisivas, plásticas e empolgantes que poucas atletas são capazes de fazer. E, nesta terça, ele tratou de colocar o ponto alto em seu currículo.

Sexto jogador com mais bolas de 3 na história do NBB CAIXA (639), Duda tem o arremesso de longa distância no seu DNA. O poder de decisão também corre nas veias do jogador.

Clutch é pouco

Apenas pela jogada histórica que levou Bauru á vitória, Duda já merecia o posto de herói na cidade do interior paulista. Mas não foi só isso. Numa partida em que a superação foi o lema bauruense, o ala/armador teve participação decisiva para o jogo ir para a prorrogação e depois, no tempo extra, cravou uma das atuações mais clutchs da história do NBB CAIXA.

Com sua equipe extremamente desfalcada, Duda colocou a bola embaixo do braço e levou o Bauru à uma virada espetacular. A dose de drama foi ainda maior, já que além de Alex e Renan Lenz, lesionados, a equipe ainda perdeu Hettsheimeir, Jaú e Shilton com cinco faltas na reta final do jogo. Mas o que são cinco desfalques para quem tem Duda?

Com arremessos precisos, o camisa 3 chamou a responsabilidade e marcou seis pontos nos oito segundos finais do último quarto e sete nos últimos 20 segundos da prorrogação. Foi assim que ele levou o Bauru a uma daquelas vitórias que ficarão para sempre na cabeça dos envolvidos, da fanática torcida do Dragão e daqueles que são apaixonados pelo esporte da bola laranja.

Tudo “começou” com um arremesso de 3 convertido a 12 segundos do fim, ainda no quarto período, para deixar a diferença em dois pontos. Depois, com sua equipe perdendo por três pontos, sofreu falta em tentativa da linha de 3. Com muita frieza, o ala/armador acertou os três lances livres e levou o jogo para a prorrogação.

No tempo extra, o drama foi ainda maior. Com 28 segundos para o fim da prorrogação, o Vasco tinha 102 a 97 de frente e parecia ter a vitória encaminhada. Mas, com uma bola rápida de 3, Duda cortou a diferença para três pontos e deu um novo gás ao Bauru em um jogo que parecia estar perdido.

No ataque seguinte, Bauru fez falta em Lucas Mariano. Com dois lances livres nas mãos, o pivô só converteu um e deixou a vantagem vascaína em 103 a 100. Foi então que Duda colocou o grande jogo realizado na Arena Carioca 1, nesta terça-feira, um nível acima naquela categoria de “jogos inesquecíveis” desta primeira década de NBB CAIXA.

Valeu, Duda! Coroar essa grande partida e uma das atuações mais decisivas da história com essa proeza é digno de muitos, mas muitos aplausos.