#JOGAJUNTO

NBB CAIXA / Seleção Brasileira

Amadurecimento

21-06-2013 | 03:04
Por Liga Nacional de Basquete

Em sua primeira convocação para a Seleção Brasileira, ala Jimmy, do Basquete Cearense, exalta confiança após boas atuações nos playoffs do NBB5

Jimmy, de 1,90m, passa pelo melhor momento de sua carreira (Gaspar Nóbrega/Inovafoto)

Não desistir e acreditar até o último segundo que as coisas darão certo. Esta foi a filosofia adotada pelo jovem ala Jimmy, do SKY/Basquete Cearense, e agora, integrante da Seleção Brasileira de Novos.

“Tive um crescimento de cabeça. Durante o campeonato eu amadureci muito. O Bial começou a me dar mais chance e o time começou a me dar muita confiança, aí eu jogava tranquilo. No começo dos jogos eu não entrava muito, isso começou a mexer com a minha cabeça. Mas eu continuei treinando e na hora que ele me deu a chance e eu aproveitei”, comentou o jogador.

Uma enorme parcela da convocação de Jimmy para vestir a amarelinha se deve ao excelente desempenho do jovem ala na série oitavas de final contra o Paulistano/Unimed, vencida pela equipe da capital de São Paulo por três jogos a dois. O jogador de 23 anos fazia um campeonato até então apagado (médias de 3,7 pontos e 11 minutos), porém, o camisa 18 ‘renasceu’ das cinzas e comandou o time nordestino no confronto.

Com uma média de 14,2 pontos por jogo na série, o atleta demonstrou maturidade e chamou a responsabilidade nas partidas, mostrando todo o potencial que estava armazenado dentro de si. Aos 23 anos, Jimmy ressaltou o salto que deu em um curto período, mas que certamente, foi essencial para ser lembrado por Rubén Magnano na lista de convocados.

“Foi muito bom, principalmente pelo crescimento que tive durante o campeonato. No começo do NBB eu quase não jogava, mas acabou os playoffs eu estava jogando bastante, sendo um dos principais do time. Esta série contra o Paulistano foi fundamental. É um reconhecimento. Acho muito bom estar nesse grupo, estar entre os melhores”, declarou Jimmy.

Assim como em tudo na vida, a confiança é algo fundamental, e estava faltando ao ala de 23 anos durante a fase de classificação do NBB. Uma das maiores provas disso foi o excelente aproveitamento nos arremessos de 3 pontos que o atleta apresentou na temporada, 43,90%, (47,37% nos playoffs), a maior do time.

Jimmy surpreendeu a todos com extrema personalidade nas partidas das oitavas de final contra o Paulistano (LC Moreira/Divulgação)

Além de sua auto-estima lá em cima ser um fator essencial na evolução de Jimmy, outro fator que o que o ajudou muito para ter a mão calibrada nos tiros longos foi o experiente armador da equipe cearense Matheus, companheiro de Jimmy no São José/Unimed – time em que os dois jogadores atuaram na última temporada – e principal incentivador dos treinamentos de arremessos.

“Basquete é confiança. Tem que treinar muito. No Basquete Cearense tem o Matheus, que é um dos que mais treina arremessos no time. Ele pegou como um “filho” e eu estou sempre chutando com ele. Ele me ajudou bastante em questão de arremesso de 3 pontos, desde a época do São José. Nos playoffs as bolas caíram, eu comecei a ganhar moral, e deu tudo certo”, afirmou Jimmy.

Certamente, esta é uma nova fase na vida de Jimmy, que embora esteja na Seleção de Novos e seja considerado um garoto, o camisa 18 está começando a entrar de vez na vida adulta, e melhor, aprendendo a jogar como gente grande.

“É um desafio. A cabeça está boa, e já estou pronto para treinar cada vez mais. Agora eu consegui adquirir todas as minhas características. Velocidade, contra ataque, jogo rápido em transição, e agora, algumas bolas também estão caindo. Está tudo dando certo para mim”, finalizou Jimmy.

Agora com uma Seleção Brasileira no currículo, Jimmy adquiriu mais experiência para fazer boas partidas no NBB6 (Gaspar Nóbrega/Inovafoto)