#JOGAJUNTO

NBB CAIXA

Capitão écapitão

25-04-2018 | 08:12
Por Vicente Machado

Com ausência de Paulinho, Davi ganha ainda mais importância no Basquete Cearense e aumenta sua média de pontos na série

Chamando a responsa: Sem Paulinho Boracini, Davi quadruplica sua média de pontos nos playoffs (Stephan Eilert/Solar Cearense)

Ninguém tem tanto tempo de Solar Cearense, além do técnico Alberto Bial, quanto Davi Rossetto. Presente no elenco desde a primeira temporada do time no NBB CAIXA, o armador e capitão sonha mais do que ninguém em colocar a equipe nordestina na fase semifinal da competição pela primeira vez.

Para isso, Davi, e todo time, precisarão vencer o Jogo 4 da série contra o Paulistano/Corpore, que ocorre nesta quarta-feira (25/04), às 19h30 (de Brasília), no Ginásio Paulo Sarasate, em Fortaleza (CE), com transmissão ao vivo do SporTV 2.

Peça insubstituível do time, Davi sempre teve mais de 30 minutos de média por partida desde o NBB CAIXA 14/15. Agora, após a lesão de Paulinho Boracini, também armador, que tirou o tirou da temporada, o camisa 5 ganhou ainda mais importância.

Além de armar, organizar e ditar o ritmo da equipe dentro de quadra, como sempre fez, Davi está sendo mais do que necessário para pontuar. Isso fica claro quando comparamos os números do armador na série contra o EC Pinheiros, com Paulinho em quadra, e na atual com o Paulistano, sem o companheiro.

Diante do time pinheirense, Davi se preocupou mais em ditar o ritmo dentro de quadra e encontrar os melhores espaços para, principalmente, Paulinho, Betinho e Rashaun pontuarem. Em quatro partidas, o armador totalizou 14 pontos, uma média equivalente 3,5 pontos por partida.

Já contra o Paulistano, só no Jogo 2 foram 20 pontos para ele. Tendo que ter um volume ofensivo muito maior, Davi segue ajudando da forma que lhe cabe dentro das quatro linhas. Nas três partidas da série até o momento, são 14,0 pontos, com uma média de arremessos por jogo maior que o dobro da série anterior: 5,5 diante do PIN, 11,7 contra o CAP.

É algo natural. O Paulinho é uma peça chave da nossa equipe, responsável por acelerar o jogo e tomar decisões. Agora, sem ele, algumas das jogadas para ele estão sendo distribuídas entre todos os extremos. Não é a mesma coisa, mas estamos dando algo a mais para equipe e por ele, que mesmo de fora, está contribuindo positivamente. Estou jogando de maneira mais parecida com as outras temporadas. Minha preocupação é vencer, da maneira que eu tiver que ajudar, estou à disposição”, comentou Davi.

Como Davi bem disse, seu basquete nesta série lembra muito suas performances nas últimas temporadas, inclusive, com a edição em que ganhou um dos prêmios mais almejados de toda competição, como Melhor Armador do NBB CAIXA 15/16.

Na edição atual, com mais ‘peças’ para pontuar ao seu lado, ao longo da fase de classificação Davi também se preocupou em dar dinâmica ao time. Isto é nítido, ao compararmos seus números anteriores aos deste ano. Se somarmos as três temporadas passadas, são 13,3 pontos de média para ele. Já nesta edição, 9,6 pontos por jogo.

Agora, Davi lutará para que sua ‘nova’ função dê resultado nesta quarta. Perdendo por 2 a 1 a série, o Basquete Cearense jogará sua vida no NBB CAIXA. Em caso de derrota, eliminação. Já em vitória, forçará a quinta e decisiva partida da série, que se vier a acontecer, será realizada no sábado (28).

“A expectativa é para mais uma partida dura. Para nós é vida ou morte. Temos que deixar tudo na quadra, controlar a ansiedade por jogar em casa e impor nosso ritmo. Temos que buscar jogar de maneira mais equilibrada, não permitindo certos apagões no ataque e defender de maneira inteligente o jogo inteiro”, completou o capitão do Carcará.

O NBB CAIXA é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB), em parceria com a NBA, e conta com o patrocínio master da CAIXA, os patrocínios da SKY, INFRAERO, Avianca, Nike, Penalty e Wewi e os apoios do Açúcar Guarani e do Ministério do Esporte.