Guilherme Abreu, do Franca

Com 2,00m, 17 anos e um potencial incrível, Guilherme foi um dos destaques da LDB 2016, em sua primeira participação na competição (João Neto/LNB)

Com o intuito de apresentar as novas caras da LDB, o quadro Cartão de Visitas tem um novo personagem. É o ala Guilherme, do Franca Basquete. Com apenas 17 anos idade, o atleta se destacou no elenco francano que chegou ao título da edição de 2016 da competição, muito marcado por sua inteligência e pela bela pontaria nos arremessos de 3 pontos.

+Clique e confira o último personagem do quadro Cartão de visitas, o ala/pivô Felipe, do Limeira

Guilherme é filho Edu Mineiro, atleta de destaque da equipe francana durante muitos anos e, hoje, diretor técnico do clube. Nascido na própria cidade de Franca (SP), quando seu pai ainda era jogador, o garoto teve o basquete como esporte desde sempre.

“Eu vi o Guilherme nascer, literalmente. O Edu, pai dele, foi jogador nosso por muito tempo, hoje é nosso diretor, jogava na nossa equipe quando o Guilherme nasceu e ele nasceu em um berço de basquete. Desde pequeninho com a bola na mão, mas ele tem uma característica que é só dele, essa inteligência de jogo, essa coragem, em qualquer situação ele está do mesmo jeito, ele não tem medo de nada, é um menino que sabe o jogo do basquete muito bem e trás essa segurança para todos nós”, disse Daniel Wattfy, técnico do Franca na última LDB.

Em sua primeira edição da LDB, Guilherme teve atuações que despertaram a atenção de todos que acompanham o basquete nacional. Como na estreia do Franca na competição, diante do Rio do Sul/Projeto Escola Basquete, em que o ala converteu cinco dos oito tiros de fora do perímetro que tentou e terminou a partida com 17 pontos (sua melhor marca ao longo do campeonato), seis rebotes e duas bolas recuperadas.

Ainda na primeira fase da competição, Guilherme teve mais uma atuação de destaque, diante do Decisão Engenharia/Minas. O ala saiu do banco de reservas (como em todos os jogos da LDB 2016) para anotar 12 pontos em 14 tentados (85,7% de aproveitamento), além de obter novamente seis rebotes e roubar duas bolas.

Já pela Série Ouro, Guilherme se destacou no confronto diante do Ginástico/Olympico. Com quatro bolas de 3 pontos convertidas, o ala totalizou 12 pontos e ainda pegou dois rebotes e roubou duas bolas, ajudando o Franca a se manter no caminho do título inédito da LDB 2016.

+Clique e confira o primeiro personagem do quadro Cartão de visitas, o armador Paulinho, do Ginástico

Guilherme esteve presente nos nove jogos do Franca na competição, sempre saindo do banco de reservas para contribuir dentro da quadra. Com média de 14,5 minutos de atuação por confronto, o ala anotou 6,9 pontos, 3,5 rebotes e 1,1 bolas recuperadas por partida.

“O Guilherme precisa ainda melhorar um pouco fisicamente, ter um pouco mais de explosão, ganhar um pouco mais de massa muscular e achar a posição dele dentro da quadra. Ele é um jogador polivalente, faz de tudo, e isso pode ser muito bom para a equipe, como pode não dar certo em nada. A gente está procurando achar o melhor lugar para ele e mais para frente a gente vai ver em que posição ele vai estar melhor. É muito bom ter um jogador com essa inteligência, porque ele transmite até para os outros jogadores isto”, completou Daniel Wattfy à respeito de Guilherme.

Com sorte de principiante ou mérito de um trabalho muito bem feito, Guilherme conquistou o primeiro título do Franca na LDB, logo em sua temporada de estreia na competição. A equipe do interior paulista fez campanha perfeita, com vitória por pelo menos dez pontos nos nove jogos que realizou.

Guilherme e Didi, do Franca

Ao lado do também estreante Didi, Guilherme comemora o título inédito do Franca na LDB 2016 (Luiz Pires/LNB)