#JOGAJUNTO

NBB CAIXA

Curiosidades da Final

19-05-2016 | 05:25
Por Liga Nacional de Basquete

Sempre presente na Final, líder nunca perdeu para o vice-líder na história das decisões do NBB CAIXA; confira dados históricos, curiosidades e recordes das finalíssimas

Alex, do Brasília, e Márcio, do Franca

Última Final em melhor de cinco foi no NBB CAIXA 10/11 entre Brasília e Franca; Alex, hoje no Bauru, esteve presente (Divulgação/LNB)

Melhor de cinco de novo!
Depois de quatro temporadas, a Final do NBB CAIXA, enfim, voltará a ser decidida em uma melhor de cinco jogos. A última vez que isso aconteceu foi na temporada 2010/2011, quando o Brasília levou a melhor sobre o Franca, por 3 a 1, e levantou seu segundo troféu consecutivo na competição. Desde então, foram três decisões em jogo único e uma em melhor de três. Confira as séries:

NBB CAIXA 08/09 – (1º) Flamengo 3 x 2 (2º) Brasília
NBB CAIXA 09/10 – (1º) Brasília 3 x 2 (2º) Flamengo
NBB CAIXA 10/11 – (1º) Franca 1 x 3 (3º) Brasília

Igualada
Maior finalista da história do NBB CAIXA, com seis, o Flamengo chegou à sua quarta Final consecutiva e igualou a maior sequência de decisões seguidas todo o campeonato, que pertence também ao Brasília, que chegou à disputa do troféu das quatro primeiras edições da competição nacional.

E quer ultrapassar
O rubro-negro carioca ainda quer ultrapassar o Brasília em outro quesito. Se for campeão, o atual tricampeão se tornará dono da maior sequência de títulos de toda a história do NBB CAIXA, com quatro. A marca atual também pertence ao Brasília, que faturou os troféus das edições 09/10, 10/11 e 11/12.

FinalNBB6_AN3I2121

Em decisões entre líder e vice-líder, 1º colocado sempre levou a melhor, assim como fez o Flamengo em 1314 contra o Paulistano (Luiz Pires/LNB)

Líder > vice-líder
A Final do NBB CAIXA voltará a ser decidida entre o líder e o vice-líder da fase de classificação. Isso já aconteceu três vezes na história, sempre com o líder levando vantagem e se sagrando campeão. Será que o Bauru quebra esta sina? Confira os confrontos:

NBB CAIXA 08/09 – (1º) Flamengo 3 x 2 (2º) Brasília
NBB CAIXA 09/10 – (1º) Brasília 3 x 2 (2º) Flamengo
NBB CAIXA 13/14 – (1º) Flamengo 78 x 73 (2º) Paulistano

Frente a frente novamente #1
Flamengo e Bauru estarão frente a frente para decidir o título do NBB CAIXA pela segunda temporada consecutiva. Na edição anterior, em uma melhor de três, o rubro-negro carioca ignorou o mando de quadra do Bauru e venceu a série por 2 a 0, inclusive levantando o troféu em pleno Ginásio Neusa Galetti, em Marília.

NBB CAIXA 14/15 – Final – melhor de três

(3º) Flamengo 91 x 69 (1º) Bauru
(1º) Bauru 67 x 77 Flamengo (3º)

Murilo, do Bauru, e Laprovittola, do Flamengo

Na última Final, Bauru veio de um 3 a 2 na semi contra Mogi, enquanto Flamengo fez 3 a 0 no Limeira. Desta vez, os bauruenses vêm de “varrida” sobre o Brasília e os rubro-negros de um 3 a 2 contra Mogi (João Pires/LNB)

Situações inversas
Quando se enfrentaram na Final do último NBB CAIXA, Flamengo e Bauru chegaram em situações diferentes na semifinal: os rubro-negros vieram de um 3 a 0 sobre Limeira e os bauruenses sofreram para ganhar de Mogi, por 3 a 2.

Hoje, a história é inversa. Os cariocas foram até o Jogo 5 com Mogi e o Dragão “varreu” o Brasília na semi, por 3 a 0. Será que o resultado final da decisão também muda?

– NBB CAIXA 14/15:

Semifinal:
(2º) Limeira 0 x 3 Flamengo (3º);
(1º) Bauru 3 x 2 Mogi (4º)

– NBB CAIXA 15/16:

Semifinal:
(1º) Flamengo 3 x 2 Mogi (5º)
(2º) Bauru 3 x 0 Brasília (6º)

Campeão do NBB será decidido em uma melhor de 5 na Final; formato foi adotado nos 3 primeiros NBB's (Fotojump/LNB)

Alex e Marcelinho se enfrentarão na Final do NBB CAIXA pela 4ª vez na história; no placar do confronto entre eles, o rubro-negro leva a melhor (Fotojump/LNB)

Frente a frente novamente #2
Dois dos maiores jogadores da história do NBB CAIXA, Marcelinho Machado e Alex Garcia estarão frente a frente em uma Final pela quarta vez na história. Nas três anteriores, o rubro-negro venceu duas (08/09 e 14/15) e o paulista uma (09/10). Ao todo, foram 12 partidas de decisão do NBB CAIXA entre eles, com sete vitórias para Marcelinho e cinco para Alex.

NBB CAIXA 08/09 – Flamengo (Marcelinho) 3 x 2 Brasília (Alex)
NBB CAIXA 09/10 –Brasília (Alex) 3 x 2 Flamengo (Marcelinho)
NBB CAIXA 14/15 – Bauru (Alex) 0 x 2 Flamengo (Marcelinho)

Placar de partidas na Final: Marcelinho Machado 7 x 5 Alex Garcia

Alex e Marcelinho são dois dos principais protagonistas da história do duelo no NBB (Ricardo Cassiano/Divulgação)

Alex é o jogador que mais disputou Finais, e Marcelinho é o maior cestinha das decisões (Ricardo Cassiano/Divulgação)

O maior
Marcelinho Machado também é o maior cestinha da história das decisões de NBB CAIXA. O experiente ala participou de 13 partidas válidas por decisões do NBB e coleciona média de 20,1 pontos, a maior entre todos os jogadores nas disputas pelo título.

Final é com ele
Alex Garcia, por sua vez, é o jogador que mais disputou partidas válidas pela Final em toda a história do NBB CAIXA, com 17 – cinco em 08/09, cinco em 09/10, quatro em 10/11 e duas em 14/15. Destes 16 jogos, o “Brabo” venceu nove e faturou nada menos que três títulos da competição nacional.

Mandantes mandando!
Em toda história do NBB CAIXA, foram disputadas 19 partidas válidas pela Final, sendo 14 delas vencidas pela equipe que jogou em casa.

Escrita quebrada
Desde que o prêmio de MVP das Final foi implantado, no NBB CAIXA 10/11, somente jogadores de garrafão levaram o troféu de melhor jogador da decisão para casa. No entanto, na última temporada, Nico Laprovittola quebrou essa escrita e foi o primeiro armador a conquistar o prêmio:

NBB CAIXA 10/11 – Guilherme Giovannoni (ala/pivô) – Brasília
NBB CAIXA 11/12 – Guilherme Giovannoni (ala/pivô) – Brasília
NBB CAIXA 12/13 – Caio Torres (pivô) – Flamengo
NBB CAIXA 13/14 – Jerome Meyinsse (pivô) – Flamengo
NBB CAIXA 14/15 – Nico Laprovittola (armador) – Flamengo

Comemoração Laprovittola, do Flamengo

Nico Laprovittola quebrou a “escrita dos pivôs” e se tornou o primeiro armador a faturar o prêmio de MVP da Final (Fotojump/LNB)

Fundamentos decisivos:

– Rebotes:
12 dos 19 jogos de Finais foram vencidas pelo time que pegou mais rebotes – 63,1%

– Assistências:
14 dos 19 jogos de Finais foram vencidas pelo time que deu mais assistências – 73,6%

– Bolas de 2:
10 dos 19 jogos de Finais foram vencidas pelo time que acertou mais bolas de 2 – 52,6%

– Bolas de 3:
10 dos 19 jogos de Finais foram vencidas pelo time que acertou mais bolas de 3 – 52,6%

– Lances livres:
13 dos 19 jogos de Finais foram vencidas pelo time que acertou mais lances livres – 68,4%

– Roubos de bola:
10 dos 19 jogos de Finais foram vencidas pelo time que roubou mais bolas – 52,6%

– Tocos:
11 dos 19 jogos de Finais foram vencidas pelo time que deu mais tocos – 57,8%

Partidas históricas
Confira algumas partidas que marcaram as decisões do NBB:

– Maior diferença de pontos:
NBB CAIXA 14/15 – Jogo 1 – Flamengo 91 x 78 – 22 pontos
NBB CAIXA 08/09 – Jogo 3 – Flamengo 99 x 78 Brasília – 21 pontos

– Jogo com o maior número de pontos:
NBB CAIXA 10/11 – Jogo 3 – Franca 93 x 92 Brasília – 185 pontos

-Maior marca de pontos de uma equipe:
NBB CAIXA 08/09 – Jogo 3 – Flamengo 99 x 78 Brasília – sem prorrogação
NBB CAIXA 09/10 – Jogo 4 – Flamengo 94 x 74 Brasília – sem prorrogação

– Maior marca de pontos de um visitante
NBB CAIXA 10/11 – Jogo 3 – Franca 93 x 92 Brasília – com prorrogação

– Menor número de pontos em um jogo
NBB CAIXA 14/15 – Jogo 2 – Bauru 67 x 77 Flamengo – 144 pontos
NBB CAIXA 09/10 – Jogo 5 – Brasília 76 x 74 Flamengo – 150 pontos

-Menor marca de pontos de uma equipe:
NBB CAIXA 11/12 – Jogo único – São José 62 x 78 Brasília

Menor marca de pontos de um vencedor:
NBB CAIXA 08/09 – Jogo 5 – Flamengo 76 x 74 Brasília
NBB CAIXA 09/10 – Jogo 5 – Brasília 76 x 68 Flamengo

Flamengo e Brasília já decidiram duas Finais em melhor de cinco; ambas foram até o Jogo 5 (Alexandre Vidal/Fla Imagem)

Marcelinho Machado é dono das duas maiores marcas de pontos da história das Finais do NBB CAIXA (Alexandre Vidal/Fla Imagem)

Recordes da Final
Confira os recordes registrados por um jogador em um só jogo de Final do NBB em diversos fundamentos:

– Pontos:
1º – Marcelinho (Flamengo) – NBB CAIXA 09/10 – Jogo 2 – Brasília 93 x 90 Flamengo – 41 pontos
2º – Marcelinho (Flamengo) – NBB CAIXA 08/09 – Jogo 3 – Flamengo 99 x 78 Brasília – 35 pontos
3º –Giovannoni (Brasília) – NBB CAIXA 10/11 – Jogo 2 – Franca 75 x 80 Brasília – 34 pontos
4º – Helinho (Franca) – NBB CAIXA 10/11 – Jogo 3 – Franca 93 x 92 Brasília – 33 pontos

– Rebotes:
1º – Estevam (Brasília) – NBB CAIXA 08/09 – Jogo 4 – Brasília 82 x 78 Flamengo – 14 rebotes
1º – Cipriano (Brasília) – NBB CAIXA 09/10 – Jogo 2 – Brasília 93 x 90 Flamengo – 14 rebotes
1º – Murilo (São José) – NBB CAIXA 11/12 – Jogo único – São José 62 x 78 Brasília – 14 rebotes

– Assistências:
1º – Duda (Flamengo) – NBB CAIXA 09/10 – Jogo 4 – Flamengo 94 x 74 Brasília – 9 assistências
2º – Valtinho (Brasília) – NBB CAIXA 08/09 – Jogo 2 – Flamengo 71 x 81 Brasília – 8 assistências

-Bolas de 2 pontos:
1º – Giovannoni (Brasília) – NBB CAIXA 10/11 – Jogo 3 – Franca 93 x 92 Brasília – 10 certas
2º – Giovannoni (Brasília) – NBB CAIXA 11/12 – Jogo único – São José 62 x 78 Brasília – 9 certas

– Bolas de 3 pontos:
1º – Marcelinho (Flamengo) – NBB CAIXA 09/10 – Jogo 2 – Brasília 93 x 90 Flamengo – 10 certas
2º – Robert Day (Bauru) NBB CAIXA 14/15 – Jogo 2 – Bauru 67 x 77 Flamengo – 6 certas
2º – Duda (Flamengo) – NBB CAIXA 09/10 – Jogo 3 – Brasília 85 x 84 Flamengo – 6 certas

-Lances livres:
1º – Marcelinho (Flamengo) – NBB CAIXA 08/09 – Jogo 3 – Flamengo 99 x 78 Brasília – 17 certos
2º – Alex Garcia (Brasília) – NBB CAIXA 10/11 – Jogo 3 – Franca 93 x 92 Brasília – 16 certos

– Eficiência:
1º – Giovannoni (Brasília) – NBB CAIXA 10/11 – Jogo 2 – Franca 75 x 80 Brasília – 39 de valorização
2º – Marcelinho (Flamengo) – NBB CAIXA 09/10 – Jogo 2 – Brasília 93 x 90 Flamengo – 38 de valorização