#JOGAJUNTO

NBB CAIXA

Duelo degigantes

14-03-2019 | 07:44
Por Liga Nacional de Basquete

Bolas de 3? Que nada! Fortes no jogo interno, Botafogo e Mogi duelam nesta sexta-feira, ao vivo no Fox Sports

O basquete mundial vem se transformando ano após anos e tem rendido cada vez mais aos chutes de 3 pontos como principal arma para pontuar.

Essa filosofia também chegou ao Brasil, mas algumas equipes não têm seguido essa tendência à risca. Esse é o caso do Mogi das Cruzes/Helbor e do Botafogo, que abusam e usam de sua força dentro do garrafão para arrancar pontos dos adversários.

Nesta sexta-feira (15/03), essas duas equipes fortes no jogo interno estarão frente a frente no Ginásio Prof. Hugo Ramos, em Mogi das Cruzes (SP), às 21h10, com transmissão ao vivo no Fox Sports.

Atualmente, a equipe mogiana é a terceira que menos tenta chutes de 3 pontos (23,61 por jogo). Nas bolas de 2, é a que mais chuta (41,0) e converte (21,83) por jogo.

Enquanto isso, o Botafogo é o segundo time que menos atira de fora do perímetro (23,09 por jogo) e é dono da quarta pior média de acertos nesse tipo de arremesso (7,87 por jogo). Já nas bolas de 2, o Glorioso tem médias próximas às do Mogi, com 19,48 acertos em 38,57 tentativas.

+Ranking de arremessos de equipes do NBB CAIXA 2018/2019

Dentro dos elencos de Mogi e Botafogo, dois nomes surgem como pilares dessa filosofia: o pivô JP Batista, do lado mogiano, e do pivô Ansaloni, pelo lado botafoguense.

Um dos principais nomes da equipe paulista no campeonato e na lista de possíveis candidatos ao prêmio de MVP da atual edição do NBB CAIXA, JP Batista vem somando números para lá de expressivos: 17,2 pontos, 9,0 rebotes, 2,2 assistências e 21,2 de eficiência.

“Meus números são uma somatória de várias coisas. Mas um dos grandes fatores para isso certamente é o tempo de quadra. Esse ano tenho em média 31 minutos por jogo, e isso faz diferença. Estar em uma equipe onde eu posso ser a referência, com um treinador que acredita no meu trabalho, me dá confiança para entrar em quadra e fazer o que faço de melhor me favorece para atingir esses números dentro de quadra”, disse JP Batista.

“Xerife” do garrafão, JP Batista lidera a competição no índice de eficiência (Antonio Penedo/Mogi)

E esse estilo de jogo, como de praxe, será uma das principais armas para vencer o Botafogo no duelo de logo mais. Para JP Batista, o principal fator para o Mogi sair de quadra com uma vitória será preciso fazer o que a equipe vem treinando.

“O Botafogo é uma equipe muito bem treinada e o Léo (Figueiró) tem feito um trabalho sensacional por lá. Ele tem comandado muito bem um grupo que vem, merecidamente, com uma ótima campanha nessa fase de classificação. No jogo de ida, no primeiro turno, eles tiveram mais intensidade, cuidado com a bola e ganharam a partida na raça. Agora, no returno, precisamos jogar o nosso jogo. Se entrarmos em quadra e colocarmos em prática as coisas que temos que fazer, já será meio caminho andado para uma vitória”, disse o pivô mogiano.

Fora de casa, o Botafogo também terá suas “armas” para a partida. Uma das principais será o forte sistema defensivo da equipe, que sofre em média 75,0 pontos por partida (2ª melhor defesa do campeonato), e o jogo dentro no garrafão, principalmente com o pivô Ralfi Ansaloni.

O pivô Ansaloni é o grande destaque do Glorioso na atual temporada do NBB CAIXA (Vítor Silva/SS Press/Botafogo)

Um dos reforços do Fogão para a atual temporada, o gigante de 2,10m de altura é o cestinha, reboteiro e jogador mais eficiente do time no NBB CAIXA, com médias de 13,9 pontos, 7,3 rebotes e 15,2 de valorização.

“O Ansaloni tem feito uma ótima temporada. Ele é um jogador de intensidade e energia, então precisamos entrar no jogo com o mesmo ritmo para tirar o máximo de conforto que ele possa ter em quadra. Marca-lo será uma tarefa minha na maior parte do tempo, mas essa responsabilidade será compartilhada também com toda a equipe. Como a defesa deve ser coletiva, não ficaremos somente de olho nele, mas também em outros jogadores que podem nos apresentar uma ameaça durante o jogo”, finalizou JP Batista.

O que cada equipe busca no campeonato?

Restando três partidas para o fim da fase de classificação, Mogi e Botafogo já estão confirmados nos playoffs. Nessa reta final, as duas equipes buscam alguns objetivos mais especiais.

O Mogi, quinto colocado, tem como grande objetivo retornar ao G4, que garante um lugar direto nas quartas de final do NBB CAIXA. Além de vencer seus confrontos, o time mogiano precisa torcer por um tropeço do Paulistano, quarto colocado, para igualar as campanhas e voltar ao grupo dos quatro primeiros.

+Classificação completa do NBB CAIXA

Do outro lado, o Botafogo, sexto colocado, está na briga para se manter entre os oito primeiros e ter mando de quadra nas oitavas de final – com duas das três partidas da série em casa, se necessário. Uma vitória nesta sexta-feira deixará a equipe bem perto de confirmar um lugar no G8.

O NBB CAIXA é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB), em parceria com a NBA, e conta com o patrocínio máster da CAIXA, os patrocínios da Budweiser, INFRAERO, Avianca, Nike e Penalty e os apoios de UNISAL, Açúcar Guarani, Ministério do Esporte e Governo Federal.