#JOGAJUNTO

NBB CAIXA

É campeão!

29-11-2013 | 11:13
Por Liga Nacional de Basquete

Com aproveitamento ofensivo incrível, Brasília ignora pressão da torcida uruguaia, segura reação do Aguada e conquista o título da Liga Sul-Americana 2013

O título da Liga Sul-Americana 2013 é do Uniceub/BRB/Brasília. Na noite desta sexta-feira, a equipe da capital federal teve uma atuação ofensiva incrível e conseguiu superar o Atlético Aguada, do Uruguai, na decisão do torneio, por 93 a 81, mesmo diante de muito barulho da fanática torcida local que lotou completamente as dependências do Palácio Peñarol, em Montevidéu.

Este foi o segundo título da equipe do Centro-Oeste do país no torneio sul-americano. Em 2010, no Rio de Janeiro, a equipe na época comandada por José Vidal levou a melhor sobre o Flamengo, também em decisão fora de casa, e levantou seu primeiro troféu da competição continental.

Desde o início da partida, o time brasileiro, que não contou com o ala Alex, lesionado, mostrou muita categoria para obter um alto aproveitamento em seu ataque, principalmente nas bolas de três pontos. Ao todo, o time da capital federal converteu 15 tiros de longa distância em 30 tentativas (50% de aproveitamento).

Contratados pela equipe para esta temporada, o pivô Marcus Goree e o ala/armador Martín Osimani tiveram participações fundamentais no triunfo do Brasília na decisão. O norte-americano foi o cestinha do time, com 24 pontos e ainda apanhou oito rebotes, enquanto que o uruguaio cravou um duplo-duplo, ao marcar 20 pontos e distribuir expressivas 13 assistências.

Além da dupla de estrangeiros, o ala/pivô Guilherme Giovannoni, que acabou eleito o MVP (jogador mais valioso) do torneio, também teve atuação decisiva e foi outro a somar dois dígitos em dois fundamentos, com 21 pontos e dez rebotes. Enquanto isso, o ala Arthur contribuiu com 20 pontos. Pelo lado uruguaio, o destaque ficou por conta do ala Leandro Garcia-Morales, cestinha do jogo, com 27 pontos.

A conquista, que foi a primeira do técnico argentino Sergio Hernandez no comando da equipe, foi a sexta do Brasil na Liga Sul-Americana. Além do Brasília, duas vezes, Vasco da Gama, também em duas oportunidades, Uberlândia e Flamengo foram os outros times do país a se sagrarem campeões do torneio.

Para completar o bom dia para o basquete brasileiro, na partida que antecedeu a final do torneio, o Paschoalotto/Bauru levou a melhor sobre o Boca Juniors, da Argentina, por 79 a 71, e garantiu o terceiro lugar da Liga Sul-Americana 2013. Murilo, com 20 pontos e nove rebotes, Fabián Barrios, autor de 15 pontos, e Ricardo Fischer, responsável por 12 pontos, sete rebotes e cinco assistências foram os nomes do jogo que deu a medalha de bronze ao time do interior paulista.

O jogo começou em um ritmo acelerado e bastante equilibrado. Nos primeiros minutos do duelo, as equipes se alternaram na liderança do placar e proporcionaram boas jogadas no Palácio Peñarol. Mas dois jogadores fizeram a diferença a favor dos brasileiros. Com a mão calibrada nos tiros de longa distância, Arthur e Goree marcaram 11 pontos cada na parcial inicial, comandaram as ações ofensivas do Brasília e foram fundamentais para que a equipe fechasse os dez primeiros minutos da partida na frente.

Na parte final do primeiro quarto, o esquadrão da capital do Brasil melhorou seu trabalho defensivo, principalmente para cima do principal jogador do time uruguaio, Leandro Garcia-Morales, e conseguiu abrir uma boa diferença no placar. Desta maneira, a equipe comandada pelo técnico Sergio Hernandez teve liberdade para contra-atacar e conseguiu abrir sete pontos de vantagem ao final do período inicial: 26 a 19.

Depois de ter em Arthur e Goree suas principais figuras no primeiro quarto, Brasília contou com atuação inspirada de Osimani para não só se manter à frente como também ampliar a diferença no placar. O uruguaio mostrou um vasto repertório ofensivo e marcou 12 pontos na segunda parcial, além de distribuir belas assistências. Quem também teve participação decisiva na arrancada dos brasileiros foi Giovannoni, autor de oito pontos no período.

Ainda sem dar espaços ao time uruguaio e com um altíssimo aproveitamento ofensivo, Brasília foi ampliando sua vantagem pouco a pouco. No embalo de Osimani e Giovannoni, a equipe candanga chegou a colocar 19 pontos de frente (53 a 34). Mas nos últimos instantes do segundo quarto, Garcia-Morales anotou quatro pontos  a favor dos uruguaios em “um piscar de olhos” e os times foram para os vestiários separados por 15 pontos: 53 a 38.

O início do terceiro quarto foi totalmente favorável aos donos da casa. De maneira arrasadora, o Aguada contou com boas jogadas do norte-americano Cedric Mc Gowan e de Garcia-Morales, emplacou uma incrível sequência de 14 a 0, em pouco mais de três minutos, e baixou a diferença no placar para apenas três pontos (53 a 50). Os primeiros pontos do Brasília na terceira parcial vieram somente com quase quatro minutos jogados, com dois lances livres certeiros de Osimani.

Logo na sequência, os anfitriões seguiram dominando as ações e chegaram a empatar o duelo em 55 a 55. Depois do “apagão”, Brasília acordou e não deixou os rivais assumirem a ponta do placar. Mas, do outro lado, os uruguaios seguiram atuando em alto nível e mantiveram a partida “lá e cá”.

Foi então que Goree voltou a roubar a cena pela equipe candanga. Depois de um primeiro quarto brilhante, o atleta passou praticamente todo o segundo período no banco por conta de problemas com faltas. Mas isso não foi problema para o norte-americano voltar com tudo na terceira parcial, anotar oito pontos e ter desempenho fundamental para que os brasileiros levassem uma vantagem de seis pontos (70 a 64) para os dez minutos finais do jogo.

O último período foi jogado em altíssimo nível e Brasília mostrou o porquê é considerada uma das equipes mais qualificadas de todo o continente. Com tiros certeiros de longa distância e muita inteligência em quadra, o time brasileiro tratou de responder com muita categoria à tentativa de reação dos rivais e não deixou a diferença no placar baixar para menos que sete pontos em nenhum momento. Com 1min30s para o término do jogo, a vantagem dos brasileiros era de oito (89 a 81).

Sem deixar com que os adversários anotassem mais nenhum pontos, o time candango deu um ponto final ao jogo. Então, foi só esperar o estouro do cronômetro para começar a festa no Palacio Peñarol.

Além da festa pelo título, o Brasília teve outro motivo para comemorar. A equipe conquistou uma vaga na Liga das Américas 2014 e se juntou a Pinheiros/SKY, Flamengo e Unitri/Magazine Luiza como representantes do Brasíla na principal competição interclubes do continente.