#JOGAJUNTO

NBB CAIXA

É clássico

14-04-2018 | 06:01
Por Liga Nacional de Basquete

Histórico, rivalidade, desfalques e promessa de emoção: tudo que você precisa saber sobre a série quartas de final entre Franca e Bauru

As quartas de final do NBB CAIXA terão um clássico para lá de especial. Sesi Franca e Sendi/Bauru Basket, donos de uma das maiores rivalidades do basquete brasileiro, farão uma das séries que decidirá uma vaga nas semifinais da décima edição do maior campeonato do país.

A série começará nesta segunda-feira (16/04), no Ginásio Panela de Pressão, em Bauru (SP), às 20 horas, com transmissão ao vivo dos canais SporTV. Os atrativos desse playoff você encontrará nesse post. Confira!

O NBB CAIXA é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB), em parceria com a NBA, e conta com o patrocínio master da CAIXA, os patrocínios da SKY, INFRAERO, Avianca, Nike, Penalty e Wewi e os apoios do Açúcar Guarani e do Ministério do Esporte.

O histórico é do Bauru

Franca e Bauru já se enfrentaram 30 vezes na história do NBB CAIXA, com 17 vitórias para os bauruenses e 13 para os francanos. No meio dessa conta estão dois playoffs quartas de final, ambos vencidos pelo Dragão por 3 a 2 – em 2012/2013 e 2014/2015. Mas…

A temporada é do Franca

Apesar da superioridade bauruense no histórico geral, a atual temporada foi dominada pelo Franca. No primeiro turno, no Pedrocão, o Bauru chegou a abrir uma vantagem de 20 pontos, mas o clube da Capital do Basquete buscou a virada e venceu por 87 a 83. O destaque ficou por conta do ex-Dragão Léo Meindl, com 25 pontos.

Já no returno, no Panela de Pressão, a equipe do técnico Helinho Garcia contou com show de Leandrinho Barbosa, autor de 22 pontos, e ganhou por 81 a 60.

“Acredito que será uma série de igual para igual. Eu ainda não estava aqui quando Franca eliminou Bauru no Paulista do ano passado (Franca fez 3-1 na série de semifinal do Estadual), então fica aquela cicatriz recente. Mas agora as equipes estão diferentes e a gente espera que o final seja diferente também. Começamos jogando em casa porque não temos o mando de quadra e, por isso, é fundamental começar vencendo com a ajuda da nossa torcida e lotando a Panela. Abrir 1-0 é fundamental para a nossa sobrevivência na série”, analisou Duda Machado, do Bauru. 

Campanhas

O Franca terminou a fase de classificação na terceira colocação, com campanha de 22 vitórias e seis derrotas (78,6% de aproveitamento) e avançou direto às quartas de final. Do outro lado, o Bauru acabou no sexto lugar, com 16 triunfos e 12 reveses (57,1% de aproveitamento).

Enquanto os francanos descansaram nas oitavas de final, o Dragão jogou uma dura série contra o Vasco da Gama. No final, a equipe levou a melhor, por 3 a 1, com direito a vitória épica no Jogo 4, com bola “À la Borcini” de Duda Machado nos últimos segundos da prorrogação.

“Franca tem um elenco forte e fez uma boa campanha na primeira fase. Nosso time precisa ficar atento à defesa e dominar os rebotes na partida. Passamos por uma série equilibrada contra o Vasco e acredito que este playoff não será diferente. Clássico é clássico”, disse o técnico do Bauru, Demétrius Ferracciú.

Desfalques

O Franca entrará em quadra com dois desfalques certos: o ala Leandrinho Barbosa, que sofreu uma lesão na coxa no mês passado e perderá (pelo menos) os dois primeiros jogos da série, e o ala/pivô Jefferson William, que foi desqualificado no último jogo da equipe na fase de classificação contra o Botafogo em confusão com o norte-americano Cameron Tatum e cumprirá suspensão automática no Jogo 1.

Já o Bauru terá a ausência o ala Alex Garcia. O capitão da equipe teve uma ruptura do ligamento cruzado anterior direito no Jogo 1 das série contra o Vasco e só voltará a atuar na próxima temporada. A lesão foi confirmada neste sábado pelo departamento médico do Dragão e o atleta passará por cirurgia em breve. Quem também ficará de fora é o ala/pivô Renan Lenz, que sofreu uma lesão no músculo adutor no Jogo 2 da oitavas e segue sem previsão de retorno.

Destaques

Um dos destaques do Franca, Leandrinho Barbosa é o cestinha da equipe na temporada, com média de 14,4 pontos por partida. Em seguida estão o ala Léo Meindl, com 13,3 de média e o ala/pivô Jefferson William, outra ausência confirmada para o primeiro jogo, com 10,3 pontos por jogo.

O reboteiro da equipe francana é o pivô Rafael Mineiro, com média de 5,6 sobras por jogo. O líder em assistências é Alexey, que tem média de 5,0 servidas por duelo. Já o atleta de maior eficiência é o ala/pivô Cipolini, com 12,8 de valorização por jogo.

Do lado do Bauru, os destaques absolutos são os experientes Hettsheimeir e Alex Garcia. O pivô é o cestinha reboteiro da equipe, com respectivas médias de 15,4 pontos e 5,5 rebotes, além de 13,8 de eficiência – segunda maior do time.

Já o Brabo é o segundo colocado em pontos (14,0 ppj) e rebotes (5,0 rpj) na equipe, mas lidera nos quesitos assistências, com média de 5,6 por partida, e eficiência, com expressiva média de 17,5 por partida – a maior da atual temporada do NBB CAIXA.

Apesar da relevância da dupla Hett e Alex, o Dragão também conta com papeis importantes de Kendall Anthony e Duda Machado. O norte-americano, que tem média de 13,4 pontos e 3,2 assistências na temporada, registrou 17,7 pontos em média na série contra o Vasco.

Enquanto isso, Duda Machado, dono da média geral de 10,3 pontos por duelo, provou seu poder de decisão no confronto de oitavas contra o Gigante da Colina, em que, além da bola que selou a classificação bauruense às quartas, acumulou em média 14,7 pontos na série.

Reencontros

O clássico marcará uma série de reencontros marcantes. Do lado do Franca, Léo Meindl e Jefferson William foram campeões do NBB CAIXA pelo Dragão na temporada passada. Além dele, Leandrinho teve o Bauru como primeiro clube na carreira profissional e inclusive foi campeão nacional em 2002. Quem também teve uma curta passagem pelo time bauruense foi o ala/pivô Rafael Mineiro, que foi contratado pontualmente em 2015 para disputar a decisão da Copa Intercontinental contra o Real Madrid (ESP).

Jefferson e Léo Meindl, hoje do Franca, foram campeões do último NBB CAIXA pelo Bauru (Fotojump/LNB)

Já pela equipe bauruense, o técnico Demétrius Ferracciú fez história como jogador no basquete de Franca, onde ficou por quase 10 anos e conquistou três títulos nacionais (1993, 1997 e 1998) e dois Sul-Americanos (1993 e 1998). Inclusive, por muito tempo, ele atuou ao lado do atual técnico do Sesi Franca, o ex-armador Helinho Garcia. Outro reencontro fica por conta do ala Isaac, que atuou no clube da Capital do Basquete nas duas últimas temporadas.

“Bauru e Franca é um dos maiores clássicos do basquete e temos que entrar com essa motivação em quadra também. Tivemos uma série difícil contra o Vasco, que contava com jogadores muito experientes em playoffs. E com Franca é a mesma coisa. Acredito que estes confrontos têm tudo para serem equilibrados, por isso precisamos continuar focados e treinando para fazer frente aos francos”, opinou Isaac.

Calendário da série

Jogo 1 – 16/04 (segunda), às 19 horas, no Ginásio Panela de Pressão, em Bauru (ao vivo no SporTV)
Jogo 2 – 19/04 (quinta), às 21 horas, no Ginásio Pedrocão, em Franca (ao vivo no Facebook)
Jogo 3 – 21/04 (sábado), às 14 horas, no Ginásio Pedrocão, em Franca (ao vivo na Band)
Jogo 4* – data e horário a definir, no Ginásio Panela de Pressão, em Bauru
Jogo 5* – data e horário a definir, no Ginásio Pedrocão, em Franca