#JOGAJUNTO

NBB CAIXA

históricoe decisivo

19-04-2019 | 01:06
Por Liga Nacional de Basquete

Surpresa dos playoffs, Basquete Cearense confia em grande fase de Felipe Ribeiro para empatar série com Mogi; Jogo 2 será nesta sexta-feira, ao vivo no Fox Sports

Dono da última vaga para os playoffs do NBB CAIXA 2018/2019, o Basquete Cearense (12º) fez história ao eliminar o atual campeão Paulistano/Corpore (5°), por 2 a 0, e avançar às quartas de final da competição.

Já no primeiro confronto contra o Mogi das Cruzes/Helbor (4°), o Carcará não conseguiu repetir os resultados positivos da série anterior e foi derrotado em casa.

Agora, o Jogo 2 das quartas de final entre Mogi e Basquete Cearense acontecerá nesta sexta-feira (19/04), no Ginásio Hugo Ramos, em Mogi das Cruzes (SP), às 21h10, com transmissão ao vivo no Fox Sports.

Apesar da desvantagem na série, a confiança do Carcará segue em alta, principalmente por conta de um experiente jogador que melhorou (e muito) seu rendimento na fase de mata-mata: o ala/pivô Felipe Ribeiro.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Agora é hora do Hugão ferver! 😍 Os ingressos para os dois jogos contra o Basquete Cearense na sexta (19), às 21h10, e no domingo (21), às 19h, estão à venda no nosso quiosque no @mogishopping e pelo site totalticket.com.br/mogi. 👊🏻🏀 #JuntosNosPalyoffs #VaiMogi #Barulhooo ✔ R$ 20 (com meia para estudante, professor, idoso, deficiente físico e funcionários das empresas patrocinadoras e da Prefeitura de Mogi). ✔ Combo R$ 30 (ingressos para os jogos 2 e 3). Quem optar pela compra online (inteira) deve apresentar o bilhete do jogo 2 na bilheteria ou no quiosque para ter 50% de desconto no ingresso do dia 21. ✔ R$ 10 • Para quem levar 20 tampinhas plásticas (refrigerante, água, detergente, requeijão etc) para ajudar na campanha do Fundo Social de Mogi das Cruzes, com o projeto Tampinha Solidária.

Uma publicação compartilhada por Mogi Basquete (@mogibasqueteoficial) em

Aos 39 anos, Felipe Ribeiro é dono de um currículo expressivo no NBB CAIXA: disputou as 11 edições do campeonato, todas elas com participações nos playoffs.

Na última partida, o jogador atingiu uma marca de respeito: foi o sétimo jogador a conseguir 2.000 rebotes na história da competição – junto com Olivinha, Shilton, Guilherme Giovannoni, Murilo Becker, Jefferson William e Teichmann.

+Confira lista dos maiores reboteiros do NBB CAIXA

Os fatos históricos não param por aí. No primeiro duelo contra o Mogi, Felipe completou 200 partidas com a camisa do Carcará – primeiro atleta a atingir essa marca.

“É um motivo de muito orgulho fazer parte da história do NBB e também do Basquete Cearense. A marca de 200 jogos me deixa muito feliz, mais motivado, porque você olha para trás e tem a noção de que tudo valeu a pena. Isso faz parte do NBB também, jogar as 11 edições sem ficar fora de nenhum playoff é um trabalho muito difícil”, disse Felipe Ribeiro.

Na atual temporada, o jogador vem conseguindo desempenhar um papel importante na equipe nordestina. Aos 39 anos, Felipe Ribeiro possui boas médias de 9,9 pontos, 6,4 rebotes e 11,1 de eficiência por partida.

Quando o assunto é playoffs, esses números são ainda melhores: 16,6 pontos, 6,6 rebotes e 17,3 de eficiência nas três partidas disputadas até agora, além de um lugar entre os melhores jogadores das oitavas de final.

“Nessa temporada eu tive que me reinventar, focar ainda mais para continuar tendo um físico para jogar em alto nível. A gente sabe que a competição está cada dia mais física e eu sou um cara que se cuida muito, muito, muito mesmo, em especial na alimentação e com um bom descanso. Estou muito feliz em conseguir jogar nesse nível. Não existe segredo, o negócio é fazer o que você ama todos os dias”, afirmou o ala/pivô do Carcará.

+Estatísticas completas da carreira de Felipe Ribeiro no NBB CAIXA

Felipe Ribeiro foi fundamental na classificação do Carcará para as quartas de final do NBB CAIXA (Wilian Oliveira/Divulgação)

A primeira partida das quartas de final contra o Mogi foi decidida nos últimos lances. Com a Arena CFO lotada, recorde de público da atual temporada (9.245), o Carcará foi derrotado por 77 a 69 e viu o adversário paulista sair na frente da série melhor de cinco jogos.

Para Felipe Ribeiro, os detalhes fizeram a diferença na hora decisiva do jogo, fato bem comum nas partidas de pós-temporada.

“A gente já esperava que seria um jogo muito equilibrado, sabendo do favoritismo deles. Eles souberam aproveitar as bolas decisivas. Sempre digo que num playoff são detalhes que separam quem vai ficar para frente e para trás. Faltando um minuto, o jogo estava em dois pontos e eles aproveitaram as oportunidades que tiveram, enquanto nós não conseguimos converter”, avaliou Felipe.

Para conseguir empatar a série, o jogador do Carcará espera uma defesa mais firme e concentração durante todo o jogo, além de respeitar o adversário, que ficou com a segunda colocação na última temporada.

“Precisamos ter um pouco mais de consciência e apertar mais a defesa, com muita cautela, sabendo que estamos enfrentando o atual vice-campeão brasileiro e um dos melhores times do continente. Então todo respeito e humildade é importante num momento desse”, completou o jogador do Basquete Cearense.

+Histórico, dados e recordes: veja curiosidades das quartas de final do NBB CAIXA

Corinthians/UMC/Mogi foi vice-campeão paulista e terceiro colocado no nacional (Paulo Arruda/Divulgação)

Um fato que poucos sabem é que Felipe Ribeiro já jogou em Mogi das Cruzes há um bom tempo atrás. Em 2004, o jogador fez parte de uma parceria entre Corinthians e a cidade do Alto Tietê, que contou com grandes jogadores do basquete brasileiro e conseguiu atingir bons resultados.

Por ter sido uma de suas primeiras equipes como profissional, Felipe disse que aprendeu bastante coisa na equipe e se mostrou muito grato pelo carinho da torcida e da cidade.

“Joguei em Mogi das Cruzes com grandes nomes como Fúlvio, Josuel, Rogério, Murilo Becker, Demétrius Ferracciú, Marquinhos, Paulinho Boracini. Enfim, era um timaço. Ficamos entre os três melhores do Brasil, fomos vice-campeões paulistas. Era uma parceria muito legal entre Corinthians e Mogi. Foi uma experiência única, muito legal poder jogar aqui, tenho um grande carinho pela cidade e pela torcida. Como foi um dos meus primeiros anos como profissional, pude aprender muita coisa e agradeço a oportunidade que tive”, finalizou o camisa 33.

O NBB CAIXA é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB), em parceria com a NBA, e conta com o patrocínio máster da CAIXA, os patrocínios da Budweiser, INFRAERO, Avianca, Nike e Penalty e os apoios de UNISAL, Açúcar Guarani, Ministério do Esporte e Governo Federal.