#JOGAJUNTO

NBB CAIXA

Hora dadecisão

01-06-2018 | 02:46
Por Liga Nacional de Basquete

No Ginásio Hugo Ramos, Jogo 4 deste sábado entre Mogi e Paulistano pode definir campeão do NBB CAIXA 2017/2018

Paulistano tem 2 a 1 de vantagem sobre Mogi e pode conquistar o título no sábado; histórico das Finais diz que a festa será adiada (João Pires/LNB)

O campeão do NBB CAIXA 2017/2018 pode ser definido neste sábado. Com 2 a 1 de vantagem nas Finais, o Paulistano/Corpore terá sua primeira chance de fechar a série e levantar o troféu de campeão no quarto duelo do confronto, que será no Ginásio Hugo Ramos, às 14 horas, com transmissão ao vivo dos canais Band e SporTV.

Em sua segunda decisão de NBB CAIXA consecutiva, o CAP adquiriu a vantagem ao vencer os Jogos 1, no Hugo Ramos, e 3, no Ginásio Wlamir Marques. Caso a série não seja fechada no Jogo 4, o título será decidido no Jogo 5, no outro sábado (09/06), no Ginásio Wlamir Marques, às 14 horas.

Após diversas análises sobre as três primeiras partidas das Finais, nós do portal da LNB levantamos alguns dados que podem explicar o desempenho de ambas as equipes na série. Um deles, com certeza, é o desempenho dos quartos.

Quebra-cabeça dos quartos

Nos três jogos o time que venceu o primeiro quarto saiu com a vitória. Mais do que isso, foi detectada uma superioridade incrível do Paulistano em primeiros quartos tanto na fase de classificação (+129) quanto nos playoffs (+27) do NBB CAIXA.

+Leia mais sobre o “Quebra-cabeça dos quartos” de Paulistano e Mogi

O caso do Mogi é diferente. Durante a fase classificatória, o time do técnico Guerrinha teve saldo de +92 pontos no primeiro período e +70 no segundo. Já nos playoffs, o desempenho da equipe é negativo nas duas primeiras parciais, mas de +37 no terceiro e +21 no quarto período.

“Já vivenciamos 13 partidas com o Paulistano nesta temporada. Foram jogos com vários roteiros diferentes, alguns com domínio deles, outros em que conseguimos dominar. Precisamos tirar os arremessos de 3 deles e também o primeiro tempo. Eles aceleram muito o jogo nos dois primeiros quartos e precisamos estar atentos a isso”, disse o técnico do Mogi, Guerrinha.

Bolas de 3 e rotação de elenco

Outro fator determinante na série até o momento é a bola de 3 pontos. Nos três duelos o time que teve o melhor desempenho nos arremessos longos saiu vencedor.

No Jogo 1, o Paulistano teve 50% de aproveitamento, com 16 acertos em 32 tentativas. Já na partida seguinte, o Mogi acertou o mesmo número de tiros que o rival (12), mas registrou uma porcentagem melhor (36,4% contra 33,3%). E por fim, no Jogo 3, o CAP teve 51,4% de aproveitamento (15/29).

“Vai ser um jogo difícil, principalmente no lado mental, mas nós sabemos lidar com isso. No Jogo 5 contra Bauru dentro de casa a ansiedade estava muito grande, mas nós conseguimos desempenhar dentro de quadra. Não vamos mudar nosso estilo de jogar e se Deus quiser vamos sair com a vitória”, analisou Yago, armador do Paulistano.

Já a rotação de elenco também tem feito a diferença na decisão entre Paulistano e Mogi. Os dois times aumentaram o número de quintetos utilizados em relação ao apresentado na temporada.

+Leia mais sobre os pontos determinantes da série entre Paulistano e Mogi

Quando se trata de uma série de playoff, ainda mais em uma decisão, a alta rotatividade dos elencos faz total diferença, pois o ritmo da equipe se mantém alto e a adaptação às situações impostas nas partidas pode ser mais eficiente.

“A tendência é rodar mais o time e fazer vários tipos de quintetos em quadra. Até porque do outro lado, o Paulistano faz muito isso. Acho que os dois times vão jogar mais no smallball amanhã, com um time mais baixo, para tentar ter mais o controle do jogo e poder fazer uma rotação de defesa melhor”, comentou o comandante do Mogi.

“No basquete dos dias de hoje, para você conseguir jogar com a defesa forte o tempo todo, é preciso uma rotação maior dos atletas para que todos estejam em boas condições físicas em quadra. Às vezes existem fatores que te fazem trocar mais o time, com faltas e deficiência técnica. Mas também o time está bem às vezes e você precisa mexer para dar descanso a alguns jogadores. O importante sempre é quem entra ou quem sai manter o foco o tempo todo”, completou o treinador.

Sobrevivências

O cenário das Finais do NBB CAIXA é totalmente favorável ao Paulistano, que com 2 a 1 de vantagem, terá sua primeira oportunidade de fechar a série e conquistar o título.

No entanto, o histórico das decisões em melhor de cinco da competição nacional aponta que uma equipe nunca fechou uma série logo na primeira oportunidade. Ou seja, sempre quem abriu 2 a 0, perdeu o Jogo 3, e quem abriu 2 a 1, sempre perdeu o Jogo 4.

+Leia mais sobre as sobrevivências das Finais do NBB CAIXA

Curiosamente, todas essas sobrevivências em Finais foram concretizadas na casa da equipe que esteve com a corda no pescoço. Em desvantagem, o Mogi tentará resistir na decisão justamente em seu ginásio. Será que a escrita se mantém?

“Ano passado tivemos esse ‘match point’ três vezes e não conseguimos fechar a série. A gente sabe que o Mogi é muito forte dentro de casa, então precisamos estar muito focados como hoje, mas melhorar alguns aspectos defensivos. Tenho certeza que o Gustavinho vai conversar com a gente essa semana e auxiliar nossa defesa para buscar esse título para o Paulistano”, declarou Lucas Dias, do Paulistano.

O NBB CAIXA é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB), em parceria com a NBA, e conta com o patrocínio master da CAIXA, os patrocínios da SKY, INFRAERO, Avianca, Nike, LG, Penalty e Wewi e os apoios do Açúcar Guarani e do Ministério do Esporte.

Top 5 das Finais