#JOGAJUNTO

LNB / NBB CAIXA

Pelo bemSocial

31-05-2019 | 02:11
Por Liga Nacional de Basquete

Liga Nacional de Basquete fecha parceria com Instituto Superação e reforça busca por questão social; projeto atende 26 escolas e busca transformar vidas através do esporte

Instituto Superação e LNB firmaram parceria em prol do bem social e do esporte (Divulgação)

A Liga Nacional de Basquete firmou uma importante parceria com o Instituto Superação. A entidade, fundada em 2013, atua intensamente no desenvolvimento de cidadãos através da educação e do esporte competitivo, especialmente com o basquete.

O termo assinado entre LNB e Instituto Superação implica na cooperação entre as entidades para desenvolvimento social. A questão social será tratada como forma estratégica pela gestão da LNB para o futuro do basquete brasileiro.

“A parceria com o Instituto Superação vem reforçar o plano socioambiental da LNB que está inserido na missão dos clubes incentivarem o desenvolvimento de crianças e jovens a partir da disseminação do basquete como atividade esportiva complementar à formação educacional da nova geração sustentada nos valores e princípios do bem estar social”, disse Kouros Monadjemi, presidente da LNB.

“A parceria com a Liga Nacional de Basquete vai trazer mais que visibilidade para o Instituto Superação. Vai ampliar as oportunidades para os nossos alunos que queiram se tornar um atleta e seguir carreira no esporte”, conta o idealizador do Instituto Superação, Roberto Chade.

O acordo foi firmado durante a última reunião do Conselho de Administração da LNB, pelo presidente Kouros Monadjemi, Alberto Bial, vice-presidente socioambiental da LNB, e Flavio Davis, coordenador técnico do Instituto Superação.

“A parceria com o Instituto Superação busca recuperar e transformar o mundo através do esporte e isso é passo gigante em busca de um Brasil melhor. Numa liga tão moderna e que sempre busca a excelência, esse trabalho social é muito importante, tanto para a popularização do basquete mas principalmente na formação de cidadãos de bem”, disse Bial.

Como parte da parceria, os clubes filiados à LNB terão a oportunidade de apadrinharem projetos do Instituto Superação. O primeiro time a abraçar o projeto foi o Minas Tênis Clube, com núcleos em Belo Horizonte. Além disso, LNB e Superação trabalharão juntas na busca por recursos para a continuidade dos projetos ativos.

Instituto Superação está presente em 26 escolas e projeta atender mais de 1.200 atletas entre escolas e equipes competitivas (Divulgação)

Atualmente, o Instituto está presente em 26 escolas, sendo 18 em São Paulo e 8 em Belo Horizonte. A projeção para os próximos anos é de ter mais de 1.200 atletas entre escolas e as equipes competitivas competitivas. O projeto ainda disputa quatro categorias de base do Campeonato Paulista, do Sub-12 ao Sub-15, e já levou garotos à Seleção Brasileira Sub-15.

“O Instituto Superação buscar levar o basquete para onde ele deve estar e nunca deveria ter saído, que é nas escolas. Eu, como amante de basquete, vi que essa necessidade era urgente não só para o desenvolvimento e massificação da modalidade, mas também como agente de educação e transformação para as crianças. Temos uma metodologia esportiva e também social, já medimos as frequências nos treinos e aulas normais e também as suas notas acadêmicas e comportamentos tanto na escola quanto junto à família.”, disse Flavio Davis.

“Com essa parceria com a LNB a gente espera levar o Instituto Superação ao maior número de escolas. Queremos transformar vidas com os valores que o esporte têm, independente se eles vão seguir com carreiras profissionais ou se irão para a vida acadêmica. Outra missão importante é dar mais conteúdo para que professores e estudantes possam fomentar o basquete no âmbito escolar”, completou.

Em 2018, Instituto Superação realizou seu 1º Festival de Basquete com a participação de todos as escolas contempladas (Divulgação)

O Instituto Superação

O Instituto Superação é um projeto que visa contribuir com a formação de jovens, que atende tanto a alunos de escolas particulares como de escolas públicas, desenvolvendo valores chave para a vida, como disciplina, humildade, determinação e comprometimento, através da integração entre educação e esporte competitivo.

O projeto se sustenta em 2 pilares principais; o competitivo e o de desenvolvimento. O pilar competitivo, que surgiu em 2015, conta hoje com 5 equipes com atletas de 11 a 14 anos, que treinam semanalmente e disputam campeonatos da Federação Paulista de Basquete, Liga Pró-Basquete, entre outros.

Já no pilar de desenvolvimento, que se iniciou em 2017, professores de educação física da rede pública são capacitados através de uma metodologia exclusiva, que será aplicada no contra turno de suas escolas. Atualmente, são 26 escolas participando deste pilar e aproximadamente 1040 alunos. As capacitações acontecem em módulos mensais e os professores recebem uma ajuda de custo pelas horas de dedicação ao projeto, além de uma certificação.

“É com muito orgulho que eu participo como coordenador desse projeto. É um projeto que me encantou porque mexe com educação, mexe justamente em proporcionar uma oportunidade para esses meninos”, diz Flávio Davis, coordenador do Instituto, diretor do Minas Tênis Clube, e um dos nomes mais respeitados do basquete brasileiro.

Em 2018, ao final de cada semestre foi realizado um Festival para que todos os envolvidos possam celebrar as conquistas alcançadas, integrar os jovens de diferentes realidades e dar a oportunidade dos atletas mostrarem aos familiares e amigos tudo que aprenderam. Os alunos que se destacam durante todo o projeto são selecionados por seus tutores para testes podendo fazer parte das equipes do pilar competitivo.

“Depois que eu conheci esse projeto percebi que minha filha melhorou 100% na questão disciplinar. Ela está muito envolvida no projeto e isso envolveu a família inteira que está acompanhando este crescimento junto com ela. Queria agradecer a oportunidade que vocês estão dando para os nossos filhos, realmente o esporte muda a educação dos filhos e está mudando na minha casa para melhor. Eu espero que continue por muitos e muitos anos”, relata emocionado o pai da aluna Laissa do 6º ano da Escola Estadual Major Arcy, uma das participantes do projeto.