#JOGAJUNTO

NBB CAIXA

Missão playoffs

21-10-2014 | 01:01
Por Liga Nacional de Basquete

De volta à elite do basquete brasileiro, 'caçula' Rio Claro aposta na experiência de seu elenco e entra em seu primeiro NBB com um objetivo: chegar aos playoffs

Campeão da Liga Ouro 2014, o tradicional Rio Claro Basquete está de volta à elite do basquete brasileiro e disputará o NBB pela primeira vez em sua história. Apesar de ser o ‘caçula’ da sétima edição da competição, a equipe do interior paulista vai à quadra com um elenco bastante experiente, que por sua vez, já tem uma meta traçada: chegar aos playoffs.

Para alcançar este objetivo, o esquadrão rio-clarense agregou ao plantel que conquistou o título da Divisão de Acesso ao NBB atletas de currículos respeitáveis, como o pivô Lucas Tischer, ex-Paschoalotto/Bauru, e o ala Duda Machado, que estava no Macaé Basquete, ambos bicampeões do NBB por UniCEUB/BRB/Brasília e Flamengo, respectivamente.

“Cheguei há pouco tempo, mas a primeira impressão que tive foi muito boa, fui muito bem recebido. A expectativa é muito grande. Sabemos que o NBB é um campeonato que a cada ano fica mais forte, mas nossa primeira meta é chegar aos playoffs. Não sabemos como será lá na frente, mas nosso primeiro objetivo é se classificar aos playoffs”, declarou Duda.

Apesar de 'caçula', Rio Claro chega para seu primeiro NBB com média de idade de 29,6 anos por atleta (Luiz Pires/LNB)

Apesar de ‘caçula’, Rio Claro chega para seu primeiro NBB com média de idade de 29,6 anos por atleta (Luiz Pires/LNB)

A equipe, que ainda tem o pivô Estevam com um título e um vice-campeonato do NBB, por Brasília e Unitri/Pilhas Energizer, respectivamente, também trouxe o ala/pivô espanhol Álvaro Calvo, vice-campeão da quarta edição 2011/2012 do campeonato nacional com o São José/Unimed, e o técnico Chuí, substituiu o ex-treinador Marcelo Tamião, que agora virou supervisor do time.

“Nós temos jogadores que já jogaram o NBB em diversas equipes e por isso já existe uma consciência sobre a dificuldade que é o campeonato. Isso está ajudando muito, pois eles estão levando o treino muito a sério. Esse empenho deles está sendo muito positivo. Temos bons jogadores, basta eles entenderem seu espaço na quadra e jogarem juntos, isso é receita para todas as equipes. Vamos otimizar isso para chegarmos aos playoffs”, falou o novo treinador.

Outro que reforça a equipe rio-clarense é o armador norte-americano Brandon Brown, que defendeu o Basquete Cearense no último NBB, no entanto, o atleta não se enquadra no grupo de ‘caras novas’ do time, mas sim no dos velhos conhecidos. O jogador, de 25 anos, defendeu o Rio Claro entre 2012 e 2013 e foi o grande destaque do título da Copa Brasil Sudeste 2013, em que anotou 36 na final diante do Fluminense (RJ).

Em sua primeira passagem pelo Rio Claro, Brown foi o protagonista do título da Copa Sudeste (Divulgação)

Em sua primeira passagem pelo Rio Claro, Brown foi o protagonista do título da Copa Sudeste (Divulgação)

Depois de chamar a atenção por seu enorme potencial, Brown se transferiu para o Basquete Cearense no final do Estadual. Disputando o primeiro NBB na carreira, o norte-americano fez bonito com a camisa do esquadrão de Fortaleza, foi o maior pontuador do time no campeonato, com média de 15,4 pontos por jogo, e foi essencial para levar a equipe aos playoffs, objetivo que ele quer repetir agora que está de volta ao Rio Claro.

“A expectativa para mim é muito grande. No ano passado tive a oportunidade de jogar o NBB e chegar aos playoffs, agora quero ajudar o Rio Claro a chegar lá também. O time aqui é muito bom. Agregamos algumas peças ao elenco e estou bastante ansioso para que eles se encaixem no time. Temos alguns novos jogadores e outros que já conhecia na minha primeira passagem por aqui. Quero fazer algo especial aqui de novo”, almejou Brandon Brown.

“Me sinto em casa aqui. É uma cidade pequena, mas o povo é muito bom. A decisão de volta para cá foi muito fácil, pois eu já havia jogado aqui antes e sei como é. Agora estamos no NBB e estou muito ansioso para esta temporada”, completou o gringo.

Mas se depender das estatísticas, o Rio Claro não terá vida fácil para chegar aos playoffs do NBB. O campeonato já teve 11 estreantes em toda sua história, sendo que apenas quatro deles chegaram à fase de mata-mata em sua primeira temporada na maior competição do país: Uberlândia (NBB3), Tijuca e Liga Sorocabana (NBB4) e Basquete Cearense (NBB5).

“O clima está o melhor possível. Estamos vindo de uma crescente depois da Liga Ouro, fizemos um bom Campeonato Paulista e agora com a chegada do Chuí e do Duda nosso time só tem a crescer. Agora precisamos focar nos treinamentos que é o primordial para nós. Acredito que com isso chegaremos bem para nosso objetivo que é chegar nos playoffs”, comentou o ala Caio Ranches, um dos remanescentes da temporada passada.

“Se não for para ganhar não há motivos para jogar, e se estamos jogando é porque queremos ganhar. Não estamos no campeonato para estar na média, queremos chegar aos playoffs e jogar o máximo que pudermos. Essa é a nossa meta”, afirmou Brandon Brown, que quer repetir o feito alcançado na temporada passada com Basquete Cearense.

Campeão da primeira edição da Liga Ouro, Rio Claro ganhou o direito de disputar o NBB 2014/2015 (Divulgação/LNB)

Rio Claro chegou ao NBB através do título da Liga Ouro 2014 (Divulgação/LNB)

Nas décadas de 80 e 90, o Rio Claro figurou entre as principais potências do país e tem em sua sala de troféus cinco títulos Estaduais (1987, 1991, 1993, 1994 e 1995), dois nacionais (1992 e 1995), além de uma Copa América em 1995, um Sul-Americano também em 95 e um vice em 96. Agora está de volta à elite do basquete brasileiro, a tradicional praça do basquete brasileiro está eufórica para ver seu time voltar a brilhar, assim como antigamente.

“A cidade está com uma expectativa muito boa em voltar a jogar um campeonato nacional, jogar o NBB. Rio Claro sabe do seu momento, sabe que não é o mesmo que viveu a 15 anos atrás, mas é um projeto que já vem há três anos com sucesso. Queremos dar mais um passo. O sonho da equipe é chegar aos playoffs e vamos trabalhar para isso. Sabemos que é um campeonato difícil, são oito meses, muitas viagens, e estamos preparando o máximo possível a parte física dos atletas”, comentou o técnico Chuí.

“A cidade de Rio Claro está muito agitada para o NBB. Nós (jogadores) andamos na rua e todo mundo está querendo que comece logo o campeonato. Todo mundo está nos mandando mensagens de apoio, parabenizando, nos dando força. Para o jogador nada é mais gratificante do que esse reconhecimento. Todo mundo sabe que não é fácil, mas a ansiedade para chegar a estreia, contra o Palmeiras, é muito grande”, disse Caio Ranches.

Caio Ranches, do Rio Claro

Um dos xodós da cidade, Caio Ranches espera contar com o apoio da torcida rio-clarense (Luiz Pires/LNB)

Brandon Brown, Eric Tatu, Caio Ranches, Vinícius, Duda Machado, Pastor, Mosso, Álvaro Calvo, Estevam, Lucas Tischer, o técnico Chuí e a cidade de Rio Claro farão sua estreia no NBB no dia 05 de novembro (quarta-feira), contra o Palmeiras/Meltex, em casa, no Ginásio Felipe Karam, o “Felipão”, em Rio Claro (SP), às 20 horas (de Brasília).

“Sempre tem uma ansiedade, principalmente quando você estreia em um time novo. Mas com o passar do tempo você consegue controlar esse sentimento. Com certeza vai rolar aquele friozinho na barriga no dia da estreia, principalmente jogando em casa, contra o Palmeiras, que acredito que seja um adversário direto na fase de classificação. Esperamos estrear com o pé direito”, disse Duda.

“Acredito que se começarmos a ir bem a torcida vai comparecer, vai nos apoiar, pois Rio Claro tem uma tradição no basquete. Por isso esperamos contar com o apoio da torcida, que eu tenho certeza que vai ajudar muito a gente nessa caminhada”, completou o atleta, que usará a camisa 3 do Rio Claro.