#JOGAJUNTO

LDB / NBB CAIXA

Novosprotagonistas

17-04-2017 | 11:50
Por Liga Nacional de Basquete

De promessas à realidades: atletas vindos da LDB assumem papéis de protagonistas nos playoffs do NBB CAIXA e justificam importância da competição

Não há como negar que o papel da Liga de Desenvolvimento de Basquete (LDB) vem sendo extremamente importante no cenário nacional da modalidade. A competição não só promove o surgimento de novos atletas para o NBB CAIXA como também os prepara para situações de protagonismo em seus clubes. A experiência que eles adquirem está sendo notada nos playoffs.

Georginho, Lucas Dias e Arthur Pecos são nomes fortes do Paulistano vindos da LDB (Stephan Eilert/Solar Cearense)

São inúmeros os exemplos de protagonismo de jovens atletas, mas o principal vem da excelente garotada do Paulistano/Corpore. Campeões da LDB 2015 pelo rival Pinheiros, Lucas Dias, de 21 anos, e Georginho, de 20, são os grandes destaques da equipe alvirrubra na temporada. Nos playoffs, Lucas tem média de 16,0 pontos e 7,5 rebotes por jogo, enquanto George soma 10,8 pontos e 4,3 assistências.

Quem também aparece bem na equipe é o armador Arthur Pecos, de 22 anos. Sempre vindo do banco, o atleta tem papel de extrema importância no esquema do técnico Gustavo De Conti, que sempre apostou em jovens talentos. Pecos foi o líder em assistências do Paulistano na fase de classificação, com 5,6 por partida, além de somar 9,7 pontos.

Adversário da garotada do Paulistano nas oitavas, o Solar Cearense também tem em seu elenco um grande exemplo de fruto da LDB: Davi Rossetto, de 24 anos. Campeão invicto e MVP das Finais da edição de 2014, o armador usou muito bem a experiência adquirida no campeonato Sub-22 para uma evolução sem igual.

Campeão e MVP das Finais da LDB 2014, Davi Rossetto é o atual detentor do troféu de Melhor Armador do NBB CAIXA (Stephan Eilert/Solar Cearense)

Em um período de três temporadas, Davi virou titular absoluto e capitão da equipe do técnico Alberto Bial. A partir daí, suas atuações lhe renderam prêmios individuais no NBB CAIXA: em 2014/2015, foi eleito o Jogador Que Mais Evoluiu, e em 2015/2016, faturou o troféu de Melhor Armador da temporada.

Recordista de pontos da atual temporada, com 36 diante do Franca, Davi Rossetto é o cestinha do Basquete Cearense no campeonato, com média de 13,2 pontos por jogo. Atualmente, nos playoffs, o camisa 5 do Carcará tem média de 11,8 pontos, com direito a atuação incrível no Jogo 3 da série contra o Paulistano, em que fez 22 pontos em uma noite de gala.

“A LDB permitiu que eu retomasse o ritmo de jogo necessário para jogar de igual para igual com os profissionais. Vinha de algumas temporadas jogando poucos minutos no NBB, e isso também acaba tirando nossa confiança quando mais jovens. Jogando mais de 20 partidas pela LDB antes do início do NBB, chegava para a competição muito mais preparado, mais confiante em mim mesmo, e minha comissão técnica em mim também. Sem dúvidas foi um divisor de águas na minha carreira e na de muitos outros jovens da minha geração”, exaltou Davi.

Quem também recebeu o prêmio de Melhor Armador do NBB CAIXA e surgiu na LDB foi Ricardo Fischer, de 26 anos, armador do Flamengo. Em 2012, com a camisa do Bauru, o jogador deu seu maior salto na carreira depois de ser campeão da competição Sub-22, se tornando um verdadeiro adulto após a conquista.

Depois disso, ainda com a camisa do Dragão, Fischer seguiu em franca ascensão, e conquistou dois títulos do Campeonato Paulista, uma Liga Sul-Americana, um Liga das Américas, dois vice-campeonatos do NBB CAIXA e um vice-campeonato do Mundial de Clubes, com direito a bola da vitória no Jogo 1 contra o poderoso Real Madrid (ESP). Teve até triplo-duplo contra o New York Knicks em pleno Madison Square Garden durante a turnê do Bauru pela NBA.

Vice-campeão da LDB 2012, Lucas Mariano é um dos grandes pivôs do NBB CAIXA (Brito Júnior/UniCEUB)

No ano em que Ricardo Fischer foi o campeão da LDB com Bauru, o vice-campeão foi o Franca Basquete, de Léo Meindl e Lucas Mariano, ambos de 23 anos. Hoje, Léo atua pelo Bauru e é um dos grades nomes da equipe. Nos playoffs, é o segundo maior cestinha do time, com média de 14,0 pontos por jogo.

Lucas Mariano é um dos principais nomes do Brasília, quarto colocado na fase de classificação. Nomeado por muitos como grande pivô da atualidade no NBB CAIXA, o camisa 28 do Time de Lobos obteve expressivas médias de 18,0 pontos e 6,4 rebotes.

E por falar em Franca, o que dizer da nova geração a equipe da Capital do Basquete, atual campeã da Liga de Desenvolvimento de Basquete. Os grandes nomes da inédita conquista de 2016 hoje são peças indispensáveis no elenco do técnico Helinho, principalmente Alexey e Du Sommer, de 21 e 22 anos, respectivamente.

Os dois foram ganhando seus espaços pouco a pouco e inclusive foram titulares em diversas oportunidades no NBB CAIXA. Alexey, por sua vez, é o líder em assistências (5,5 por jogo) e jogador mais eficiente (13,8 por jogo) do Franca Basquete, que terminou a fase de classificação desta edição do maior campeonato do país.

Coelho foi duas vezes vice-campeão da LDB e hoje é um dos grandes destaques do Franca (Divulgação/Franca Basquete)

Alexey atua na maioria das vezes como reservas de Henrique Coelho, de 23 anos, outro grande fruto da LDB. Com a camisa do Minas Tênis Clube, Coelho disputou três edições da LDB e conquistou dois vice-campeonatos, em 2013 e 2015. No NBB CAIXA, o armador faturou, inclusive, o prêmio de Destaque Jovem da edição 2013/2014.

“O grande objetivo da LDB era dar aos jovens a oportunidade de amadurecer, coisa que eles não tinham antes. Com isso a LNB conseguiu criar um cenário favorável para jovens talentos, que através desse amadurecimento nessa competição de altíssimo nível tiveram a condição de serem protagonistas em uma idade precoce. Com isso, eles tiveram seu desenvolvimento acelerado e o resultado é isso que vemos hoje: várias equipes do NBB CAIXA usando esses jogadores vindos da LDB como comandantes”, comentou um dos idealizadores da LDB, Lula Ferreira, atual diretor técnico, administrativo e de projetos do Franca Basquete.

Outro time que terminou no G-4 e conta com participação efetiva de um atleta vindo das quadras de LDB é o Mogi das Cruzes/Helbor, vice-líder da fase de classificação, com o ala Jimmy Dreher. O ala, de 26 anos, defendeu o São José Basketball na primeira edição da LDB, em 2011. Hoje, Jimmy é uma das engrenagens mais importantes da máquina que é o Mogi, sempre colaborando na marcação e nas bolas de 3 certeiras.

Dos atletas citados neste texto, Davi Rossetto, Léo Meindl, Lucas Mariano, Henrique Coelho e Jimmy foram convocados para a Seleção Brasileira que disputou o Campeonato Sul-Americano da Venezuela em 2016, no qual a equipe verde-amarela, comandada por Gustavo De Conti, terminou com o vice-campeonato. Isso mostra que a LDB tem um papel não só no NBB CAIXA ou nos playoffs, mas também no futuro da nossa Seleção.

O NBB CAIXA é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB), em parceria com a NBA, e conta com o patrocínio master da CAIXA, o patrocínio da SKY e os apoios do Ministério do Esporte e da Avianca.

Seleção Brasileira Sul-Americano 2016

Seleção Brasileira Sul-Americano 2016 foi composta por 6 atletas vindos da LDB (Divulgação/FIBA Américas)