#JOGAJUNTO

NBB

Boa praça

01-10-2012 | 04:06
Por Liga Nacional de Basquete

Sempre com um sorriso no rosto e de fácil adaptação graças ao amigo Shamell, Joe Smith chega ao Brasil para reforçar e dar mais experiência ao Pinheiros

No Brasil, Joe Smith reencontrou Shamell, um amigo de longa data (João Pires/Divulgação)

Um recém-chegado que parece se sentir já há muito tempo em casa. A conversa com ele é fácil. Sorriso largo no rosto, fala com desenvoltura, sem timidez. O típico boa praça, que faz amizades com facilidade. Não se trata de um jovem, já que os 35 anos de idade trazem muitas experiências e lembranças de diversos lugares em que esteve na carreira. Veio daquele que é considerado o país do basquete, mas já é um cidadão do mundo, pronto para uma nova aventura, agora no Brasil. Esse é Joseph Troy Smith. Mas podem chamá-lo de Joe Smith, novo jogador do Pinheiros/SKY para a temporada 2012/2013 do basquete nacional.

O norte-americano é um ala/armador nascido em New Orleans e criado no basquete pela Universidade de Alabama-Huntsville. Smith nunca passou pela NBA, mas já esteve na Itália, na Rússia e em Israel. A América Latina não é um lugar desconhecido para o atleta, já que o último clube dele antes de chegar ao Pinheiros foi o La Unión de Formosa, na Argentina. Por esse time, o jogador atuou na Liga das Américas e conheceu alguns times brasileiros, como o Uniceub/BRB/Brasília e o Vivo/Franca.

O desembarque no país foi demorado, apenas há duas semanas, mas Smith enfim apareceu e não perdeu muito tempo. Segundo a comissão técnica do Pinheiros, o norte-americano treinou e pegou a parte tática com facilidade. Apesar da longa viagem entre os EUA e o Brasil, em alguns dias, já estava em quadra pela equipe no Campeonato Paulista. Era um clássico contra o Paulistano/Unimed. O novo camisa 10 pinheirense começou no banco, mas mostrou de cara o cartão de visitas: 16 pontos e cinco assistências na vitória por 84 a 81.

Depois de disputar três partidas, Smith já tem médias de 17,7 pontos e três assistências por jogo e está invicto. Retorno quase que imediato de um reforço que veio com a ajuda do ala/armador Shamell. Os dois jogaram juntos nos EUA e tinham uma boa relação. O incentivo do amigo foi fundamental para a chegada de mais um estrangeiro ao basquete brasileiro e ao NBB.

E talvez por isso a adaptação não deve virar nenhum bicho de sete cabeças. Ainda mais para uma pessoa como Smith, sempre alegre e receptivo para quem chega ao seu lado. Foi dessa forma que ele concedeu essa entrevista durante a apresentação do time do Pinheiros para a temporada 2012/2013, onde o norte-americano falou sobre o papel que pode cumprir na equipe paulista, sua relação com Shamell, a primeira impressão sobre o novo clube e o crescimento do basquete no Brasil.

Claudio Mortari dá instruções ao norte-americano, que já chegou e jogou pelo Pinheiros (João Pires/Divulgação)

NBB: Como tem sido esses primeiros dias aqui em São Paulo?

Joe Smith: Joguei em muitos lugares do mundo e vi diferentes clubes por aí, mas assim que cheguei já pude perceber que o Pinheiros é um clube muito profissional. As pessoas tem me ajudado muito. Não é fácil ajudar um estrangeiro que vem morar num novo país, mas todos estão se dedicando ao máximo. Já comecei a treinar, ganhamos a primeira partida que joguei. Então, tudo tem sido ótimo até agora.

Mas no Pinheiros é mais fácil, não é? Tem o Shamell, que fala português muito bem. Certeza de que ele já te ajudou bastante, não?

Com certeza. O Shamell já me ajudou bastante, mas os outros jogadores também. A gente fala um pouco de português, um pouco de italiano, espanhol. Eles fazem de tudo para me deixarem o mais confortável possível. Eu entendo algumas palavras que são parecidas com o italiano e com o espanhol, e a gente vai se entendendo. Eu já fiz isso antes. Já fui jogar na Rússia e, sabe como é, onde tem basquete, a gente sempre consegue achar uma maneira de se entender. Aqui não tem sido diferente.

Smith se diz um jogador que faz de tudo para ajudar sua equipe a vencer (João Pires/Divulgação)

Agora falando de basquete. Você sabe que esse time vem tendo ótimos resultados nos últimos anos, chegou em finais, é o atual campeão estadual. Quais são suas expectativas nesta temporada?

Eu trabalhei duro durante a pré-temporada e tenho expectativas altíssimas em relação ao meu desempenho. Como um time, tenho certeza de que trabalharemos bastante e nos doaremos ao máximo em quadra. Fica um pouco difícil para dizer exatamente o que esperar do nosso time, pois ainda não conheço muito bem os times que atuam na liga, mas estou confiante que se fizermos nossa parte, podemos alcançar os objetivos na temporada.

Você já conhecia alguns dos jogadores do elenco ou já tinha enfrentado antes?

Shamell e eu já estivemos no mesmo time por alguns meses, lá nos Estados Unidos, na ABA (American Basketball Association). O Paulinho (Boracini) jogou na Itália, e eu me lembro de o ter visto jogar. Enfrentei alguns dos jogadores que estavam no Franca no ano passado, na Liga das Américas, o Fernando (Penna) e o Márcio. Conheço alguns deles, sim.

O NBB chega a sua quinta edição, e você já jogou nas principais ligas do mundo. Como você vê essa mudança no basquete brasileiro nos últimos anos?

Pelo que eu notei, o campeonato está crescendo a cada ano, está cada vez mais profissional. Creio que essas mudanças ajudarão as equipes brasileiras a elevarem o nível para a disputa das competições internacionais. Acho ótimo que os times do NBB sejam fortes. Eu mesmo já havia enfrentado alguns deles, como o campeão Brasília, na Liga das Américas, e estou bastante empolgado para que o campeonato comece.

Para os torcedores que não te conhecem, o que eles podem esperar do Joe Smith em quadra?

Eles verão um jogador que vai fazer de tudo para ajudar o time a vencer, sendo ajudando no ataque ou na defesa. Eu posso ajudar muito a equipe com minha experiência. São alguns anos atuando no exterior, na Liga Europeia, na Liga das Américas. Eu quero trazer isso. Ajudar os mais novos que ainda não tiveram tantas experiências. Tudo que eu puder fazer para que meu time vença, pode ter certeza de que eu vou fazer.

A estreia de Joe Smith e do Pinheiros no NBB será contra o Cia do Terno/Romaço/Joinville, em São Paulo (SP), no dia 24 de novembro.

Camisa 10, Smith é um dos reforços do Pinheiros para a próxima temporada (João Pires/Divulgação)