#JOGAJUNTO

NBB

Palavrasde Davi

25-03-2020 | 12:55
Por Liga Nacional de Basquete

Em entrevista ao portal Basquete Todo Dia, Davi Rossetto expôs sua visão sobre paralisação e patrocínio do NBB: “o campeonato seguirá crescendo”

Davi fez uma lúcida análise sobre o atual momento do basquete brasileiro (Divulgação/LNB)

Diante da paralisação do NBB devido à pandemia do Covid-19, o armador Davi Rossetto, do Minas Tênis Clube, deu seu parecer sobre os atuais acontecimentos que cercam o basquete brasileiro.

Em entrevista ao portal Basquete Todo Dia, do jornalista Matheus Muratori, o jogador, sempre lúcido, analisou a temporada do time mineiro e expôs seu ponto sobre a suspensão e também o fim do contrato de patrocínio do NBB com a CAIXA.

Único armador de ofício do Minas, Davi Rossetto acumulou médias de 7,8 pontos, 2,4 rebotes e 3,0 assistências por partida no NBB e ajudou o time minastenista a ficar dentro do G-4 da tabela de classificação antes da paralisação.

Confira a íntegra da entrevista:

Basquete Todo Dia: Como você avalia a evolução do Minas nesta temporada? Acredita que a equipe chegou no nível necessário para vencer o NBB?

Davi: A evolução da nossa equipe foi exatamente dentro do planejado. Estamos na temporada mais equilibrada da história do NBB, e sabíamos que não seria fácil. Tivemos pouco tempo de preparação com o grupo completo, então sabíamos que evoluiríamos ao longo da temporada. Conseguimos classificar para o Super 8, fomos semifinalistas e agora estamos no G4. É uma crescente que nós buscávamos, mas que sabemos que ainda há um lastro grande de crescimento. Fomos capazes de vencer os atuais líderes, em um jogo de mando deles, isso além de outros grandes resultados que conseguimos. Com a experiência individual em playoffs que nós temos, acho que já nos credencia a uma briga por título, sim.

BTD: Você é o único armador de ofício no Minas. Como vê sua participação na temporada, mesmo com essa “escassez” de armadores?

Davi: Quando vim para o Minas, a comissão técnica deixou muito clara qual seria a minha função dentro da equipe, o que esperavam de mim. Embora a equipe não tenha tantos armadores de ofício, o sistema do Leo Costa permite que não apenas eu seja o responsável pela armação. Acredito sempre que possa contribuir mais, mas dentro do planejado no início, tem sido uma ótima temporada individualmente.

BTD: O Minas chegou a jogar uma partida antes de portões fechados antes da suspensão do NBB. Você acha que a liga demorou a ter essa decisão? Concorda com a suspensão? Como vocês, jogadores, lidaram com isso?

Davi: Acredito que a liga agiu acertadamente. Houve muita comparação com outras ligas fora do país que já haviam suspendido as competições, mas são realidades diferentes, estágios de contaminação diferentes, e uma decisão difícil por conta de logística das próprias equipes. Nós, jogadores, estávamos receosos, principalmente por conta dos deslocamentos.

BTD: A Caixa encerrou o patrocínio máster com o NBB, e a liga agora corre atrás de novo parceiro. Como o jogador recebe essa notícia? Dá um certo receio do campeonato ficar prejudicado ou até com dificuldade de disputa?

Davi: Somos muito gratos à Caixa por todo o incentivo e por ter realmente permitido a Liga Nacional de Basquete ter mudado de patamar, ter se tornado um produto atrativo. Foram inúmeras melhorias desde o início da parceria, e isso aumenta a credibilidade da instituição. Certamente facilitará no processo de captação por novos patrocinadores. Não tenho dúvidas que o campeonato seguirá crescendo.