#JOGAJUNTO

Mais basquete / Seleção Brasileira

Janeth noHall da Fama

30-08-2019 | 04:49
Por Liga Nacional de Basquete

Campeã mundial com a Seleção Brasileira, Janeth recebe homenagem na cerimônia de abertura da Copa do Mundo na China e entra oficialmente para o Hall da Fama

Para um jogador (a) se tornar ídolo ou lenda dentro do basquete é algo extremamente difícil. O caminho, normalmente, vem recheado de obstáculos e desafios, mas, entre tantos, alguns conseguem alcançar esse posto tão alto dentro do esporte. Esse é o caso de Janeth Arcaim, uma das grandes atletas da história do basquete feminino brasileiro.

Nesta sexta-feira (30/08), durante a cerimônia de abertura da Copa do Mundo, em Pequim, Janeth entrou oficialmente para o Hall da Fama do Basquete da FIBA, na classe de 2019.

Com a honraria, a jogadora agora se une a outros cinco nomes do basquete nacional que figuram no Hall da Fama da FIBA; são eles (a): Amaury Pasos, Ubiratan, Oscar Schmidt, Hortência e Magic Paula.

+ Seleção Brasileira estreia na Copa do Mundo da China neste domingo 

Janeth é a sexta brasileira a entrar para o Hall da Fama da FIBA (FIBA/Divulgação)

Aos 50 anos, Janeth teve uma carreira vitoriosa e fez história por onde passou. Na Seleção Brasileira, o currículo da ex-jogadora é extenso. Ao todo, foram duas medalhas olímpicas (prata em Atlanta, em 1996, e bronze em Sydney, em 2000), duas medalhas em Pan-Americanos (um ouro em Havana, em 1991, e uma prata no Rio de Janeiro, em 2007), além da conquista do Mundial da Austrália, em 1994.

A ex-jogadora ainda detém outra marca expressiva com a camisa verde e amarela: é a terceira maior cestinha do Brasil, com 2.247 pontos convertidos em 138 jogos oficiais – média 16,2 pontos por jogo.

Entre tantas conquistas, Janeth possui um título Mundial e duas medalhas olímpicas pela Seleção Brasileira (Divulgação/A Tarde)

Além disso, Janeth fez história na maior liga norte-americana de basquete, a WNBA. Por lá defendeu o Houston Comets, onde conquistou quatro títulos da competição no período em que ficou na equipe texana (de 1997 até 2005).  Até hoje, a brasileira é a estrangeira com mais anéis de campeã da liga norte-americana.

+ Seleção vai ao mundial com maior número de atletas do NBB CAIXA na história

Janeth também já faz parte do Hall da Fama do Basketball (entrou em 2015), que é exclusivamente ligado ao basquete feminino, sediado em Knoxville, no estado do Tennessee.

Por meio de suas redes sociais, Janeth fez uma declaração emocionante sobre a conquista. Nela, a jogadora comentou como o caminho até este momento foi árduo, além de agradecer aos amigos e a família, especialmente a mãe, a dona Rita.

Dá uma conferia na homenagem:

 

Ver essa foto no Instagram

 

O sonho alimenta a alma e o esporte quando bem direcionado nos permite encontrar caminhos gloriosos. Este é um momento único e grandioso para mim. Vim de uma familia probre do suburbio de São Paulo, sem muita perspectiva e foi o basquetebol que transformou minha vida. Trabalhei duro, muito duro. Abri mão de muita coisa nesta vida, mas meu sonho me alimentava, me impulsionava a ser melhor a cada instante. O basquetebol me deu o mais importante de tudo, os meus bons valores, como disciplina, responsabilidade, dedicação, respeito, superação, trabalho em equipe e fair play. Eu agradeço a minha mãe Rita por ter acreditado em meus sonhos e me apoiado a cada decisão. Agradeço aos amigos, técnicos, professores, companheiras de equipe e fans por me apoiarem em todos os momentos da minha carreia. Agradeço tbem a todas as milhares de crianças e jovens que por meio do meu Instituto acreditam no poder transformador do esporte. E por fim, porém não menos importante agradeço a @fiba pelo reconhecimento e por me fazer estar com os melhores atletas do mundo no Hall da Fama! 🏆🏀 Dreams nourish the soul and sport may take us to glorious paths. This is a unique and magnificent moment to me. I came from a poor family background, with no great expectations, but basketball transformed my life. I worked hard, really hard. I gave up on so much, but my dream always fed me and urged me to be better at every moment. Basketball gave me all that matters most – my values, such as discipline, responsibility, dedication, respect, overcoming difficulties, teamwork and fair play. I’m grateful to my mother Rita for believing in my dreams and supporting me in every decision. I also thank my friends, coaches, teachers, teammates and fans for supporting me at all times in my career. And I deeply thank the thousands of children and youngsters who experienced and embraced the transformative power of sport through my Institute. And last but not least, I would like thank FIBA for the recognition and for allowing me to be with the best athletes in the world in the Hall of Fame.🏀🏆

Uma publicação compartilhada por Janeth Arcain (@janetharcain) em

Oscar também marcou presença na cerimônia

Quem também esteve presente na cerimônia  foi outra lenda do basquete brasileiro: Oscar Schmidt. Homenageado, o ex-jogador discursou e declarou todo o seu amor pelo Brasil, que o fez recusar a oportunidade jogar na NBA.

Além disso, o ex-jogador da Seleção também exaltou a entrada de Janeth no Hall da Fama do Basquete FIBA.

Veja o discurso completo (em inglês) de Oscar durante a cerimônia:

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Oscar Schmidt (@oscarschmidt14) em