#JOGAJUNTO

NBB

O mais vitorioso

08-04-2014 | 09:07
Por Liga Nacional de Basquete

Guerrinha, do Bauru, inicia série contra Basquete Cearense como técnico mais vitorioso da história da 1ª fase do NBB: veja tudo sobre o duelo das oitavas de final

Paschoalotto/Bauru e SKY/Basquete Cearense encerraram a fase de classificação do NBB6 muito próximos na tabela, na oitava e nona posição, respectivamente. Agora, as duas equipes decidirão nas oitavas de final quem irá mais longe no campeonato.

Além de toda disputa que envolverá o confronto, um dos atrativos da série é a participação do técnico do Bauru, Guerrinha, o mais vitorioso da histórias das primeiras fases do NBB.

Confira abaixo todas as informações e curiosidades sobre o confronto entre Bauru e Basquete Cearense:

Com 106 vitórias, Guerrinha ultrapassou Hélio Rubens e se tornou o técnico com o maior número de triunfos na história do NBB (Caio Casagrande/Bauru Basket)

Com 106 vitórias, Guerrinha ultrapassou Hélio Rubens e se tornou o técnico com o maior número de triunfos na história das fases de classificação do NBB (Caio Casagrande/Bauru Basket)

O mais vitorioso
Na fase de classificação do NBB6, Guerrinha, do Bauru, se tornou o técnico mais vitorioso da história das primeiras fases do maior campeonato de basquete do país. Com 176 jogos e 106 vitórias (60,2% de aproveitamento), Jorge Guerra ultrapassou o até então líder em vitórias Hélio Rubens, ex-Uberlândia, com 155 jogos e 97 vitórias (62,5% de aproveitamento). Quem aparece em terceiro nesta lista, é Claudio Mortari, do Pinheiros, com 148 jogos e 93 vitórias (62,8% de aproveitamento).

Iguais
Bauru e Basquete Cearense já se enfrentaram quatro vezes em confrontos válidos pelo NBB. São duas vitórias para cada lado. Três destes jogos foram decididos no máximo por seis pontos. Agora resta saber qual time levará vantagem ao final desta série.

Fator casa
Nesses quatro jogos entre Bauru e Basquete Cearense na história do NBB, quem jogou em casa, levou a melhor.

Felipe Ribeiro pode ser o oitavo jogador a completar 1.000 rebotes na história do NBB (João Pires/LNB)

Capitão do Basquete Cearense, Felipe Ribeiro foi o 5º maior reboteiro da 1ª fase do NBB6 (João Pires/LNB)

Chefes do garrafão
As duas equipes estão bem representadas com seus homens de garrafão. O ala/pivô Felipe Ribeiro, do Basquete Cearense, foi o quinto melhor reboteiro do NBB6, com 7,9 sobras por jogo em média. Já por Bauru, quem apresenta bons números é o pivô Murilo Becker, nono melhor do ranking, com 6,9 rebotes em média.

Repetir
Nas oitavas do ano passado, pela primeira vez na história do NBB, um time que terminou na nona (Paulistano) posição venceu a série contra o oitavo. E justamente o Basquete Cearense foi o time derrotado. Neste ano, os nordestinos tentam repetidor o feito do Paulistano no ano passado, desta vez estando do lado do time vencedor.

Rei das varridas
Nas três edições do NBB em que o Bauru disputou uma série de oitavas de final, em todas o time bauruense varreu seus oponentes. Foi assim no NBB2 contra o Assis, no NBB3 contra o Paulistano e no NBB4 contra a Liga Sorocabana. No NBB1, também teve varrida em confronto envolvendo o Bauru, só que desta vez desfavorável para o time do interior de São Paulo, contra o Minas. Porém o regulamento do campeonato era diferente, e as Finas do NBB já começam nas quartas de final.

Precisa melhorar
Um ponto que os comandados pelo técnico Alberto Bial precisam melhorar são os resultados fora de casa. Na série do ano passado, contra o Paulistano, o time cearense não conseguiu vencer nenhum jogo fora do Ginásio Paulo Sarasate (Derrotas de 95 a 74 89 a 85)

O histórico não ajuda
O Basquete Cearense saiu de quadra derrotado nas últimas quatro partidas em que vez fora de casa na atual temporada do NBB, uma delas para o próprio Bauru, no Ginásio Panela de Pressão, palco dos dois primeiros jogos da série oitavas de final, por 83 a 77.

Problemas com o interior de São Paulo
O Basquete Cearense sofreu nos jogos contra os times do interior de São Paulo. Nos seis jogos to time cearense no interior paulista, foram cinco derrotas (vitória apenas contra São José).

Comandam em casa
Os dois times vão muito bem quando atuam em casa. O Bauru terminou a fase de classificação do NBB6 com cinco vitórias seguidas em casa. Já o Basquete Cearense do lado de seu torcedor é quase garantia de sucesso. Nos últimos 10 jogos no Estado do Ceará, o time cearense saiu com a vitória em nove.

A expectativa é que o Ginásio Panela de Pressão esteja lotado para este quinto e decisivo jogo da série quartas de final (Leandro Mello/Divulgação)

O fator casa é determinante no duelo entre Bauru e Basquete Cearense no NBB  (Leandro Mello/Divulgação)

Mal fora, impecável dentro
O Basquete Cearense é o segundo time que faz menos bolas para três pontos no NBB6, com média de apenas 6,3 tiros longos por jogo. Por outro lado, é o time que faz mais cestas para dois pontos, 22,5 cestas por jogo.

Passa pra cá
O Basquete Cearense terminou a fase de classificação do NBB com média de 10,4 roubos por jogo, melhor time no quesito.

O cara

Larry Taylor e oitavas de final são sinônimos de coisas boas para Bauru. Nos nove jogos que o armador disputou nas oitavas até agora na história do NBB, são 18,8 pontos de média e nenhuma derrota.

Murilo enfrentará o São José pela primeira vez no NBB desde que saiu de lá (João Pires/LNB)

Murilo é o jogador que mais pegou rebotes, o que mais deu tocos e o que mais anotou duplos-duplos na história das Finais do NBB (João Pires/LNB)

Monstro
Outro jogador do Bauru que aumenta suas médias em jogos de playoffs, é o pivô Murilo Becker. O camisa 21 da equipe bauruense possui grandes números em vários quesitos nas Finas do NBB:

– Terceiro maior cestinha (19,2 pontos por jogo);
– Líder em rebotes (390);
– Líder em tocos (44);
– Líder em duplos-duplos (15);
– Segundo maior em eficiência (21,5)

Além destes números, Murilo ainda detém o recorde de mais bolas para dois pontos em um jogo nos playoffs do NBB.  Na semifinal do NBB4, quando atuava pelo São José, Murilo acertou 12 arremessos para dois pontos contra o Flamengo.

Falhou
O Basquete Cearense terminou a fase de classificação do NBB com média de 77,2 pontos por jogo, quinto pior ataque do campeonato.

Bons perto da cesta
Os representantes da Região Nordeste, no entanto, fechou a Fase de Classificação do NBB como o quarto melhor time em rebotes, foram 36,3 sobras em média, por jogo.

 

Confira as datas e os horários das partidas da série oitavas de final entre Bauru e Basquete Cearense:

Jogo 1 – 09/04 (quarta-feira), às 20 horas – Ginásio Panela de Pressão, em Bauru

Jogo 2 – 11/04 (sexta-feira), às 21h30 – Ginásio Panela de Pressão, em Bauru (ao vivo no SporTV)

Jogo 3 – 14/04 (segunda-feira), às 19 horas – Ginásio UNIFOR, em Fortaleza (ao vivo no SporTV)

Jogo 4* – 16/04 (quarta-feira), às 20 horas – Ginásio UNIFOR, em Fortaleza

Jogo 5* – 20/04 (domingo), às 20 horas – Ginásio Panela de Pressão, em Bauru (ao vivo no SporTV)