#JOGAJUNTO

NBB

Raio X – Uberlândia x Tijuca

12-04-2012 | 04:06
Por Liga Nacional de Basquete

Confira as principais informações das equipes de Uberlândia e Tijuca, que se enfrentam nas oitavas de final do NBB

Quinto colocado na fase de classificação, o Unitri/Universo encara o Tijuca/Rio de Janeiro na primeira rodada dos playoffs tentando espantar de vez as lesões. A equipe mineira chegou a liderar o campeonato no primeiro turno, mas com a baixa de Valtinho caiu de rendimento. Mesmo assim, a equipe garantiu a quinta colocação e o mando de quadra nas oitavas de final. Já o Tijuca, que disputa a primeira temporada no NBB, conseguiu a classificação na última rodada e espera surpreender o adversário.

Uberlândia x Tijuca

Unitri/Universo – 18 vitórias e 10 derrotas (5º colocado)

Time base: Valtinho, Collum, Day, Gruber e Leo Waskiewics

Ponto forte: Arremessos de 3 pontos

Com artilharia pesada dos 3 pontos, Uberlândia é a segunda equipe do NBB que mais converte arremessos de longa distância, 8,7 por partida, e o segunda em aproveitamento, com média de 38,9%.

Collum, do Uberlândia

(João Pires/LNB)

Ponto fraco: Lesões

Cérebro da equipe, o armador Valtinho sofreu uma lesão no pé durante a temporada e, sem ele, a equipe perdeu posições na tabela. O camisa 9 retornou mas está longe dos 100% das condições físicas e sofre com as dores. Outra importante peça, o ala Luis Gruber, se lesionou na disputa do Interligas e desfalcou a equipe nos dois últimos jogos.

Destaque individual: Robby Collum
Sem Valtinho, Robby Collum assumiu a responsabilidade de comandar a equipe, por muitas vezes atuando como armador. O norte-americano, além de liderar a equipe em assistências, com 5,2 por partida, também é o cestinha, com média de 17,3 pontos.

6º homem: Cipolini

Explosivo, o ala/pivô é responsável por trazer energia vindo do banco de reservas. Além de pontuar em arremessos de média distância, Cipolini também é responsável por belas enterradas durante as partidas. Suas médias na temporada são de 11,1 pontos e 4,0 rebotes.

Tijuca/Rio de Janeiro – 9 vitórias e 19 derrotas (12º colocado)

Time base: Gegê, Manteguinha, Diego Conceição, Fernando Mineiro e Rodrigo Bahia

Ponto forte: Conjunto

O técnico Miguel Ângelo da Luz tem em seu elenco peças para armar a equipe de diferentes maneiras, de acordo com o adversário e o andamento da partida. Ao todo são nove jogadores com média superior a 15 minutos por jogo e apenas Manteguinha (33,6 minutos) fica em quadra por mais de 30.

Manteguinha, do Tijuca

(João Pires/LNB)

Ponto fraco: Arremessos de 3 pontos

A equipe do Tijuca é a segunda pior em aproveitamento nos arremessos de longa distância, com 31,9%, e é a terceira pior em número de acertos por jogo, com média de 5,8 conversões.

Destaque individual: Manteguinha

Contratado nesta temporada para o ser o líder da equipe, Manteguinha é o cestinha tijucano na temporada, com média de 10,9 pontos por jogo, e também lidera a equipe em assistências, 3,0, e aproveitamento de 3 pontos, 38,5%.

6º homem: Casé

Titular no início da temporada, Casé se tornou uma das boas opções de Miguel Ângelo da Luz no banco de reservas da equipe. Atlético, o ala/pivô acumula médias de 8,0 pontos e 4,8 rebotes.

Datas dos confrontos:

14/04 (Sábado)
18h – Tijuca/Rio de Janeiro x Unitri/Universo

18/04 (Quarta-feira)
20h – Unitri/Universo x Tijuca/Rio de Janeiro

20/04 (Sexta-feira)
19h – Unitri/Universo x Tijuca/Rio de Janeiro

23/04 (Segunda-feira)*
19h – Tijuca/Rio de Janeiro x Unitri/Universo

25/04 (Quarta-feira)*
20h – Unitri/Universo x Tijuca/Rio de Janeiro

*Se necessário