#JOGAJUNTO

NBB

Sem dores e voando

31-01-2012 | 12:48
Por Liga Nacional de Basquete

Cestinha, reboteiro e jogador mais eficiente do NBB, Murilo se livra das lesões e ajuda São José a figurar no pelotão de elite na temporada 2011/2012

A temporada 2011/2012 pode ser considera como um “recomeço” para uma das principais estrelas do basquete brasileiro. Livre de uma lesão no púbis que o incomodou durante praticamente toda a temporada passada e o tirou de quase metade das partidas da equipe do São José/Unimed/Vinac, o pivô comanda o time do interior paulista, que ocupa a quinta colocação, e lidera o campeonato em três fundamentos: pontos, rebotes e tocos.

Na última temporada regular, Murilo esteve em quadra 16 vezes e atuou por 26,4 minutos em cada confronto, até que uma pubalgia o afastou de praticamente todo o segundo turno, retornando apenas para os playoffs e no sacrifício. Uma cirurgia após o final da competição livrou o pivô das incômodas dores e, o jogador participou de todos os compromissos da equipe até agora no NBB 2011/2012, igualando o número de 16 jogos da temporada anterior. Porém, com uma média por partida quase cinco minutos maior, 31,6 por embate.

Saudável e com mais tempo de quadra, Murilo assumiu o posto de cestinha do campeonato, com média de 21,6 pontos por partida, contra 19,6 no ano passado. Ele é o líder também em rebotes, com 10,4 por partida, 3,1 a mais comparado ao último NBB. De quebra, o gigante de 2,11m de altura dobrou suas médias de tocos, alcançando 1,4 – fundamento em que também lidera o NBB – e roubos de bola, chegando a 1,8 por jogo. Os números rendem ao jogador o posto de mais eficiente do NBB, com média de 26,8.

Murilo, do São José

Murilo, do São José

“Ano passado foi complicado para mim. Tinha a lesão no púbis que me incomodava bastante e eu não conseguia treinar muito. Depois fiz a cirurgia, voltei a jogar no meio do Paulista dessa temporada e consegui uma boa sequência”, explicou o pivô, que garante estar 100% livre das dores.

Junto com o crescimento de Murilo, São José também evoluiu de uma temporada para outra. Em 2010/2011, a equipe terminou a fase de classificação em oitavo lugar, com um aproveitamento de 53,6%. Hoje a equipe está em quinto, com um aproveitamento de 68,7%. Na produção ofensiva, São José saltou de 80,0 pontos por jogo para 87,9.

O destaque nos números individuais, aliado a melhora coletiva coloca Murilo como um dos fortes candidatos ao prêmio de MVP. Apesar disso, o pivô mantém a humildade e o foco de buscar o título.

“Seria um título individual muito bacana, mas não me preocupa muito ser o MVP ou o cestinha. Quero mesmo é ser campeão. Troco todos os prêmios individuais pelo título do NBB”, declarou.

O desempenho de Murilo arrancou elogios do técnico Régis Marrelli, que o citou como “o melhor pivô em atividade no Brasil”.

“Ele arremessa de três, de dois, sabe jogar de costas para a cesta, é muito coordenado e rápido pra posição dele. Geralmente os pivôs não são tão rápidos quanto ele”, comentou.

A boa temporada vivida em São José já faz Murilo pensar em um sonho: jogar as Olimpíadas de Londres 2012. Em 2011, recém-operado, ele não foi convocado pro Rubén Magnano para a disputa do Pré-Olímpico, mas isso não tira a confiança do pivô.

“Estou trabalhando duro para alcançar esse objetivo. Eu acho que as coisas boas vêm na hora certa. Ano passado eu não estava pronto, estava me recuperando da cirurgia. Mas acho que dá pra pensar em ser convocado sim, pelo trabalho que eu venho fazendo. Pelo menos pensar no meu nome acho que ele [Magnano] vai pensar”, disse Murilo.

Confira a evolução de Murilo: