Estar em desvantagem desde o primeiro lance do confronto não foi suficiente para desanimar o Paschoalotto/Bauru, que não desistiu do jogo em momento algum, conseguiu a virada nos minutos finais e superou o líder da fase de classificação, Flamengo, fora de casa, no Ginásio Tijuca Tênis Clube, pelo placar de 74 a 70, e abriu 1 a 0 na série quartas de final do NBB 2013/2014.

Um dos grandes responsáveis pelo heroico triunfo bauruense, o ala Fernando Fischer era dúvida para a partida por ainda estar se recuperando de dores no nervo ciático. Porém, o camisa 14 do Bauru mostrou que a lesão não era problema e saiu do banco para ser o cestinha do duelo, com 22 pontos, sendo 18 deles vindos de seis bolas de 3 pontos em nove tentadas (66,7% de aproveitamento).

Ao lado do experiente ala de 32 anos, os outros destaques do time paulista no duelo foram o pivô Murilo Becker, autor de um duplo-duplo de 13 pontos e 11 rebotes, seguido por Larry Taylor, também com 13  pontos, todos eles no segundo tempo, e do jovem armador Ricardo Fischer, que ficou próximo de um triplo-duplo ao registrar 10 pontos, nove assistências e sete rebotes.

As duas equipes voltam a se enfrentar pelas quartas de final do NBB já nesta segunda-feira (28/04), novamente no Ginásio Tijuca Tênis Clube, no Rio de Janeiro (RJ), às 20 horas (de Brasília). Depois da segunda partida, a série se transfere para o interior paulista, onde os dois times medirão forças no próximo sábado (03/05) e na segunda-feira (05/05), ambos com transmissão ao vivo através dos canais SporTV.

“Lutamos o jogo inteiro e sabíamos que só assim teríamos chances de ganhar. Nossas bolas caíram no final e conseguimos abrir 1 a 0 na série. Ainda podemos melhorar, tanto na defesa como no ataque. Jogamos bem, mas cometemos muitos erros. Vamos corrigi-los para voltarmos ainda melhores na segunda-feira”, comentou Larry Taylor.

Pelo lado do Flamengo, os maiores pontuadores foram Marcelinho Machado, responsável por 16 pontos, o pivô norte-americano Meyinsse, autor de 15 pontos e 12 rebotes, um duplo-duplo, além de Marquinhos, com 14 pontos, e Olivinha, com 11 pontos, sendo nove deles no primeiro quarto.

O início do confronto foi marcado pela alta velocidade de jogo das duas equipes, embora as defesas estivessem levando vantagem sobre os ataques. Apesar deste cenário, o Flamengo conseguiu largar na frente através de grande participação do ala/pivô Olivinha, autor de nove dos oito primeiros pontos dos donos da casa no duelo (10 a 3). A partida seguiu bastante movimentada, e os cariocas seguiram em vantagem, que ao final do primeiro quarto, terminou em 11 pontos, placar de 21 a 10.

O Bauru voltou para o segundo quarto com outra pegada e, através da mão quente do ala Fernando Fischer, autor de três bolas de 3 pontos, a equipe paulista emplacou uma sequência de 12 a 3 e reduziu a diferença para apenas dois pontos (24 a 22). Os rubro-negros chegaram a se distanciar novamente (28 a 22), mas o time do interior do Estado de São Paulo logo se recuperou e o duelo seguiu este roteiro até seus minutos finais. Através dos lances livres, o Flamengo deu um ‘sprint final’ nos últimos minutos da parcial e foi para os vestiários vencendo, por 35 a 30.

Com tamanha disposição, os bauruenses foram com tudo pra cima do Flamengo e, sob o comando do ‘impossível’ Larry Taylor, a equipe dirigida pelo técnico Guerrinha chegou a empatar a partida e colocar fogo no jogo (39 a 39). Com uma rápida resposta de Marcelinho Machado, autor de uma bola de 3 pontos, os donos da casa voltaram a ficar com a ponta do placar (42 a 39), mas sempre perseguidos de perto pelo Bauru. Mas, assim como no período anterior, os comandados de José Neto realizaram uma corrida no minuto final e caminharam para último quarto com sete pontos de frente, placar de 56 a 49.

Através de um jogo de transição muito rápido, os paulistas começaram o período final fazendo os cinco pontos seguidos e reduzindo a frente rubro-negra para apenas dois pontos (56 a 54). Porém, os rubro-negros tornaram a se distanciar ao anotar seis pontos de maneira consecutiva, dois deles numa bela ponte aérea entre Laprovittola e Meyinsse (62 a 54). Mas logo em seguida, foi a vez do Bauru emplacar uma sequência arrasadora e, com duas bolas de 3 pontos – uma de Fernando Fischer e uma de Barrios –, a equipe do Estado de São Paulo fez 11 a 3 e empatou a partida, com menos de três minutos por jogar (65 a 65).

No ataque seguinte, Marcelinho Machado tratou de colocar o Flamengo em vantagem, novamente através de sua especialidade, que é a bola de 3 pontos (68 a 65). Depois de um lance livre convertido por Murilo na posse bauruense (68 a 66), os cariocas desperdiçaram seu ataque e deram a chance dos adversários passarem à frente em caso de um tiro de 3. E foi exatamente o que aconteceu. Em rápido contra ataque, o “alienígena” Larry Taylor acertou um belo arremesso de longa distância e deixou o Bauru em vantagem pela primeira vez no duelo (69 a 68).

Assim como no ataque anterior, o Flamengo não conseguiu obter sucesso em sua finalização e os comandados do técnico Guerrinha tiveram novamente a chance de pontuar. Da mesma maneira, com uma bola de 3 pontos, os bauruenses ampliaram a diferença para quatro pontos depois de tiro certeiro de Fernando Fischer, com menos de dois minutos por jogar (72 a 68). Com tiro de dois pontos rápido de Marcelinho, os rubro-negros reduziram a frente adversária para dois pontos, porém, novamente não aproveitaram o posterior erro de Larry Taylor no ataque para empatar o jogo e permitiram a bola fácil do Bauru no  contra ataque, bola que fechou a partida com chave de ouro para os paulistas (74 a 70).