#JOGAJUNTO

Mais basquete / NBB CAIXA

De cabeça erguida

15-03-2015 | 08:09
Por Liga Nacional de Basquete

Com grande atuação de Laprovittola, Flamengo vence Peñarol com tranquilidade e fica com o terceiro lugar da Liga das Américas 2015

O Flamengo se despediu da Liga das Américas 2015 com a cabeça erguida e a medalha de bronze no peito. Depois da dura derrota na semifinal diante do Pioneros de Quintana Roo (MEX), a equipe carioca voltou à quadra neste domingo para a disputa do terceiro lugar e conquistou uma tranquila vitória sobre o Peñarol de Mar del Plata, da Argentina, pelo placar de 97 a 81.

Com o controle do placar desde o início, os rubro-negros conseguiram dominar o time argentino durante os 40 minutos. Em algumas oportunidades, os “hermanos” até chegaram a encostar, mas os brasileiros se comportaram muito bem e, com rápidas respostas às reações dosa rivais, conquistaram o tranquilo triunfo para garantir o terceiro posto do principal torneio interclubes do continente.

O grande destaque da vitória flamenguista ficou por conta do armador Nico Laprovittola, que deixou a quadra com expressivos 24 pontos, nove assistências e cinco roubos de bola. Perfeito na linha dos lances livres (12/12), o ala/armador Victor Benite foi outro bom nome da equipe, também com 24 pontos, assim como o ala/pivô Herrmann, autor de 15 pontos.

+ Clique aqui e confira as estatísticas completas do duelo entre Flamengo e Peñarol (ARG)

“Hoje (domingo) era uma partida importante para o Flamengo. Ontem não consgeuimos o que queríamos, mas hoje era outro jogo e tínhamos que vencer jogando bem. Acho que conseguimos fazer um bom jogo e a gente merecia isso por tudo que estamos fazendo”, disse Laprovittola.

Depois da disputa do Final Four da Liga das Américas 2015, o Flamengo volta suas atenções à disputa do NBB 7. Na próxima quinta-feira, a equipe irá até a cidade de Fortaleza para enfrentar o Basquete Cearense e, dois dias depois, fará o clássico dos campeões contra o UniCEUB/BRB/Brasília, na capital federal. Até o momento, a equipe carioca se encontra na quinta posição do campeonato nacional, com 40 pontos ganhos.

“Agora temos que zerar a cabeça e esquecer o que passou. O NBB está na reta final e temos que estar muito concentrados. Quinta-feira vamos jogar contra o Basquete Cearense, que é uma equipe que está em um grande momento e temos que impor o nosso jogo”, afirmou o armador argentino, ao lembrar que a equipe de Fortaleza venceu quatro de seus últimos seis jogos.

O jogo

O começo do Flamengo foi arrasador. Com grandes atuações dos argentinos Laprovittola e Herrmann, o time carioca não demorou a abrir vantagem e conseguiu em quatro minutos abrir nove pontos de diferença (16 a 7). Depois do início ruim, o Peñarol passou a atuar em um nível melhor, mas não o suficiente para desbancar a tranquila vantagem rubro-negra. Ainda com sua dupla de “hermanos” comandando as ações ofensivas – juntos, Laprovittola e Herrmann marcaram 20 pontos no primeiro quarto –, o clube brasileiro fechou a parcial inicial com oito pontos de vantagem (31 a 23).

A melhora do time de Mar de Plata se ratificou no segundo período. Com uma defesa muito forte, o Peñarol impôs muitas dificuldades para o Flamengo pontuar e ainda teve caminho livre para contra-atacar, principalmente com Massarelli e Dowell, ambos vindos do banco de reservas. Desta maneira, a equipe dirigida não só diminuiu a diferença no marcador como também chegou a ficar pela primeira vez em vantagem (36 a 35).

Sem se abalar com a virada dos argentinos, o Flamengo conseguiu retomar a ponta do marcador ainda antes da pausa para o intervalo. Com ataques mais paciência em suas movimentações ofensivas, a equipe rubro-negra voltou a ter uma boa produção e, após marcar 15 pontos nos quatro minutos finais do quarto, partiu para o intervalo com sete pontos de frente (50 a 43).

Na volta dos vestiários, o Peñarol tornou a se aproveitar de erros do Flamengo para contra-atacar e baixou a diferença no placar para dois pontos (52 a 50). Porém novamente a resposta dos brasileiros foi rápida. Marquinhos converteu duas bolas de três pontos seguidas, Benite e Laprovittola apareceram bem e “num piscar de olhos” os rubro-negros deslancharam. Então, depois de marcar expressivos 22 pontos contra apenas sete dos rivais, o esquadrão da Gávea partiu para o período final com tranquilos 15 pontos de frente (74 a 57).

Os dez minutos finais em nada alteraram o roteiro do jogo. Com o trio Laprovittola, Benite e Herrmann muito bem, a equipe rubro-negra seguiu tranquila no domínio da partida e garantiu a vitória diante dos argentinos com tranquilidade para alegria de sua torcida que compareceu em bom número ao Maracanãzinho.