#JOGAJUNTO

NBB CAIXA

Novo time,NovaFunção

05-10-2016 | 05:51
Por Liga Nacional de Basquete

Reforço para o NBB CAIXA 2016/2017, Gruber fala sobre ser usado na posição 3 no Basquete Cearense e projeta expectativas para temporada

Gruber, do Basquete Cearense

Em novo time, Gruber passará a atuar na posição 3, preferência do técnico Alberto Bial, do Basquete Cearense (Stephan Eilert/Basquete Cearense)

Uma das principais contratações do período de baixa temporada, Gruber se adaptará a uma nova posição em seu novo time, o Solar Cearense. Acostumado a atuar na posição 4, como ala/pivô, o atleta deverá jogar na posição 3, como ala, na próxima edição do NBB CAIXA, segundo Alberto Bial, técnico da equipe nordestina.

“O Gruber veio para preencher uma lacuna do nosso time na posição 3, na qual ele nunca jogou no Brasil. Além disto, ele tem um domínio dos principais fundamentos desta posição, como o arremesso, o bom drible e a infiltração, e também tem uma boa leitura e uma inteligência emocional muito superior a grande maioria dos jogadores”, comentou Bial

Com seis edições de experiência no NBB CAIXA, Gruber sempre atuou como ala/pivô no Brasil e a posição rendeu ótimas temporadas para o atleta. Porém, a nova função não é novidade para o jogador. Entre 2005 e 2010, Gruber atuou no basquetebol espanhol e, em grande parte do tempo, jogou na posição 3.

“Eu joguei na Europa, passei muito tempo lá e atuei na maioria do tempo na posição 3. Eu conversei com o Bial antes de vir para cá, ele me falou sobre esta opção e eu aceitei. É um desafio novo, eu estou há muito tempo jogando na posição 4, mas acho que a cada dia eu vou melhorando e vou estar pronto para o que o Bial precisar”, comentou o novo atleta do Basquete Cearense.

Na edição passada do NBB CAIXA, atuando pelo Paulistano/Corpore, Gruber manteve a regularidade demonstrada nas temporadas anteriores, quando vestiu o uniforme do Joinville (2010/2011) e do Uberlândia (2011/2012 a 2014/2015). Nas 32 partidas que fez com a equipe da capital paulista, o atleta teve médias de 10,6 pontos, 4,3 rebotes e 10,2 de eficiência.

Gruber, do Paulistano

Na temporada passada, Gruber defendeu o Paulistano e teve boas médias, com 10,6 pontos e 4,3 rebotes por partida (Ale da Costa/Portrait)

A mesma temporada passada foi de campanha histórica para o Basquete Cearense. Pela primeira vez na história do NBB CAIXA, a equipe nordestina fez uma campanha de G-4 na fase de classificação (quarto colocado) e, com isso, avançou automaticamente as quartas de final da competição. Na série melhor de cinco jogos, o time cearense enfrentou o Mogi das Cruzes/Helbor e acabou eliminado, por 3 a 1.

“Eu acredito que temos time para chegar a semifinal e esta é a ideia da equipe, superar o ano passado. Quando nos reunimos, os jogadores comentaram sobre a eliminação para o Mogi, mas acho que todos já superaram e bola para frente, temos que aprender com os erros. Eu também tive uma dura eliminação com o Paulistano diante do Brasília e eu cheguei aqui para somar e agregar a esta equipe”, destacou Gruber.