#JOGAJUNTO

NBB CAIXA

Que Jogo 500!

05-12-2010 | 04:14
Por Liga Nacional de Basquete

Jogando fora de casa, Pinheiros vence o Joinville, por 94 a 93, na prorrogação, em partida que celebrou a marca dos 500 Jogos do NBB

Neste domingo, a Liga Nacional de Basquete teve o orgulho de comemorar a marca dos 500 Jogos do NBB. E a partida que foi escolhida para essa comemoração não podia ter sido melhor. Jogando na casa do adversário, o Pinheiros/SKY venceu o Araldite/Univille, por 94 a 93, na prorrogação, e alcançou sua quarta vitória em cinco jogos na competição. O NBB é um campeonato organizado pela Liga Nacional de Basquete (LNB), em parceria com a Rede Globo e patrocínio da Eletrobras, Caixa e Penalty.

Os destaques da partida foram muitos. Pelo Pinheiros, o pivô Bruno Fiorotto anotou um duplo-duplo, de 28 pontos e 15 rebotes, assim como o ala/pivô Olivinha, que marcou 20 pontos e 14 rebotes. O ala Marquinhos também teve um ótimo desempenho, com 25 pontos. Pelo Joinville, o ala/armador Paulinho Boracini foi o cestinha com 29 pontos e o pivô Tiagão também marcou um duplo-duplo, 20 pontos e 15 rebotes.

“Sabíamos que seria um jogo bem difícil. E assim foi. O que prevaleceu, hoje, foi o conjunto do nosso time. Jogamos juntos até o final. Mérito da equipe”, afirmou o Olivinha. “Aqui no nosso time é assim, todo mundo fazendo o melhor e tentando ajudar o outro. E hoje, não foi diferente”, completou.

O time da casa começou com força total, apoiado pela torcida que lotou o ginásio Ivan Rodrigues. O ala/armador Paulinho Boracini comandou o ataque do Joinville, com 12 pontos no primeiro quarto, sendo o principal responsável pela liderança de seu time no início do jogo. No entanto, o Pinheiros explorou bem o jogo no garrafão com os pivôs Fiorotto e Olivinha, que juntos combinaram 19 pontos na etapa inicial, e mantiveram a partida equilibrada (25 a 25).

Equilíbrio foi a palavra do segundo quarto. As duas equipes trocaram a liderança no marcador durante todo o tempo. Paulinho continuou sendo o nome do Joinville, enquanto o armador argentino Juan Pablo Figueroa começou a aparecer pelo lado do Pinheiros. Com um arremesso de 2 pontos da zona morta no último segundo, o pivô Augusto deixou os catarinenses na frente, por 45 a 44, antes do intervalo.

A vantagem era pequena, mas foi importante para dar moral ao time da casa na sequência do jogo. Acertando os arremessos de fora, o Joinville conseguiu ampliar a vantagem. O pivô Tiagão acertou três bolas e o armador André mais duas para deixar a equipe mandante com sete pontos à frente no terceiro quarto (69 a 62).

Logo no primeiro lance do quarto período, Paulinho converteu mais um arremesso de 3 pontos (72 a 62) para levantar a torcida catarinense. Mas, aos poucos, o Pinheiros foi se recuperando na partida. O ala/pivô Olivinha e o pivô Fiorotto dominaram o garrafão e o time paulista empatou tudo (82 a 82).

Com 11 segundos no relógio, os paulistas tinham a posse de bola. O ala Marquinhos bateu para dentro do garrafão, subiu para a bandeja e sofreu falta. O número 11 do Pinheiros acertou ambos os lances livres (84 a 82). Com a posse de bola, o Joinville foi para o ataque, mas André recebeu a falta de Shamell logo na saída de bola. O armador também acertou os dois lances e a partida empatou em 84 a 84. Faltando nove segundos, o Pinheiros ainda teve o arremesso da vitória, mas Marquinhos não converteu.

Na prorrogação, Marquinhos e Bruno Fiorotto, do lado do Pinheiros, e Paulinho, pelo Joinville, chamaram a responsabilidade. Mas a dupla paulista teve mais força, anotando os 10 pontos da equipe no tempo extra e vencendo o confronto.