#JOGAJUNTO

NBB

Vice comorgulho

25-03-2018 | 11:36
Por Liga Nacional de Basquete

Mogi chega a abrir vantagem, faz grande jogo, mas é derrotado no fim pelo San Lorenzo na decisão da Liga das Américas

Foi uma grande partida e o Mogi das Cruzes/Helbor jogou de igual para igual, mas o título da Liga das Américas 2018 ficou com o San Lorenzo (ARG). Neste domingo, o time brasileiro foi derrotado pela equipe argentina na grande decisão, pelo placar 79 a 71, e ficou com o vice-campeonato do maior torneio interclubes do continente.

Valeu, Mogi! Esta foi a segunda participação do Mogi na Liga das Américas e em ambas chegou ao Final Four. Em sua primeira vez no torneio, em 2016, o time paulista ficou com o terceiro lugar, após vitória sobre o Flamengo na disputa pelo bronze.

Vice com orgulho: Mogi é a terceira equipe brasileira a se sagrar vice-campeã da Liga das Américas. As outras foram Bauru (2015) e Pinheiros (2013). O país tem quatro títulos – Brasília, Pinheiros, Flamengo e Bauru – é o mais vitorioso, ao lado da Argentina, que voltou a conquistar o torneio depois de sete anos.

Fala aí: “O vice-campeonato, em uma disputa de igual para igual, representando o Brasil dentro da Argentina. Temos de ter muito orgulho desses jogadores, que o tempo todo estão jogando na superação, com muita dedicação, muita alma e sendo verdadeiros guerreiros. Tenho certeza que ser o segundo melhor das Américas vai incentivar mais os empresários de Mogi e região para investir no time para a gente continuar esse legado dentro e fora da quadra. É um projeto muito lindo”, destaca o técnico Guerrinha.

Jogaram muito: Tyrone e Larry Taylor tiveram grandes atuações e marcaram 59,6% dos pontos do Mogi na partida (42). O ala/pivô foi o cestinha, com 22 pontos (9/19 nos arremessos de quadra), e ainda pegou cinco rebotes. Já o “Alienígena” protagonizou lindos lances individuais e totalizou 20 pontos (8/15), cinco rebotes e cinco assistências.

Fala aí: “O jogo foi muito bom. Graças a Deus chegamos até a final e representamos Mogi das Cruzes. A experiência foi muito boa para o Mogi e para o Brasil. Jogamos contra três times argentinos e ficamos em segundo. Isso é muito bom e a gente tem orgulho de representar o Brasil. Se Deus quiser, nós voltaremos aqui no próximo ano para disputar novamente. Agora, a gente vai mudar foco total para o NBB para tentar ser campeão”, disse Tyrone.

 

Deu trabalho: O ala/pivô Gabriel Deck foi o cestinha, com 22 pontos e ainda completou seu duplo-duplo com dez rebotes. Na reta final da partida, o jovem jogador de 22 anos anotou cestas em momentos importantes e foi eleito o MVP (Jogador Mais Valioso) da partida.

+ Clique aqui e confira as estatísticas completas da partida

Time forte: Dono de um poderoso elenco, o San Lorenzo teve vários destaques individuais. Dar Tucker marcou 15 pontos e também apareceu em horas decisivas. Já o armador Nico Aguirre registrou 11 pontos, nove rebotes e nove assistências, enquanto que o experiente ala Marcos Mata somou 11 pontos e oito rebotes.

Começo empolgante: Com grande aproveitamento ofensivo e Larry inspirado, a equipe brasileira dominou os minutos iniciais e chegou a ter 11 pontos de frente (23 a 12). No entanto, os argentinos reagiram ainda no primeiro quarto, com grande participação de Selem Safar e a diferença caiu para cinco pontos (25 a 20).

Lá e cá: No segundo quarto, o jogo ficou equilibrado e as duas equipes mostraram muita regularidade. O Mogi seguiu jogando em ritmo acelerado, só que do outro lado, o San Lorenzo teve um trabalho coletivo melhor e foi para o intervalo em vantagem (40 a 38).

Momento decisivo: O início do terceiro quarto foi todo do San Lorenzo. De forma arrasadora e com grande jogo coletivo, o time argentino aplicou uma sequência de 17 a 4 e abriu 15 pontos (57 a 42).

Foi buscar: Ainda no terceiro quarto, Mogi cortou a diferença para nove pontos (59 a 50). Depois, na parcial final, com um “smalball” – Larry, Filipin, Jimmy, Shamell e Tyrone –, o time brasileiro seguiu com boa movimentação ofensiva e virou o jogo após bola de 3 de Filipin (62 a 61), com seis minutos para o fim.

Não deu: Logo no lance seguinte, o San Lorenzo recuperou a liderança e não perdeu mais. Com boas movimentações ofensivas e bom aproveitamento nos lances livres, o time da casa foi dominante nos minutos finais e garantiu o inédito título ao lado de sua torcida.

Fala aí: “Foi uma luta constante. O time jogou muito bem ofensivamente no primeiro tempo, conseguindo trabalhar bem a rotação. Infelizmente, tivemos a contusão na panturrilha do Caio no início do jogo, o Wesley com 4 faltas e o Tyrone também, mas mesmo assim conseguimos levar o jogo de igual para igual e fomos administrando”, analisou o técnico Guerrinha.

“Ficamos um pouco atrás e não conseguimos jogar dentro das nossas características por conta de todos esses problemas, mas chegamos no final do jogo com chances de conquistar o título. Mas eles com um número maior de jogadores, mais descansados, alguns até com mais qualidades, a gente não conseguiu dar este título tão sonhado para a cidade de Mogi”, completou.

Teve que sair: Um dos destaques do Mogi das Cruzes/Helbor na semifinal, no dia anterior, o pivô Caio Torres sentiu uma contratura na panturrilha direita e deixou a partida com apenas 12 minutos de quadra .O atleta passará por exames, mas deve ficar fora por uma semana.

Fala aí: “O Caio sentiu a panturrilha direita no final do jogo contra o Regatas, mas deu para ele continuar. Hoje fizemos tratamento para ele ir para a partida, mas ele não suportou. Nós resolvemos tirá-lo do jogo, porque ele poderia romper e temos um outro campeonato pela frente. Ele vai passar por exames, mas deve ficar uma semana fora para se preparar para os playoffs”, ressalta o fisioterapeuta do clube, Atílio Suarti.

Pedra no sapato: Mogi fechou sua participação nesta edição da Liga das Américas com cinco vitórias e três derrotas, todas elas para o San Lorenzo. Além da decisão, as equipes também se enfrentaram nas duas primeiras fases do torneio e o time argentino venceu as duas partidas com baixa diferença no placar.