#JOGAJUNTO

Jogo das Estrelas / NBB CAIXA

De longa data

20-03-2018 | 06:15
Por Vicente Machado

Convocado para o Jogo das Estrelas 2018, técnico Rodrigo Barbosa celebra momento do Caxias, relembra inicio do projeto e mantém otimismo para o futuro

Fundador e técnico do Caxias do Sul Basquete, Rodrigo Barbosa chegou pela primeira vez ao Jogo das Estrelas, na edição deste ano (Luiz Pires/LNB)

Fundador do projeto Caxias do Sul Basquete, Rodrigo Barbosa é um exemplo de determinação quando se trata de difundir o esporte em sua comunidade. Há 12 anos à frente do clube gaúcho, o dirigente e técnico vive grande fase, assim como o time, atual sétimo colocado no NBB CAIXA 17/18. Como mérito de seu grande trabalho, Rodrigo foi convocado para o Jogo das Estrelas 2018, como auxiliar técnico do NBB Brasil, que venceu a partida principal do evento, por 130 a 121.

“A fase boa do time é uma consequência de todo o trabalho desempenhado ao longo dos anos. Sempre trabalhamos com os pés no chão, com nossa convicção, e em algum momento isso iria dar resultado. A gente vem aprendendo bastante nos últimos anos, o que tem ajudado a qualificar nossa estrutura e, consequentemente, nosso trabalho. Mesmo sabendo que nosso investimento é pequeno em relação à outros times, é legal ver o que a gente vem conseguindo fazer, disputando a competição de igual para igual com todas as equipes. É uma satisfação, mas ao mesmo tempo a sensação é de querer mais. Temos que pensar em estar crescendo sempre, para o clube cresça junto. É uma felicidade que não gera um acomodação, mas sim disposição”, disse o treinador.

+Confira a tabela de classificação do NBB CAIXA 2017/2018

O início da trajetória de Rodrigo no basquete se deu em sua cidade natal, Porto Alegre (RS), pelo Grêmio FPA. Depois, o atual treinador do Caxias defendeu o Sogipa, entre 1987 a 1992, até encerrar sua carreira dentro das quatro linhas e iniciar sua caminhada com treinador.

Em 1993, Rodrigo iniciou sua história em Caxias do Sul (RS). Na cidade gaúcha, trabalhou no Recreio da Juventude, clube tradicional nos esportes olímpicos. Em 2003, se tornou assistente técnico da Ulbra, primeiramente na cidade de Canoas (RS), e depois em Torres (RS). Após dois anos na função de auxiliar, retornou à Caxias, onde iniciou o projeto da equipe em 2006.

Logo na primeira participação na Liga Ouro, Rodrigo comandou o Caxias ao título, garantindo vaga para o NBB CAIXA 15/16 (Guilherme Peixinho/LNB)

“A minha carreira se mistura com este projeto. Quando eu pensei em montar um time de basquete aqui em Caxias, conversei com as pessoas que trabalhavam comigo, nós montamos uma ideia inicial e, a partir daí, saiu o time. Confesso que não passava pela minha cabeça chegar tão longe. Um time de basquete durar tanto tempo não é algo fácil e o crescimento também foi grande. Acho que o segredo disso foi o nosso trabalho passo a passo, crescendo aos poucos”, falou Rodrigo Barbosa.

Classificado para Liga Ouro 2015, o Banrisul/Caxias do Sul fez bonito logo de cara. Com a melhor campanha da fase de classificação, oito triunfos e quatro derrotas, e a vitória, por 3 a 1, na decisão diante do Sport, a equipe gaúcha se sagrou campeã da competição e ingressou ao NBB CAIXA na temporada seguinte.

Em seu primeiro ano na elite do basquetebol nacional, o Caxias se destacou mais uma vez, ao conseguir classificação aos playoffs, com a 12ª campanha. No mata-mata, o time gaúcho acabou eliminado pelo tricampeão da competição, Brasília, com derrota, por 3 a 1, na série oitavas de final.

A temporada seguinte foi um pouco mais complicada para o caxienses. Após perderem jogadores importantes da edição anterior, o time gaúcho sofreu no NBB CAIXA 2016/2017 e finalizou a competição com a pior campanha, com cinco resultados positivos e 23 negativos na fase de classificação, sem voltar aos playoffs.

Depois da dificuldade vivida, o Caxias fez uma excelente pré-temporada e reforçou muito seu elenco. As contratações de Cauê Verzola, Cauê Borges, Enzo Cafferata, Alex Oliveira, Pedro e Alexandre Paranhos foram bastante significativas, e o time gaúcho demonstrou desde o início do NBB CAIXA 2017/2018 que viria para brigar na parte de cima da tabela.

Após lanterna na edição anterior, Caxias vive sua melhor temporada no NBB CAIXA (Matheus Magnani/Caxias Basquete)

Alternando entre grandes atuações e algumas outras apagadas, o Caxias é hoje o sétimo colocado, com 14 vitórias e 12 derrotas na temporada. Recentemente, o time passou por seu pior e melhor momento na edição. Após viver uma sequência de quatro resultados negativos consecutivos, contra Minas Tênis Clube (91 a 71), Flamengo (98 a 75),  EC Pinheiros (90 a 75) e Mogi das Cruzes/Helbor (76 a 75), a equipe gaúcha deu o troco com quatro triunfos consecutivos, diante de LSB/Uniso (74 a 71), Solar Cearense (67 a 60), Universo/Vitória (79 a 78) e Vasco da Gama (87 a 70).

“O nosso objetivo como clube é sempre de crescer. Precisamos pensar tudo o que estamos fazendo, avaliar os números, sabendo que é necessário se expandir ainda mais na próxima temporada. Minha tarefa é tentar descobrir os caminhos para que isso aconteça, já que infelizmente o crescimento está muito relacionado com o investimento. Então é necessário buscar formas de aumentar o investimento. Pensando a longo prazo, o crescimento tem que ser um processo continuo, ano a ano, para que um dia possamos disputar títulos expressivos, como o NBB CAIXA. Esse é o desejo que eu tenho como profissional e acredito que toda comunidade também tenha”, declarou Rodrigo.

Com este grande trabalho, Rodrigo Barbosa se destacou na votação para o Jogo das Estrelas 2018. Na escolha de técnicos, auxiliares e capitães de cada equipe, e jornalistas relacionados ao NBB CAIXA, o comandante do Caxias foi escolhido para ser o auxiliar do NBB Brasil na partida principal do evento, ao lado de Gustavo De Conti, treinador mais votado.

“Eu fiquei muito feliz com a convocação ao Jogo das Estrelas, principalmente por ser uma votação feita por aqueles que são do meio do basquete, técnicos, auxiliares, capitães das equipes e a imprensa que cobre a competição. É um reconhecimento do seu trabalho e isso deixa qualquer um satisfeito”, agradeceu o treinador do Caxias.

+Confira tudo o que rolou na partida principal do Jogo das Estrelas 2018

No evento, Rodrigo ajudou Gustavo De Conti a comandar o time formado por brasileiro à vitória. Após derrota nos dois últimos anos, o NBB Brasil superou o NBB Mundo, por 130 a 121, e coroou o sucesso da 10ª edição do Jogo das Estrelas.

“Eu acompanhei bem o Jogo das Estrelas do ano passado, mesmo de longe, e esse ano tive o prazer de participar diretamente dos bastidores, acompanhando todo o processo de organização do evento. A LNB esta de parabéns, pois vem demonstrando muita competência na realização de eventos como este, proporcionando ações para seus parceiros oficiais, algo que esta cada vez mais ‘linkado’ com o esporte. Com este grande trabalho, a tendência é que o evento cresça mais e mais a cada ano”, finalizou Rodrigo.

Ao lado de Gustavo De Conti, Rodrigo comandou NBB Brasil à vitória, por 130 a 121, após duas derrotas consecutivas no Jogo das Estrelas (Luiz Pires/LNB)

Agora, o Caxias e Rodrigo miram os playoffs. Com duas rodadas para o fim da fase de classificação, o time gaúcho precisa de mais uma vitória para confirmar lugar no G-8 e ter mando de quadra nas oitavas de final. Se todos os times se mantiverem nas posições atuais, o adversário caxiense na primeira rodada do mata-mata serie o Solar Cearense, atual 10º colocado, com 11 resultados positivos e 14 negativos.

O Jogo das Estrelas 2018 foi um evento organizado pela Liga Nacional de Basquete (LNB) e contou com o patrocínio master da CAIXA, os patrocínios da SKY, INFRAERO, Avianca, Nike, Penalty, Cartões CAIXA Elo e Wewi e os apoios do Açúcar Guarani, NBA e Ministério do Esporte.