Didi, do Franca

Com apenas 17 anos de idade, Didi fez sua estreia na LDB e foi peça importante do elenco francano campeão da competição em 2016 (Luiz Pires/LNB)

Com o intuito de apresentar as novas caras da última edição LDB, o quadro Cartão de Visitas tem seu quarto personagem. Dono de um potencial incrível, o ala Didi, de apenas 17 anos, chamou a atenção logo em sua primeira participação no campeonato Sub-22 e foi peça importante no título conquistado pelo Franca Basquete.

Logo em sua primeira partida na LDB 2016, Didi marcou 15 pontos na vitória de sua equipe sobre o Projeto Escola Basquete/Rio do Sul e mostrou seu “cartão de visitas”. Sempre vindo do banco – o jogador foi titular apenas em um jogo na competição Sub-22 –, o camisa 7 teve papel ativo na rotação promovida pelo técnico Daniel Wattfy.

“O Didi é uma joia bruta que estamos lapidando. Ele era um dos novatos desta LDB e poucos atletas da idade dele jogaram a competição. Mas ele já vinha se destacando no Sub-19 e isso deu mais tranquilidade para ele desempenhar um bom papel e ter grande importância no nosso título. Inclusive o jogo que ele fez como titular foi merecido demais”, analisou Wattfy.

Com um porte físico avantajado para sua idade e uma condição incrível para finalizar, seja com arremessos longos ou infiltrações, Didi ainda incorporou o “espírito francano” e mostrou um imenso poderio ofensivo ao longo da sexta edição da LDB, tanto é que teve média de 18,3 minutos por jogo em meio ao intenso rodízio promovido por Wattfy.

“Ele (Didi) tem o talento nato e se encaixou muito bem com o nosso estilo de jogo, com o estilo francano. Ele é um guerreiro na defesa e tem uma força física imensa. Ele está tendo a oportunidade, até precocemente, de jogar contra atletas mais velhos e isso faz muito bem a ele. Tenho certeza que em breve o Didi será um grande jogador em nível nacional e até internacional”, exaltou o comandante francano na LDB 2016.

+Clique e confira o #CartãodeVisitas do ala Guilherme, também atleta do Franca

Nascido em Cachoeira do Itapemirim, interior do Espírito Santo, Didi deu seus primeiros passos no mundo do basquete na LUSB (Liga Urbana de Streetball), projeto social e esportivo de sua cidade natal. Lá o garoto ganhou destaque no cenário nacional, principalmente após os expressivos títulos Copa Minas de Basquete Sub-15 e do Sul-Americano de clubes disputado em Novo Hamburgo (RS), torneios que reúnem alguns dos principais clubes formadores do país.

Em 2014, ainda vestindo a camisa da LUSB, Didi teve sua primeira convocação para a Seleção Brasileira e fez parte do grupo que conquistou o título invicto do Campeonato Sul-Americano Sub-15, disputado em Barquisimeto, na Venezuela. Depois disso, não teve jeito e, após receber propostas de diversas equipes do basquete brasileiro, Didi chegou ao Franca Basquete para jogar na Capital do Basquete.

Didi, do Franca, e Rodrigo, do São Bernardo

Com quase 20 minutos dentro de quadra por partida, o ala teve média de 7,4 pontos e 2,0 rebotes nos oito jogos que atuou na LDB 2016 (João Pires/LNB)

Já atuando pelas categorias de base francanas, o garoto novamente convocado para a Seleção Brasileira em 2015 e disputou a Copa América Sub-16, em Bahia Blanca, na Argentina. Além disso foi um dos principais destaques da conquista do Sesi-SP/Franca Basquete no Campeonato Paulista Sub-16.

“Quando eu fui para Franca minha vida mudou completamente. Estou na busca de um sonho, que é ser um jogador profissional de alto nível, e isso me motiva muito. Morar fora de casa não é fácil, mas tento me esforçar o máximo todos os dias nos treinos para tudo valer a pena mais pra frente”, disse Didi.

“A LDB foi uma oportunidade muito boa para meu desenvolvimento como atleta. Estou jogando contra caras muito mais velhos do que, muito mais fortes e isso faz com que eu desenvolva meu jogo. O nível das partidas foi muito alto”, completou.

+Clique e confira o #CartãodeVisitas do ala/pivô Felipe, um dos destaques do Limeira na LDB 2016

Após seu primeiro ano fora de casa, Didi manteve sua ascensão em 2016. Destaque do time sub-17 francano ao lado de Guilherme Abreu, o ala/armador passou a atuar com frequência na categoria Sub-19 e no segundo semestre mudou seu patamar. Pouco antes da disputa da LDB 2016, o jovem capixaba participou do Americas Team Camp, evento organizado pela NBA e que recebeu 40 dos melhores jovens jogadores da América Latina.