Está tudo igual da série semifinal entre Paulistano/Unimed e São José/Unimed. Nesta quinta-feira, a equipe do Vale do Paraíba não se importou com o fator casa, ditou o ritmo de jogo desde o primeiro minuto, bateu o Paulistano/Unimed em pleno Ginásio Antonio Prado Jr, na capital paulista, pelo placar de 83 a 78, e empatou a disputa pela vaga na decisão do NBB em 1 a 1.

Para sair de quadra com a vitória, os comandados do técnico Luiz Augusto Zanon apresentaram mão quente nas bolas de fora e acertaram 12 arremessos de 3 pontos em 21 tentados (57,1% de aproveitamento), que representaram 43% dos pontos da ‘Águia do Vale’ no segundo jogo do confronto semifinal.

Os destaques individuais ficaram por conta da dupla de garrafão formada por Caio Torres, que com 20 pontos e 12 rebotes, totalizou um duplo-duplo, assim como o ala/pivô Jefferson William, responsável por 18 pontos e 11 rebotes. Além dos pivôs, quem também se sobressaiu em favor dos joseenses foram os alas Dedé e Andre Laws, ambos com 18 pontos.

“Hoje tivemos uma boa postura defensiva. Conseguimos tirar eles da zona de conforto e eles tiveram que improvisar, e com isso, o rendimento deles caiu. No ataque trabalhamos o nosso forte, que é triangular o jogo e explorar nosso arremesso de 3 pontos, que é muito bom”, analisou Jefferson, que ainda distribuiu cinco assistências e deixou a quadra com 30 de eficiência.

Pelo lado do Paulistano, os maiores pontuadores foram os norte-americanos Desmond Holloway e Kenny Dawkins, que anotaram 17 pontos e 15 pontos, respectivamente, além do pivô Mineiro, com 11 pontos, e do ala/pivô César, autor de dez pontos.

“Nossa tônica desde o começo do campeonato sempre foi defesa forte. Não podemos tomar mais de 80 pontos na nossa casa, senão complica. No segundo tempo eles jogaram muito fácil em cima da nossa defesa, com arremessos de 3 pontos seguidos e sem marcação. O time deles tem muita qualidade, mas se a gente conseguir minimizar isso o jogo volta para a gente”, comentou o pivô Mineiro, do Paulistano.

Depois de dois jogos na capital do Estado de São Paulo, a briga por um lugar na Final do NBB se transfere para o Vale do Paraíba, onde as equipes farão as duas próximas partida da série, a primeira neste domingo (18/05), no Ginásio Lineu de Moura, às 16 horas (de Brasília), com transmissão ao vivo através dos canais SporTV, depois os dois times voltam à quadra na terça, novamente em solo joseense, às 21 horas.

O São José teve um início de jogo alucinante e, com mão quente dos arremessos longos, principalmente com Jefferson William, começou o duelo com um imponente 13 a 3. Mas em pouco tempo, através de duas bolas de 3 pontos do jovem ala Gemerson, o Paulistano deu as caras e voltou para o jogo (13 a 9). Porém, a equipe da casa não conseguiu segurar o ala norte-americano Laws, autor de 12 pontos em 12 tentados e recuperou a vantagem de dez pontos dos joseenses (23 a 13), que fecharam a etapa inicial na frente por 25 a 17.

O Paulistano voltou melhor para a segunda parcial e tornou colocar fogo no jogo ao reduzir a frente adversária para quatro tentos (29 a 25). A tal frente joseense não se manteve, pois, com duas bolas de 3 pontos do ala Pedro, o alvirrubro da capital paulista virou a partida e explodiu o Ginásio Antonio Prado Jr (31 a 30). A diferença em favor dos mandantes chegou a ser de cinco pontos, o que contabilizou uma sequência de 10 a 1 (35 a 30). Mas nos dois minutos finais, o São José devolveu a corrida e fez incríveis dez pontos seguidos, e foi para os vestiários vencendo, por 40 a 35.

A partida ficou extremamente corrido e disputado na volta do intervalo. Os comandados de Gustavo De Conti ameaçaram tirar a vantagem das mãos do São José, mas não conseguiram dar procedência à sua pressão e o esquadrão do Vale do Paraíba, acionando frequentemente o pivô Caio Torres, autor de 12 pontos no período, tornou a abrir boa diferença e caminhou para os dez minutos finais do confronto com 11 tentos de frente (70 a 59).

O São José manteve a boa vantagem durante grande parte do período final, ainda contando com atuação dominante de Caio Torres (77 a 66). Porém, quando tudo se caminhava para uma tranquila vitória joseense, o Paulistano resolveu reagir. Empurrado por sua calorosa torcida, o alvirrubro da capital fez seis pontos seguidos e reduziu a diferença para cinco pontos (77 a 72). Porém, a reação dos donos da casa novamente não teve combustível para seguir firme e os joseenses, com bastante tranquilidade, segurou a pressão adversária e confirmou o importante triunfo fora de casa, por 83 a 78.