Não tem jeito. A participação de Fernando Penna no Desafio de Habilidades já pode ser chamada de dinastia. Pela terceira vez consecutiva (em três edições da competição), o armador do Pinheiros/SKY da competição se sagrou tricampeão da competição, ao superar Gustavinho, do Mogi das Cruzes/Helbor na final.

O desafio teve a participação de oito atletas de diferentes times do NBB, que percorreram o seguinte circuito o mais rápido possível. Primeiro, o jogador executava uma bandeja ou enterrada, logo após isso ele passava em zigue-zague por quatro obstáculos e realizando um passe direto dentro de um arco. Logo após o passe, o competidor arremessava uma bola de 3 pontos. Ao converter o tiro longo, ele realizava um passe picado novamente sobre o arco. Logo após isso, ele passava novamente pelos obstáculos em zigue-zague e acabava com uma bandeja ou enterrada. Os dois atletas que fizessem tudo isso em menos tempo se classificava a final.

“A alegria é imensa. Primeiramente, fico muito feliz de fazer parte dessa festa linda e melhor ainda com esse tricampeonato. Entrei tranquilo para a final e consegui fazer um excelente tempo. O Gustavinho acabou errando o passe ali e eu pude entrar depois mais calmo e focado”, afirmou o tricampeão Penna.

O primeiro participante foi Jefferson Campos, armador do Suzano/Cesumar/Campestre, que cravou o tempo de 29,7 segundos. O atleta errou dois arremessos de 3 pontos, apesar de acertar todos os passes e bandejas. Logo depois dele foi o dono da casa, Eric Tatu, do UniCEUB/BRB/Brasília. Empurrado pela torcida, o armador do time candango pecou no arremesso de 3 pontos e no passe picado seguinte. Com isso, ele terminou o percuso em 33,7 segundos.

O público presente no Nilson Nelson viu uma boa atuação de Marcellus, do Tijuca/Rio de Janeiro, que não errou nada durante o circuito e cravou um tempo de 26,8 segundos. Enquanto isso, o Vice-campeão no Desafio de Habilidades da temporada passada, Fúlvio, armador do São José teve bom desempenho, pois errou só uma arremesso de 3 pontos e terminou a competição com 27,4 segundos.

Porém, A atuação de Gustavinho, do Mogi das Cruzes, foi excelente. O atleta foi perfeito em todas os obstáculos e arremessos. Com um tempo de 26,5 segundos, o armador mogiano se classificou para a final do torneio. Na sequência, Victor Correia, do Cia. Do Terno/Romaço/Joinville, pecou demais nos arremessos de três pontos e fez o tempoo de 33 segudos.

Os dois últimos a participar da primeira fase do torneio foram muito bem. Único norte-americano a disputar a competição, Kenny Dawkins cravou 26,7 segundos. Porém, Penna mostrou que estava afiado, fez uma série perfeita, com 24,8 segundo, eliminou o armador do NBB Mundo e se junto a Gustavinho na decisão.

Na final, o jogador do Mogi das Cruzes mostrou um pouco de nervosismo, e errou o primeiro passe do percurso. Visivelmente abalado com os seguidos erros, Gustavinho desperdiçou até a última bandeja do circuito e ficou com o tempo de 35,3 segundos. Tranquilo, devido à marca ruim de seu adversário, Penna voltou a mostrar tranquilidade, teve um desempenho impecável e assegurou o tricampeonato com o excelente tempo de 23,4 segundos.

“Na primeira fase eu estava mais solto e consegui fazer o circuito tranquilo para fechar o com um bom tempo. Mesmo assim, o Penna foi um monstro e fez o melhor tempo. Na segunda fase eu entrei um pouco mais nervoso, dei mole no passe e não consegui um bom desempenho. Quero dar os parabéns pro Penna que conquistou esse tricampeonato. Mas de qualquer jeito fico feliz de ter participado dessa grande festa do basquete”, explicou Gustavinho.