#JOGAJUNTO

NBB CAIXA

Em quem eles se inspiram?

11-04-2019 | 07:44
Por Liga Nacional Basquete

Do basquete europeu à NBA: saiba quais são as inspirações dos comandantes dos playoffs do NBB CAIXA 2018/2019

Você já parou para pensar em qual treinador o técnico do seu time se inspira? Pois bem, aqui você vai matar essa dúvida.

Conversamos com os técnicos das quartas de final dos playoffs do NBB CAIXA 2018/2019, e descobrimos de qual fonte eles bebem para montar suas equipes e agregarem ao seu estilo de jogo.

Ficou curioso? Confere aí:

Gustavo De Conti (Flamengo)

Gustavo De Conti se inspira em comandantes da NBA e do Basquete Europeu (João Pires/LNB)

Principais inspirações: Željko Obradović (Fenerbahçe), Gregg Popovich (San Antonio Spurs) e Mike D’Antoni (Houston Rockets).

Fala aí, treinador: “Apesar de gostar muito de alguns treinadores, não dá para ficar copiando muita coisa. No início do ano tentamos colocar em prática um estilo meio Houston Rockets, com velocidade e volume nas bolas de 3 pontos. No meio do caminho avaliamos e vimos que não deu muito certo, não por conta de resultados, mas por peças que não rendiam o que deveriam”, disse o treinador, que completou:

“Depois disso, encontramos um meio termo e procuramos jogar com velocidade, mas também com a ênfase defensiva, que é uma das nossas principais características. Deixamos um pouco de lado esse exemplo do Houston e buscamos um jogo mais de pausa, com um estilo meio europeu”, finalizou.

Bruno Savignani (Corinthians)

Treinador do Corinthians se inspira no comandante do Fenerbahçe (Rodrigo Coca/ Agência Corinthians)

Principal inspiração: Željko Obradović (Fenerbahçe).

Fala aí, treinador: “Gosto muito do Obradović, que é multicampeão da Euroliga com diversos times diferentes. O acompanho e gosto muito de ver os times que ele comanda. Na prática, tento colocar em prática o estilo organizado, cinco contra cinco e mais controlado, como é padrão nos times europeus. Tento trazer isso para cá, sempre adaptando para a minha realidade e a dos jogadores que tenho em mãos”, disse.

Léo Figueiró (Botafogo)

Léo Figueiro tem como principal inspiração os comandantes do San Antonio Spurs, da NBA (Rafael Ribeiro/Vasco)

Principais inspirações: Ettore Messina (Assistente técnico do San Antonio Spurs), Gregg Popovich (San Antonio Spurs).

Fala aí, treinador: “No cenário internacional gosto muito do Ettore Messina, assistente técnico dos Spurs. Sempre acompanhei suas clínicas.  Ele é muito didático e inteligentíssimo. Fora ele, gosto do Gregg Popovich, por sua impecável gestão de pessoas. E não tem como não falar do multicampeão Zeljko Obradovic, do Fenerbahçe (TUR)”, disse o comandante, que completou:

“Na prática tento utilizar um pouco de cada e avalio o que será produtivo para minha equipe. Como os campeonatos e o material humano são diferentes, nem tudo pode ser utilizado. Mas, com certeza, dá pra criar muitas coisas em cima da filosofia que eles utilizam”, finalizou.

Helinho Garcia (Sesi Franca Basquete)

Helinho Garcia também se inspira em comandantes da NBA e do Basquete Europeu (Divulgação/FIBA)

Principais inspirações: Gregg Popovich (San Antonio Spurs),  Željko Obradović (Fenerbahçe) e Steve Kerr (Golden State Warriors).

Fala aí, treinador: “Gosto muito do trabalho do Obradović no Fenerbahçe, principalmente pela estrutura de desprendimento que ele dá ao grupo. Na NBA, nos mesmos conceitos, admiro o trabalho do Golden State Warriors e do San Antonio Spurs, que prezam pela agressividade e o bom aproveitamento defensivo. Me impressiona como eles conseguem manter um jogo coletivo tão forte mesmo com diversos nomes de peso dentro do grupo”, disse o técnico, que completou:

“No Franca, partimos do princípio de que para atingir esse desprendimento de uma maneira mais plena devemos ser também consistentes na defesa para que, dessa forma, o ataque fica mais solto. Uma coisa chama a outra. A equipe tem entendido isso e conseguimos grandes resultados com essa filosofia. Sabemos onde podemos chegar com esses conceitos e vamos em busca dos nossos objetivos”, finalizou.

Demétrius Ferracciú (Sendi/Bauru Basket)

Demétrius Ferracciú se inspira nos comandantes do Fenerbahçe e do San Antonio Spurs (Victor Lira/Bauru Basket)

Principais inspirações: Željko Obradović (Fenerbahçe) e Gregg Popovich (San Antonio Spurs).

Fala aí, treinador: “O Obradović para mim sempre foi uma referência. É um técnico multicampeão e gosto muito da maneira que ele conduz o jogo taticamente. Ele é uma referência no que faz. Ma na NBA tenho outra referência, que é o Popovich. Ele implementou no Spurs uma maneira muito parecida com o que se vê no basquete FIBA, apesar dos momentos de individualidade. Mesmo assim, isso acontece dentro de um sistema, que mistura jogadores americanos e internacionais”, disse.

Guerrinha (Mogi das Cruzes/Helbor)

Guerrinha tem como principais referências dois treinadores da NBA (Antonio Penede/Mogi das Cruzes-Helbor)

Principais inspirações: Gregg Popovich (San Antonio Spurs) e Mike D’Antoni (Houston Rockets)

Fala aí, treinador: “Vários técnicos me inspiram. Acho o Popovic, por exemplo, um cara fantástico. Poderia citar vários nomes do basquete europeu também. Cada um tem um pouco para passar, mas absorvo mais de alguns que, querendo ou não, combinam com o meu jeito de pensar”, disse o comandante, que completou:

“Infelizmente, muitas coisas que vejo não dá para colocar em prática. Um exemplo claro é quando estive por quatro meses com o Mike D’Antoni, ex-treinador do Phoenix Suns, e participei das reuniões da equipe diariamente. Não dá para o meu atual time jogar como o Phoenix daquela época. Mesmo assim tenho muito apreço por esse tipo de jogo, de transição, agressividade e com o ímpeto de sempre acertar”, finalizou.

Dannyel Russo (Basquete Cearense)

Dannyel Russo tem como principal referência o comandante do Real Madrid (Stephan Eilert/Basquete Cearense)

Principal inspiração: Pablo Laso (Real Madrid)

Fala aí, treinador: “Admiro o Pablo Laso pela filosofia de manter uma forte defesa o jogo inteiro e pela obediência tática ofensiva, com consistência no jogo cinco contra cinco. Ao mesmo tempo, a equipe dá liberdade para seus principais jogadores decidirem, criarem situações de vantagem da maneira que bem entendem, o que ajuda o ataque. Tento colocar essa filosofia no Basquete Cearense. Claro, dentro da minha realidade e com os jogadores que tenho no elenco”, disse.

O EC Pinheiros optou por não participar da análise.

O NBB CAIXA é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB), em parceria com a NBA, e conta com o patrocínio máster da CAIXA, os patrocínios da Budweiser, INFRAERO, Avianca, Nike e Penalty e os apoios de UNISAL, Açúcar Guarani, Ministério do Esporte e Governo Federal.