Foi um jogo equilibrado e de alto nível técnico, mas no final das contas foi o NBB Brasil quem comemorou a vitória no Jogo das Estrelas 2014. Com uma atuação de gala de Alex, o time verde-amarelo levou a melhor sobre o NBB Mundo, por 126 a 116, no Ginásio Paulo Sarasate, em Fortaleza (CE), na manhã deste sábado.

Maior responsável pela vitória brasileira, Alex apresentou um altíssimo aproveitamento de 80,5% nos arremessos e foi o cestinha do confronto, com expressivos 33 pontos e ainda completou seu duplo-duplo ao apanhar dez rebotes. Grande parte da atuação de gala do capitão do UniCEUB/BRB/Brasília se deve a seu desempenho no terceiro quarto.

“Tomara que ele jogue assim só aqui, né? E não contra o Flamengo (risos). Mas foi impressionante. Foram quatro bolas seguidas de 3 pontos no terceiro quarto, tem muitos recursos ali no poste baixo, defende muito bem, na minha opinião um dos melhores defensores do mundo, pela experiência que tenho de acompanhar a Seleção mundo à fora. É um jogador completo, mereceu ganhar o MVP de novo”, elogiou o técnico do NBB Brasil, José Neto.

No momento em que o time dos estrangeiros assumiu a ponta do marcador pela primeira vez na partida, logo na volta dos vestiários, Alex brilhou. Impecável, o camisa 10 marcou 21 pontos em 21 pontos tentados em dez minutos e teve papel fundamental para que a equipe brasileira recuperasse a liderança do placar e encaminhasse seu triunfo.

“O primeiro tempo foi mais de festa, para agradar o público que compareceu aqui no Paulo Sasate, mas o segundo tempo foi um pouco mais pegado, um pouco mais sério, porque a gente queria ganhar também”, disse Alex, coroado com o prêmio de MVP (jogador mais valioso) pelo segundo ano seguido – o jogador também levou o troféu em 2013.

“Hoje eu estava com a mão legal, né? Vim para o jogo muito seguro. Felizmente deu tudo certo e eu pude ajudar a dar ao NBB Brasil mais uma vitória no Jogo das Estrelas”, completou o camisa 10.

Esta foi a terceira vitória seguida do NBB Brasil no Jogo das Estrelas. Depois de perder a primeira edição do confronto contra os estrangeiros, em 2011, a equipe brasileira venceu as três partidas seguintes e agora lidera o histórico do confronto por três a um.

 

O NBB Brasil começou a partida com tudo. Em menos de um minuto, graças a um tiro de três pontos certeiro de Alex e uma cesta seguida de falta de Murilo, o time verde-amarelo colocou 6 a 0 de frente. O NBB Mundo até chegou a equilibrar o jogo, com direito a duas enterradas de DeVon, campeão do torneio de cravadas no dia anterior, mas o time brasileiro voltou a abrir vantagem. Alex seguiu com a mão quente, Nezinho apareceu bem e a vantagem atingiu a casa dos 11 pontos (19 a 8).

Sem deixar a diferença no placar subir ainda mais, o NBB Mundo enfim conseguiu efetivamente igualar as ações. Com seguidas bolas de três pontos, nas mãos de Shamell, Jackson e Day, duas vezes, o esquadrão estrangeiro pouco a pouco foi diminuindo o prejuízo. Mas uma dupla mineira tratou de manter o NBB Brasil na frente. Jogadores do Unitri/Magazine Luiza, Valtinho e Cipolini mostraram entrosamento e com direito a jogadas plásticas foram fundamentais para a equipe nacional fechar o primeiro quarto com seis pontos de frente.

O ritmo da partida seguiu o mesmo no início do segundo período. Com um jogo bastante leve e com bons desempenhos dos suplentes Jefferson e Olivinha, a equipe dirigida pelo técnico José Neto seguiu no comando do jogo e com cinco minutos para o fim da parcial tinha sete pontos de frente (54 a 47). Mas, em dois lances rápidos, Laprovittola converteu quatro pontos seguidos a favor dos “gringos” e a diferença no marcador caiu para três pontos.

A partir de então, a partida seguiu equilibrada e a vantagem de três pontos a favor dos brasileiros se manteve. Porém, no último lance antes do intervalo, Marcelinho roubou a cena. Campeão do Torneio de 3 Pontos, o ala do Flamengo sofreu falta de DeVon e mesmo assim converteu um tiro de longa distância. Então, as equipes foram para os vestiários separadas por sete pontos: 67 a 60 a favor dos brasileiros.

Logo no início do terceiro quarto, o NBB Mundo conseguiu assumir a ponta do placar pela primeira vez na partida. Shamell, Espinoza e Laprovittola converteram seguidos arremessos de três pontos, a equipe impôs uma sequência de 11 a 3 e virou o jogo (71 a 70). A rápida reação dos estrangeiros mexeu com o time nacional, principalmente com Alex.

Sem errar um arremesso sequer, o ala do Brasília chamou a responsabilidade e deu um verdadeiro show no Ginásio Paulo Sarasate. Ao todo, na terceira parcial, o camisa 10 acertou quatro tiros de três pontos, quatro de dois pontos e um lance para totalizar incríveis 21 pontos, com 100% de aproveitamento, em dez minutos. No embalo da atuação fantástica do jogador, o NBB Brasil não só retomou a liderança como levou nove pontos de frente para o último período: 100 a 91.

Sem diminuir o ritmo, os brasileiros mantiveram uma confortável vantagem no placar durante toda a parcial final. Com uma formação recheada de reservas em quadra, Ricardo Fischer, com seis pontos e quatro assistências, e Olivinha, que também marcou seis pontos, apareceram bem e a equipe verde-amarela administrou bem a diferença construída no quarto anterior. Do outro lado, o NBB Mundo não manteve uma regularidade em seu ataque e nada pode fazer para impedir que o NBB Brasil abrisse três a um no histórico do confronto entre os times no Jogo das Estrelas.