O primeiro duelo da série quartas de final entre Paulistano/Unimed e Vivo/Franca foi marcado pela grande presença das torcidas de ambas as equipes, que lotaram o Ginásio Antonio Prado Jr, em São Paulo (SP), e protagonizaram uma grande festa. Mas no fim, quem voltou para casa feliz foi a torcida local, que empurrou o time alvirrubro rumo à grande vitória sobre os francanos, pelo placar de 82 a 72, resultado que os deixa com 1 a 0 de vantagem na série quartas de final do NBB 2013/2014.

Com 23 pontos, sendo 15 deles no segundo tempo, o ala norte-americano Holloway teve papel fundamental no triunfo do time da casa, principalmente nos momentos finais, em que serviu como uma espécie de desafogo diante da pressão adversária. Quem também se sobressaiu em favor do Paulistano foi o ala/pivô César, que saiu do banco e anotou 15 pontos, além do pivô Mineiro e do armador Manteguinha, responsáveis por 14 e 12 pontos, respectivamente.

“A gente começou um pouco mal a partida. O time estava nervoso e sentiu um pouco a falta de ritmo de jogo. Mas no segundo tempo, principalmente no último quarto, melhoramos nossa defesa e pegamos mais rebotes, o que nos deu oportunidade de atacar melhor e vencer a partida”, analisou Manteguinha.

Pelo lado do Franca, os destaques ficaram por conta do pivô Paulão Prestes, que registrou um duplo-duplo de 18 pontos e dez rebotes, seguido pelo jovem ala Antonio Elpídio, de 19 anos, autor de 11 pontos, além de Cauê Borges, Jhonatan e Léo Meindl, todos com nove pontos.

“Sem palavras, essa torcida é sensacional. A gente venceu os jogos na série contra Uberlândia muito por causa deles. Eles nos incentivam e nos apoiam até o final sempre. Não tem muito o que falar. Infelizmente não conseguimos dar o presente que eles mereciam por terem se deslocado de Franca até aqui, mas eles podem ter certeza que vamos lutar até o final e vamos ganhar isso aqui”, declarou Paulão Prestes.

As duas equipes voltarão à quadra para o segundo jogo da série melhor de cinco nesta terça-feira (29/04), novamente no Ginásio Antonio Prado Jr, na capital paulista, às 21 horas (de Brasília), com transmissão ao vivo para todo o Brasil através dos canais SporTV.

Empurrado por sua torcida que saiu do interior paulista e fez uma grande festa em pleno Ginásio Antonio Prado Jr, os francanos apostaram no jogo interno e imprimiram um altíssimo ritmo no início do confronto, o que os permitiu abrir 9 a 2 logo nos primeiros minutos. O Paulistano até conseguiu se encontrar e, na base das bolas de 3 pontos, reduziu a frente adversária para três pontos (15 a 12), e encerrou a primeira etapa com cinco pontos atrás (19 a 14).

Com dois belos ataques convertidos em cesta, o time da casa se recuperou e empatou a partida (19 a 19). Porém, a boa sequência do clube da capital não teve procedência e a agremiação da Capital do Basquete, através da mão quente do jovem ala Antonio Elpídio, recuperou a diferença de cinco pontos construída no período anterior (25 a 20). Mas, assim como anteriormente, os comandados de Gustavo De Conti se reergueu no duelo e, desta vez, não ficou em vantagem no placar, como abriu cinco tentos de frente (36 a 31). Franca não aceitou a desvantagem e foi com tudo pra cima dos donos da casa nos minutos finais. Com defesa forte e não dando espaços para os adversários, a equipe do técnico Lula Ferreira não sofreu mais pontos desde a corrida dos paulistanos e, nos últimos instantes, conseguiu a virada após sequência de contra-ataques para fechar a primeira metade do encontro com 38 a 36 à seu favor.

A ida para os vestiários, pelo jeito, fez muito bem ao Paulistano, que voltou do intervalo com a corda toda e não dando chances aos francanos. Com Manteguinha e Holloway no comando, a equipe comandada pelo técnico Gustavo De Conti chegou a estar com dez pontos de frente e ter o controle parcial do duelo (52 a 42). Mas Franca ainda estava lá. Através do pivô Paulão Prestes, o time do interior paulista voltou para o jogo nos instantes finais e diminuiu o prejuízo para cinco pontos, placar de 55 a 50.

O período final foi eletrizante. Franca chegou a reduzir a diferença para apenas um ponto após fazer os quatro primeiros pontos da parcial (55 a 54). Em rápida resposta, o Paulistano se recuperou através de grande exibição do ala norte-americano Desmond Holloway e ficou com seis pontos na frente, com aproximadamente cinco minutos por jogar (64 a 58). Em meio a uma partida extremamente movimentada e com os nervos à flor da pele, a equipe da casa ampliou sua vantagem para oito pontos (70 a 62), diferença que os deixou confortáveis até os momentos finais para fechar a partida e confirmar o triunfo na abertura da série quartas de final, por 82 a 72.

“Precipitamos muitas jogadas, isso deu a possibilidade do Paulistano atacar e jogar em cima do nosso erro. Faltou um pouco de conjunto, e a gente não conseguiu ter tranquilidade jogando atrás no placar nos minutos finais”, comentou o ala francano Jhonatan.