Foi uma partida equilibrada do início ao fim e o Pinheiros/SKY mostrou grande poder de decisão para largar na frente do Mogi das Cruzes/Helbor em uma das séries de oitavas de final do NBB 2013/2014. Na noite desta quarta-feira, atuando em casa, no Ginásio Henrique Villaboim, em São Paulo (SP), o clube da capital paulista venceu o primeiro duelo frente aos mogianos, por 85 a 82, e abriu 1 a 0 no confronto.

Para sair vencedor, o time pinheirense contou com grande atuação do ala Shamell. O norte-americano foi o cestinha do jogo, com 27 pontos, sendo 14 deles no segundo quarto. Outro “gringo”, o ala/armador Joe Smith, autor de 15 pontos e sete assistências, também teve grande participação no duelo.

“Foi um jogo muito duro, muito difícil. Já sabíamos que seria assim. Mas é muito importante começar ganhando. Sair na frente faz muita diferença. Estava com a mão boa e pude ajudar a equipe”, afirmou Shamell.

Além da dupla de estrangeiros, o ala/pivô Rafael Mineiro, com 13 pontos e cinco rebotes, e o pivô Bábby, que atuou por apenas dez minutos e marcou dez pontos, sem errar um arremesso sequer, foram outros destaques do Pinheiros. Pelo lado do Mogi, os maiores pontuadores foram Filipin, Daniel Alemão e Ted Simões, com 20, 17 e 15 pontos, respectivamente.

Depois de abrirem o confronto que será decidido em uma melhor de cinco jogos, as equipes voltam a se enfrentar na próxima sexta-feira, às 19 horas (de Brasília), novamente no Ginásio Henrique Villaboim, em São Paulo, com transmissão ao vivo do canal SporTV. O vencedor do duelo entre pinheirenses e mogianos enfrentará o Winner/Kabum/Limeira nas quartas de final.

“Demos o primeiro passo para o nosso objetivo. Vamos jogo a jogo. Já temos novamente uma nova partida na sexta-feira e precisamos nos concentrar para esse jogo. A equipe de Mogi provou, mais uma vez, que é muito boa. Temos que ter muita concentração e força na defesa”, disse o pinheirense Rafael Mineiro.

Contando com um ótimo começo de jogo de Filipin, Mogi largou na frente. O ala converteu duas bolas de três pontos, deu assistência para enterrada de Alemão e teve total importância para que os visitantes colocassem 8 a 2 de frente nos minutos iniciais. Rapidamente, o Pinheiros deu o troco e virou o jogo. Com direito a tiros de longa distância de Shamell e do garoto Lucas Dias, a equipe mandante melhorou no jogo e assumiu a ponta do placar (10 a 9).

A partir de então, o equilíbrio tomou conta do jogo e as equipes passaram a disputar a liderança do marcador ponto a ponto. Para fechar o primeiro quarto em vantagem, os mogianos contaram com bom desempenho de Simões, que saiu muito bem do banco de reservas. Então, o time do Alto do Tietê finalizou a parcial inicial com três pontos de frente: 19 a 16.

O início do segundo quarto foi completamente favorável ao Pinheiros. Primeiro, com seis pontos seguidos de Joe Smith, a equipe empatou o placar em 22 a 22. Depois, Shamell roubou a cena, marcou quatro tentos consecutivos e os donos da casa colocaram 26 a 22 de vantagem, obrigando o técnico rival Paco García a parar o jogo. Depois do tempo técnico, Mogi elevou seu aproveitamento ofensivo, mas Shamell seguiu inspirado. Com mais dez pontos – totalizando incríveis 14 pontos seguidos –, o ala norte-americano deu um verdadeiro show e comandou o ótimo segundo período do clube da capital paulista, que levou oito pontos de frente para os vestiários: 41 a 33.

Mogi voltou melhor do intervalo. Explorando o jogo interno com a dupla Alemão e Sidão, a equipe não demorou a diminuir a desvantagem e empatou o duelo em 49 a 49. Porém o Pinheiros conseguiu recolocar boa vatagem no placar ainda durante o terceiro quarto. Com destaque para o pivô Bábby, autor de oito pontos na parcial, a equipe voltou a apresentar um bom rendimento em seu ataque e levou o jogo para seu último e decisivo período com o placar em 66 a 59 a seu favor.

O Pinheiros não voltou bem para a parcial final. Então, diante de um adversário em um momento ruim na partida, Mogi aproveitou para novamente encostar e incendiar o jogo para a parte decisiva do duelo. Restando pouco mais de cinco minutos para o término do jogo, a diferença no placar era de apenas dois pontos a favor dos donos da casa (69 a 67). Por mais de três minutos, o confronto permaneceu parelho e os visitantes conseguiram se manter próximos dos anfitriões no marcador.

Foi então que o Pinheiros mostrou seu poder de decisão. Sem titubear, a equipe mandante mostrou muita tranquilidade para confirmar a vitória, mesmo com Mogi lutando até os últimos segundos para mudar o cenário.