A segunda vaga na Final do NBB 2013/2014 será decidida no quinto jogo. Na noite desta terça-feira, atuando ao lado de sua fervorosa torcida no Ginásio Lineu de Moura, o São José/Unimed viveu uma noite de grande inspiração ofensiva e venceu a quarta partida da série semifinal frente ao Paulistano/Unimed, pelo placar de 96 a 68, para forçar a realização do duelo decisivo.

Com o triunfo, o time dirigido pelo técnico Zanon empatou o confronto em 2 a 2. Agora, as equipes paulistas decidirão quem será o rival do atual campeão Flamengo na decisão da sexta edição do maior campeonato de basquete do país na próxima sexta-feira, às 21 horas (de Brasília), no Ginásio Antonio Prado Junior, em São Paulo, casa do Paulistano, com transmissão ao vivo do SporTV.

Para vencer e se manter vivo na disputa da competição nacional, o esquadrão joseense obteve um grande aproveitamento em seu ataque, principalmente com Manny Quezada. Após ser poupado da terceira partida da série por conta de uma lesão na coxa, o armador dominicano mostrou estar 100% e deixou a quadra com 29 pontos, sendo 20 deles no primeiro tempo, além de distribuir oito assistências.

Junto do camisa 21, outros três atletas tiveram participação ativa no êxito dos donos da casa: o ala/pivô Jefferson e o pivô norte-americano Ed Nelson, que somaram idênticos 17 pontos e ainda completaram seus duplos-duplos com 14 e 12 rebotes, respectivamente, e Laws, também autor de 17 tentos. A equipe atuou desfalcada de Caio Torres, que sofreu uma lesão no ligamento colateral medial do joelho direito no último jogo, e de Alex, também lesionado e de fora desde a terceira partida da série.

“Viemos focados e concentrados para esta partida. Era um jogo de vida ou morte para o nosso time e não estávamos dispostos a parar por aqui. Nosso time já mostrou em diversas vezes que cresce nos momentos decisivos e hoje não foi diferente”, exaltou Jefferson.

“Conseguimos neutralizar os principais jogadores deles desde o começo e hoje fomos muito bem nos rebotes. Aí tivemos tranquilidade para atacar e conseguimos superar os desfalques para sair com essa importante vitória”, completou o capitão joseense.

Pelo lado do Paulistano, o maior pontuador foi o ala/pivô Renato Carbonari, que marcou 13 pontos, seguido pelo ala norte-americano Holloway e o também ala/pivô César, ambos com dez pontos.

“No começo até conseguimos equilibrar o jogo. Mas depois nos perdemos. Não conseguimos fazer nossas movimentações ofensivas e do outro lado estava caindo tudo para eles. Depois, com a larga diferença ficou difícil para reagir. Playoff é isso e não importa se você perde de 30, 40 ou 50 pontos. Temos que manter a cabeça no lugar e ir com tudo para o quinto jogo”, disse o ala Pilar.

Bola de três de um lado, bola de três do outro. Foi assim que o jogo começou. Jefferson, pelo time da casa, e Renato, pelos visitantes, anotaram tiros de longa distância logo nos instantes iniciais do confronto e deixaram bem claro qual seria a tônica do primeiro quarto: equilíbrio e muita intensidade. Nos minutos iniciais da parcial, as equipes mostraram um bom rendimento e se revezaram na ponta do placar algumas vezes. Até que Quezada saiu do banco de reservas.

Depois de ficar de fora da última partida por conta de uma lesão na coxa, o dominicano entrou em quadra no momento em que o placar apontava igualdade em 12 a 12 e seu desempenho foi fundamental para os donos da casa dispararem. Com nove pontos, sendo sete deles de maneira consecutiva, o camisa 21 brilhou e incendiou a torcida joseense. No embalo do armador, o time do Vale do Paraíba chegou a colocar nove pontos de frente (28 a 19), mas seguidas cestas do Paulistano, com César e uma boa jogada individual de Pecos, decretaram o placar final do período inicial: 28 a 23.

O começo do segundo quarto foi totalmente favorável ao São José. Com uma forte defesa e Quezada e Jefferson “endiabrados” do outro lado da quadra, a equipe dirigida pelo técnico Zanon deslanchou e, após uma sequência de 13 pontos contra apenas dois dos rivais, ampliou sua vantagem para 16 pontos (41 a 25). Na sequência, César converteu duas bolas seguidas da linha de três pontos e tentou dar um novo ânimo ao Paulistano, mas não teve jeito.

Sem conseguir encaixar bons ataques, os visitantes seguiram com muitas dificuldades para pontuar. Enquanto isso, Quezada continuou imparável e sendo o diferencial para São José manter a boa diferença no marcador. Com um alto aproveitamento nos arremessos, o jogador marcou mais 11 pontos, fechou a primeira metade da partida com incríveis 20 pontos e foi fundamental para que os anfitriões carregassem 18 pontos de frente para os vestiários: 53 a 35.

O domínio joseense seguiu na volta do intervalo. Jefferson e Quezada acertaram a quinta e quarta bolas de três pontos na partida, respectivamente, Nelson apareceu bem no garrafão e a diferença no placar foi aumentando cada vez mais. Ainda sem conseguir obter um bom rendimento em seu ataque, o clube da capital paulista nada pode fazer para segurar o ótimo ritmo dos rivais. Então, depois de uma vitória parcial por expressivos 26 a 13, o time mandante levou a partida para seus dez minutos finais com largos 31 pontos de vantagem: 79 a 48.

O último quarto em nada alterou o roteiro do jogo. Com muitos reservas em quadra, o Paulistano enfim conseguiu deslanchar ofensivamente, mas já era tarde demais. Dono de uma larga diferença no placar, São José precisou apenas esperar o fim dos 40 minutos de jogo para fazer a festa ao lado de sua sempre barulhenta e intensa torcida.