O Winner/Kabum/Limeira mostrou autoridade para largar na frente na série de quartas de final do NBB 2013/2014 frente ao Mogi das Cruzes/Helbor. Na liderança do placar desde os minutos iniciais, o time comandado pelo técnico Demétrius controlou a partida realizada na noite desta sexta-feira, em seus domínios, no Ginásio Vô Lucato, no interior paulista, e abriu 1 a 0 de vantagem no confronto com uma vitória por 97 a 82.

Na frente do marcador durante praticamente todo o jogo – Mogi esteve na liderança apenas no minuto inicial, com 2 a 0 de vantagem –, a equipe limeirense segurou uma reação dos rivais no início do terceiro quarto, quando a diferença caiu para apenas um ponto (45 a 44) e depois não deu chances aos adversários. Grande parte da vitória da equipe mandante se deve também ao ótimo desempenho no primeiro período, em que graças a uma boa defesa e um ataque equilibrado conseguiu colocar 23 a 12 de frente.

Cestinha da equipe na fase de classificação e quarto melhor de todo o campeonato, o ala David Jackson foi o grande protagonista do triunfo do Limeira. Com um espetacular aproveitamento de 83,9% nos pontos que tentou – o jogador errou apenas um tiro de três pontos e outro de dois pontos durante todo o jogo –, o norte-americano deixou a quadra como o principal pontuador da partida, com 26 pontos.

Além do camisa 32, a equipe do interior do Estado de São Paulo também contou com bons desempenhos de três jogadores que saíram do banco de reservas: o jovem armador Deryk e o experiente Renato Lamas, responsáveis por 13 pontos cada, e do também armador Hélio, que voltou às quadra e anotou 11 pontos. Pelo lado do Mogi, o atleta mais efetivo em quadra foi o ala Marcus Toledo, autor de 19 pontos, cinco rebotes, três bolas recuperadas e três assistências.

“Fizemos prevalecer o nosso jogo. Tivemos uma boa cabeça para jogar e também conseguimos revezar muito bem nossos jogadores. Conseguimos ter um bom controle emocional e isso foi muito importante para nós. Ficamos um longo tempo sem jogar e mesmo assim tivemos um bom ritmo e conseguimos essa importante vitória”, declarou o técnico limeirense Demétrius.

O duelo desta sexta-feira foi disputado com os portões fechados. Por conta de uma punição sofrida após um incidente na partida diante do Paschoalotto/Bauru, no dia 25 de fevereiro, válida pela fase de classificação, Limeira foi obrigado a jogar três partidas com a ausência de seus torcedores.

Após atuar duas vezes com as arquibancadas vazias, ainda na primeira fase, contra Universo/Goiânia e UniCEUB/BRB/Brasília, a equipe zerou sua pena no duelo inicial diante dos mogianos e poderá contar com a presença de seus fãs normalmente já no segundo duelo da série, marcado para o próximo domingo, às 15 horas (de Brasília), novamente no Ginásio Vô Lucato, com transmissão ao vivo do canal SporTV.

O jogo começou bastante truncado, com muito contato dos dois lados da quadra. Nos instantes iniciais, os garrafões de ambas as equipes até mostraram um bom rendimento, mas os seis primeiros minutos do confronto foram de pouca produtividade ofensiva e o placar pouco foi alterado (8 a 5). Mas Limeira teve um trunfo para deslanchar: a entrada do armador Hélio. Recuperado de uma lesão no joelho direito que o afastou das últimas oito partidas da equipe na fase de classificação, o armador deu um novo ritmo aos donos da casa e marcou sete pontos na parcial inicial.

Além do ótimo rendimento do camisa 5, o time limeirense também contou com a mão calibrada do norte-americano David Jackson, autor de oito tentos no período, para deslanchar no placar. Do outro lado, Mogi seguiu com muitas dificuldades para pontuar diante da forte defesa dos donos da casa, mesmo com o técnico Paco García promovendo diversas alterações em seu quinteto. Desta maneira, depois de uma rápida arrancada de 15 a 7, os comandados do técnico Demétrius fecharam o primeiro quarto com 11 pontos de frente (23 a 12).

No segundo período, os visitantes voltaram mais ligados e melhoraram muito sua produção ofensiva. Sidão saiu muito bem do banco de reservas, os jogadores de perímetro elevaram o aproveitamento nos arremessos de média e longa distância e a equipe do Alto do Tietê mais do que dobrou sua pontuação – foram 26 pontos na parcial. Mas, do outro lado, Limeira continuou com um bom rendimento em seu ataque, muito por conta da boa atuação dos suplentes Deryk e Renato Lamas, que marcaram sete e seis pontos, respectivamente.

Com as duas equipes apresentando bons desempenhos, a partida ficou mais dinâmica. Nos minutos finais do quarto, Mogi aproveitou alguns erros dos rivais e conseguiu diminuir a desvantagem no placar. Então, depois de dez minutos de um bom basquete e muita intensidade, o confronto chegou para o intervalo os times separados por sete pontos no marcador: 45 a 38 a favor do Limeira.

Logo no início do terceiro quarto, Mogi encostou de vez. Aplicando uma forte defesa e com boa participação de Toledo dos dois lados da quadra, os visitantes fizeram 6 a 0 em dois minutos e reduziram a desvantagem no placar para apenas um ponto (45 a 44). Após a rápida sequência dos rivais, Limeira não se abalou e voltou a pontuar com tranquilidade, com direito a um ótimo jogo coletivo, enquanto que os mogianos passaram a cometer diversos erros. Diante deste cenário, os anfitriões conseguiram colocar oito pontos de frente (58 a 50), com quatro minutos para o fim do período, e obrigaram o técnico Paco García a pedir um tempo técnico.

A parada interrompeu a arrancada limeirense. Com mais paciência, a equipe de Mogi das Cruzes passou a achar espaços na forte defesa dos rivais e igualou as ações. Enquanto isso, os donos da casa contaram com o brilho de Jackson para manter certa folga na liderança. Com lindos lances individuais, o norte-americano chamou a responsabilidade nos minutos finais da penúltima parcial e foi fundamental para que os donos da casa levassem o jogo para seus dez minutos finais com seis pontos de vantagem (66 a 60).

No período final, Limeira mostrou muita tranquilidade e um grande desempenho ofensivo para confirmar a vitória. Jackson seguiu brilhando, Ramon apareceu bem e a equipe conseguiu “matar” o jogo logo no início da parcial decisiva. Com a vantagem em dígitos duplos, os donos da casa continuaram atuando em um alto ritmo e asseguraram o importante triunfo na disputa por uma vaga nas semifinais do maior campeonato de basquete do país sem sustos para a alegria de alguns torcedores que cantaram e fizeram muito barulho do lado de fora do Ginásio Vô Lucato.

“Limeira foi superior a nós em muitos aspectos, como intensidade, marcação e rebotes. Assim fica difícil conseguir uma vitória. Não mantivemos um bom nível durante todo o jogo. No segundo e terceiro quartos até tivemos um bom desempenho, mas no último período fomos muito mal e não tivemos forças para virar”, lamentou o comandante mogiano Paco García.