Além de assistente de Ênio Vecchi, Betão comandada as equipes sub-14 e sub-17 do Palmeiras (Fábio Menotti/Ag. Palmeiras)

O Palmeiras/Meltex definiu uma importante mudança no comando técnico da equipe. Hebert Coimbra, o Betão, assumiu o comando do time adulto, enquanto Ênio Vecchi, até então treinador, será o coordenador técnico da modalidade no clube alviverde.

Nas mãos de Ênio, o esquadrão palmeirense chegou até as quartas de final do Campeonato Paulista e foi eliminado pelo finalista Paschoalotto/Bauru. Já no NBB 2013/2014, a agremiação do Palestra Itália ocupa a 12ª colocação, com duas vitórias em seis partidas disputadas (33,3% de aproveitamento).

“Estávamos buscando um coordenador técnico e o Ênio Vecchi, com toda a sua experiência, foi convidado para assumir esse cargo, enquanto é oportuna a escolha do Betão como treinador, já que conhecemos o seu potencial e ele, além de realizar um trabalho de grande prestígio nas categorias de base do clube, e tem experiência em equipes do adulto também”, afirmou Siro Casanova, diretor de basquete do Palmeiras.

O novo treinador já comandou os primeiros treinos na reapresentação do elenco, nesta segunda-feira, e estará à frente da equipe no jogo da próxima quinta-feira (05/12), às 20h, no Ginásio Palestra Italia, contra o Vivo/Franca.

“O Betão conhece bem os jogadores e com muita dedicação dos nossos atletas o time pode chegar aos Playoffs e fazer um bom papel no NBB”, concluiu Siro.

Hebert Mucida Coimbra, o Betão, tem 43 anos. Ex-jogador de basquete, atuou por tradicionais clubes brasileiros, como Limeira, Monte Líbano, Blumenau, Rio Telemar, e o próprio Palmeiras, em 1992, além da Ulbra/São Bernardo, antes de tornar-se treinador.

Como técnico em time adulto, o novo comandante palmeirense conquistou a Copa Brasil Norte 2011 e ficou em quarto lugar na Super Copa Brasil 2011 pelo São José, de Macapá (AP). Já pelo clube alviverde, conquistou o título paulista sub-14 neste ano, e ainda foi vice-campeão no sub-17.

“Me sinto feliz pela confiança da diretoria. Poder dirigir um clube grande como o Palmeiras, além de ser uma responsabilidade enorme, é muito motivador para um profissional. Confio nos jogadores e tenho certeza que o mais importante nesse momento é ter uma sintonia fina com eles”, destacou.