O Winner/Kabum/Limeira está a uma vitória de chegar pela primeira vez na história às semifinais do NBB. No início da tarde deste domingo, o time comandado pelo técnico Demétrius fez valer novamente o mando de quadra e, ao lado de sua torcida, no Ginásio Vô Lucato, no interior paulista, venceu a segunda partida da série de quartas de final contra o Mogi das Cruzes/Helbor, por 83 a 72.

Agora, com 2 a 0 de frente no confronto, o esquadrão limeirense precisa de apenas um triunfo para fazer parte do grupo dos quatro melhores da temporada 2013/2014 do maior campeonato de basquete do país. Agora, a série rumará para a cidade de Mogi das Cruzes e o terceiro jogo acontecerá na próxima sexta-feira, às 21 horas, no Ginásio Professor Hugo Ramos.

Para sair vencedor, Limeira contou com quatro jogadores atingindo dígitos duplos na pontuação. O cestinha foi o norte-americano David Jackson, que mais uma vez teve um alto aproveitamento ofensivo (79,3%) e marcou 23 pontos, seguido por Renato, novamente muito bem vindo do banco de reservas e autor de 16 tentos. Enquanto isso, os ala/armadores Hélio e Ronald Ramon colaboraram com 14 e 12 pontos, respectivamente.

“Sabíamos da importância desse jogo dentro da série. Tínhamos que ganhar para irmos tranquilos para Mogi e agora estamos a um passo da classificação. Fizemos uma boa defesa e atacamos com inteligência para ganharmos e termos tranquilidade agora no confronto”, disse Ramon.

Pelo lado do Mogi, os destaques ficaram por conta do também norte-americano Jason Smith, autor de 17 pontos, sendo 12 deles vindos de quatro bolas certeiras de longa distância – todas no segundo quarto, e Ted Simões, que marcou 15 tentos. Quem também apareceu bem foi o pivô Sidão, com 13 pontos e sete rebotes. A equipe atuou desfalcada do ala Marcus Toledo, que ficou de fora por conta de uma lesão muscular na perna esquerda sofrida no primeiro jogo da série, na última sexta-feira.

“Fomos muito mal no primeiro quarto. Levamos 27 pontos no primeiro quarto e isso não pode acontecer. Temos que entrar mais concentrados, já que no último jogo também fomos mal no início do jogo. Temos que esquecer essas derrotas e ir com tudo para os jogos em casa agora”, afirmou o pivô Daniel Alemão, responsável por oito pontos e 12 rebotes.

Sem Toledo, Paco García optou pela entrada de Sidão para formar o garrafão com Daniel Alemão. Além disso, o treinador do Mogi também promoveu a entrada do garoto Jefferson Campos na vaga de Filipin no quinteto inicial. As novidades surtiram efeito e os visitantes equilibraram as ações nos minutos iniciais do confronto.

O pivô, de 2,13m de altura, começou muito bem a partida e logo anotou oito pontos. Enquanto isso, o ala/armador, de 23 anos, executou um ótimo trabalho defensivo para cima do rival David Jackson. Diante destes fatos, o placar ficou bastante acirrado e com pouco mais de dois minutos para o fim do primeiro quarto, os donos da casa tinham apenas um ponto de frente (15 a 14).

Mas tudo mundo nos instantes finais da parcial. Jackson passou a achar espaços na defesa mogiana e marcou cinco pontos praticamente seguidos. Enquanto isso, o ótimo trabalho defensivo dos limeirenses passou a dificultar a vida dos visitantes. Então, depois de uma rápida sequência de 9 a 2, os comandados do técnico Demétrius colocaram oito pontos de frente (24 a 16). A vantagem já era confortável, mas ficou ainda melhor. No último lance da parcial inicial, Renato roubou a bola e converteu um lindo tiro pouco à frente do meio da quadra para ampliar a diferença no marcador para 11 pontos (27 a 16).

A rápida arrancada no final do primeiro período e bela cesta do experiente jogador no estouro no cronômetro embalaram Limeira no início do segundo quarto. Melhor na partida, a equipe mandante chegou a colocar 14 pontos de frente (32 a 18). Mas Jason Smith tratou de recolocar Mogi no jogo. Com a mão calibrada, o norte-americano converteu incríveis três bolas da linha de três pontos seguidas e teve total importância para que os representantes do Alto do Tietê reduzissem o prejuízo para oito pontos (35 a 27).

Utilizando do mesmo artifício que fez com que os rivais diminuíssem a vantagem, Limeira contou com um bom aproveitamento nos tiros de longa distância de Hélio e Renato, que converteram duas bolas de três pontos cada durante a segunda parcial, para interromper a reação mogiana e manter uma boa diferença de pontos a seu favor.

Do outro lado da quadra, os comandados de Paco García até conseguiram manter uma boa produção, ainda com o protagonismo de Smith, mas não o suficiente para impedir que os donos da casa levassem dígitos duplos de frente para os vestiários. Novamente após uma cesta no estouro do cronômetro, desta vez com Teichmann, que converteu dois pontos e ainda sofreu falta, os limeirenses fecharam a primeira metade da partida com o placar em 55 a 42 a seu favor.

A volta do intervalo foi completamente favorável ao Mogi. Com uma forte defesa, a equipe parou o ataque dos rivais e teve liberdade para contra-atacar. Além disso, Ted Simões, grande destaque do time nas oitavas de final, converteu suas primeiras bolas de três pontos na série – foram três praticamente seguidas – e foi fundamental para que a diferença no marcador caísse para apenas três pontos (61 a 58), com três minutos para o fim do terceiro quarto. Nos instantes finais da parcial, Jackson e Ramon apareceram bem e deixaram os donos da casa com seis pontos de frente (67 a 61) para o último período.

Mais tranquilo em quadra e contando com o apoio de sua barulhenta torcida, Limeira se portou muito bem nos dez minutos finais da partida. Trabalhando muito bem a bola em seu ataque e com uma boa defesa, a equipe não deu chances para os mogianos reagirem e confirmou a vitória com tranquilidade para ficar muito próxima da inédita classificação às semifinais do NBB.