#JOGAJUNTO

NBB CAIXA

Que começo!

26-12-2015 | 12:00
Por Liga Nacional de Basquete

Com dez vitórias em 12 partidas, Paulistano tem seu melhor início na história e fecha 2015 na liderança isolada da oitava edição do NBB

Paulistano fechou o ano de 2015 como líder isolado do NBB (delima/dubem)

Paulistano fechou o ano de 2015 como líder isolado do NBB (delima/dubem)

O Paulistano/Corpore fechou o ano de 2015 como a melhor equipe da oitava edição do NBB. Com dez vitórias nas 12 partidas que disputou, o clube da capital paulista está isolado na ponta da tabela de classificação do maior campeonato de basquete do país.

Com oito triunfos nas oito primeiras partidas, a equipe estabeleceu seu melhor início na história do NBB. O fim da invencibilidade aconteceu no duelo contra o São José e a outra derrota foi para o Franca no último jogo do ano.

Dentro de suas dez vitórias, a equipe superou todos os seus concorrentes diretos. Com triunfos sobre o vice-líder Bauru, o atual tricampeão Flamengo, dono da terceira posição, e Mogi, quarto colocado, o Paulistano superou todas as equipes que estão no G-4 neste início de campeonato.

“Esse rendimento nosso é o reflexo do trabalho. Falei desde a primeira entrevista e do primeiro jogo ganho, temos trabalhado bem, o time está bem demais, a cabeça está boa e o mais importante é que somos uma equipe que não se abate, que mantém o ritmo”, disse o pivô Caio Torres, principal pontuador do Paulistano no NBB.

“É difícil esperar o que está acontecendo, porque foi um time formado agora. Pelos jogadores que tem e os nomes que estão neste elenco, se pode esperar muita coisa, mas é bem difícil dá tão certo, em tão pouco tempo e com jogadores tão novos. Estamos de parabéns, mas ‘pé no chão’, ainda é o começo. Temos uma longa jornada até os playoffs”, completou Caio.

Uma das dez vitórias do Paulistano foi sobre o atual tricampeão Flamengo (delima/dubem)

Uma das dez vitórias do Paulistano foi sobre o atual tricampeão Flamengo (delima/dubem)

Vice-campeão do NBB 2013/2014, o Paulistano manteve a base para a temporada seguinte e acabou eliminado precocemente nas oitavas de final. Então, o clube resolveu mudar praticamente todo o seu elenco e a reformulação funcionou muito bem.

Em relação ao plantel que disputou o NBB 2014/2015 permaneceram apenas o armador norte-americano Kenny Dawkins e os jovens Gemerson e Arthur Pecos. Com praticamente toda sua folha salarial disponível para se reforçar, o Paulistano movimento mercado e acertou importantes contratações.

Do São José vieram o pivô Caio Torres e o armador Valtinho. Ex-Palmeiras, o pivô Toyloy e o ala Jhonatan acertaram seus retornos aos clubes. Depois de quatro anos em Uberlândia, Gruber foi outro reforço contratado, assim como o pivô Guilherme Hubner, ex-Liga Sorocabana.

“Não foi difícil entrosar o time porque eles (jogadores) são muito inteligentes. Quando você lida com jogadores muito inteligentes e refinados tecnicamente, as coisas ficam mais fáceis. Não tem sensação, eu não sou a sensação, apenas os jogadores são a sensação do campeonato, quem joga são eles, ai fica fácil. Muita coisa que acontece, apesar do treino, é improviso e improviso com um cara inteligente e bom fica mais fácil. O mérito é todo deles”, analisou o técnico Gustavo De Conti.

Caio Torres é um dos grandes responsáveis pela boa campanha do Paulistano (delima/dubem)

Caio Torres é um dos grandes responsáveis pela boa campanha do Paulistano (delima/dubem)

Um dos reforços da equipe para a temporada, o pivô Caio Torres é um dos grandes responsáveis pelo ótimo início da equipe. Melhor fisicamente do que nos anos anteriores, o jogador é o quinto maior cestinha da competição, com média de 16,8 pontos por jogo e o que mais converte bola de dois pontos de todo o campeonato (5,8 por jogo).

“O Caio esta 16 quilos mais magro. Ele perdeu três dias de treino no começo do NBB e não tem o que falar, ele é exemplar. Eu não gosto de falar muito individualmente, se não falarei de todos a mesma coisa. O que falarei sobre o Caio, é o mesmo que falarei para o Guilherme, Toyloy, para todos: dispensa comentários. Quantos jogadores foram para Londres e tão jogando no Brasil? O Caio é um deles”, exaltou De Conti.

Outro grande trunfo do ótimo começo do Paulistano é a parceria entre os armadores Valtinho e Dawkins. Titulares em todos os jogos da equipe, os dois jogadores se completam e quando opta por armar o jogo o outro já está pronto para finalizar.

“A vinda do Valtinho foi bastante por conta do Kenny, pois é muito quente, tem um aproveitamento alto e joga muito pelo time também. Quisemos liberar ele para atacar, nesta temporada. Mas o Valtinho veio para isto e para agregar na defesa. Ele marcou Robert Day contra Bauru, no jogo contra o Mogi, marcou o Shamell. Ele veio para organizar, defender, ajudar no vestiário. Ele veio para ajudar no dia-dia de treino também. O Valtinho não perdeu momento nenhum de um treino. É um exemplo. Não veio só para isso, tem muito mais”, afirmou o comandante Gustavo De Conti.

Dono do quarto melhor ataque (83,0 pontos por jogo) e da quarta melhor defesa da competição (74,08 pontos sofridos por jogo), o Paulistano tem um elenco homogêneo e oito jogadores somam média superior a 15 minutos por jogo. Sendo assim, a intensidade é sempre uma marca registrada da equipe durante os jogos.

“Sabemos que o que fizemos até agora não significa nada, porque temos que terminar o campeonato em primeiro, agora não faz diferença. Vamos continuar trabalhando e continuar respeitando nossos adversários, tentando fazer nosso melhor dia-dia, porque sabemos que não somos o time mais forte do campeonato, mas podemos ser bem competitivo e surpreender. Só com bastante trabalho diário”, explicou De Conti.

“Nós merecemos esse início bom. Nós estamos jogando bem, convencemos isto diante dos times e merecemos isto que conquistamos. O mais importante é continuar isso. Não fizemos nada até agora”, concluiu o treinador do Paulistano.

Dupla Valtinho e Dawkins está dando o que falar neste ótimo início do Paulistano (delima/dubem)

Dupla Valtinho e Dawkins está dando o que falar neste ótimo início do Paulistano (delima/dubem)