#JOGAJUNTO

Jogo das Estrelas / NBB

MOGI É TRI

19-03-2021 | 10:43
Por Liga Nacional de Basquete

Mogi abusa da criatividade, conquista tricampeonato do Enterradas Kwai e se sagra maior vencedor da disputa

Hoje a noite é dele. Entrando em quadra para ir em busca de seu tricampeonato no torneio de Enterradas Kwai, Mogi, do Mogi Basquete, fez valer a máxima de que “missão dada é missão cumprida” ao superar Alex Dória, do Cerrado, na noite desta sexta-feira (19), no Ginásio Tijuca Tênis Clube. Com mais um troféu para sua coleção, o atleta é o único tricampeão do torneio, superando Gui Deodato dono de dois títulos.

Mogi pula Maique, de 2,10m, para finalizar sua dunk e garantir seu tricampeonato (FotoJump/LNB)

Por ser o último campeão, Mogi entrou na disputa já nas semifinais e venceu Renan Lenz e, na exibição final, Alex Dória. O primeiro título de Mogi no Torneio das Enterradas aconteceu no Jogo das Estrelas 2016, realizado em Mogi das Cruzes (SP) e, depois, em 2019 no torneio que aconteceu em Franca (SP).

“Todo mundo está de parabéns e acredito que conseguimos dar uma noite divertida para as pessoas que estão em casa. Eu gosto de fazer algumas enterradas depois do treino, então, é bem natural para mim. Estou muito feliz por mais um título”, comemora o ala mogiano que ainda levou para casa um cheque de R$ 5.000,00.

O corpo de júri da competição teve um elenco especial: Damiris Dantas, jogadora da seleção brasileira e da WNBA; Cocielo, youtuber brasileiro com mais de 20 milhões de inscritos em seu canal; Gustavo Hofman, jornalista da ESPN e apresentador do podcast ‘Na Quadra’ e Gui Deodato, atleta do Bauru Basket e bicampeão do torneio de enterradas. O quinto voto veio do público presente em casa, que podia votar através do NBBx, parceria com a Dezoito18.

Primeira fase:

Edu Marília (Franca) x Renan Lenz (São Paulo)

Primeiro competidor e estreante no torneio de Enterradas Kwai, Edu Marília fez uma exibição simples e acabou acertando na terceira tentativa. Já Renan acertou de primeira e foi unanimidade entre os jurados.

Túlio Silva (Caxias do Sul) x Alex Dória (Cerrado)

Com o auxílio da tabela, Túlio não foi feliz nas primeiras tentativas e acabou improvisando pela dunk tradicional para não sofrer o estouro do tempo. Contando com o companheiro de equipe, Alex Dória chamou Crescenzi para uma ‘tabelinha’ e converteu de primeira. Mais uma vez, os jurados tiveram a mesma opinião e passaram Dória para a próxima fase.

 

Maique (Paulistano) x Lucas Cauê (Corinthians)

Maique optou pela criatividade e tentou uma enterrada com duas bolas, mas – por conta do tempo – não completou o objetivo e acabou conversando apenas uma bola. Do outro lado, Lucas Cauê, de máscara, conseguiu uma enterrada de costas e teve a preferência do corpo de jurados.

Semifinal:

Renan Lenz (São Paulo) x Mogi (Mogi)

Com Georginho, Renan Lenz tentou a enterrada e acertou na terceira tentativa. Mogi já entrou na semifinal por ser o atual bicampeão do torneio. O jogador mandou uma dunk com um belo giro e não deixou dúvidas aos jurados.

Alex Dória (Cerrado) x Lucas Cauê (Corinthians)

Caracterizado com as roupas de Billy, do filme “Homens Brancos Não Sabem Enterrar”, de 1992, Alex Dória arrasou na criatividade e foi certeiro na dunk. No duelo, Lucas Cauê não teve sucesso nas primeiras tentativas e acabou optando por um movimento mais simples. Mais uma vez, unânime entre os jurados a favor de Dória.

Final:

A final bem equilibrada. Na exibição final, Alex Dória passou cima do árbitro e com passe do companheiro Crescenzi convertendo de primeira. Mogi, optou por pular Maique, do Paulistano, e dono de 2,10m de altura, obtendo sucesso na sua dunk e conquistando os jurados.

Resultados finais: 

Primeira fase:

Edu Marília (Franca) x Renan Lenz (São Paulo)

Túlio Silva (Caxias) x Alex Dória (Cerrado)

Maique (Paulistano) x Lucas Cauê (Corinthians)

Semifinal:

Renan Lenz (São Paulo) x Mogi (Mogi)

Alex Dória (Cerrado) x Lucas Cauê (Corinthians)

Final:

Mogi (Mogi) x Alex Dória (Cerrado)