#JOGAJUNTO

NBB

Ressurge o alviverde imponente

03-10-2012 | 04:07
Por Liga Nacional de Basquete

Com história no basquete, campeão brasileiro em 1977, Palmeiras volta a marcar presença na elite da modalidade com estreia no NBB

Basquete e Palmeiras: uma combinação que volta com tudo na próxima temporada do NBB (Fabio Menotti/Divulgação)

Um debutante com muita experiência. Pode parecer contraditório, mas se o Palmeiras é estreante no NBB, por outro lado, tem uma rica história de serviços prestados ao basquete. O tradicional clube paulista transformou lealdade em padrão e já levou de vencida diversas vezes na modalidade, sendo campeão brasileiro em 1977 e paulista por 12 vezes. A lista de ilustres jogadores que já vestiram a camisa alviverde é vasta: Oscar Schmidt, Rosa Branca, Ubiratan, Wlamir Marques (como técnico), Paulinho Villas Boas, Claudio Mortari, Edvar Simões, Marcel, Chuí, Cadum, entre outros.

Só que os últimos anos foram de vacas magras. O clube viveu um longo período sem uma equipe adulta, mas sempre com o trabalho nas categorias de base. Havia o interesse em reviver os tempos de glórias, e a diretoria palestrina elaborou um projeto de médio a longo prazo para que o Palmeiras voltasse a aparecer na elite do basquete nacional. O objetivo foi alcançado nesta temporada, com a conquista de uma vaga no NBB 2012/2013, através do vice-campeonato da Super Copa Brasil.

De acordo com o diretor de basquete do Palmeiras, Ronaldo Aguiar Faria Jr., a retomada da modalidade no clube teve início há sete anos, com uma reformulação nas categorias de base. A intenção era formar uma equipe principal em 2010. Mas etapas foram queimadas antes da hora, e o alviverde chegou a se envolver com o NBB graças a uma parceria com Araraquara, na temporada 2009/2010. Só que acabou não sendo um retorno de verdade, segundo o dirigente.

“Não era bem a nossa intenção. Hoje em dia, a gente avalia aquele passo como um pouco prematuro. Acreditamos que, de fato, o retorno do Palmeiras foi agora. Recomeçamos o trabalho. Disputamos a Série A-2 do Paulista em 2011 e a Super Copa Brasil em 2012. Conseguimos o sucesso em ambas as competições. Assim, o basquete voltou a ficar completamente enraizado no Palmeiras”, disse Ronaldo.

A modalidade voltou a fazer parte da rotina do clube. O ginásio Palestra Itália recebeu em peso a torcida que canta e vibra durante a participação do Palmeiras no Campeonato Paulista, em que a equipe não conquistou a classificação para as quartas de final. Mas o trabalho segue firme e forte, graças a uma mescla de jogadores experientes e da base palestrina.

Tiagão é cria do Palmeiras e volta ao clube de origem para tentar formar uma defesa que ninguém passa (Fabio Menotti/Divulgação)

“O basquete sempre esteve presente no Palmeiras, que nunca deixou de estar envolvido. O clube disputa os campeonatos de todas as categorias de base. O Palmeiras continuou sendo um formador de jogadores. A diferença é que agora voltamos a usar esses talentos em uma equipe adulta. Temos seis jogadores da base no elenco”, comentou o diretor de basquete.

Entre esses seis atletas que vieram das categorias inferiores, um deles buscou a sorte em outros lugares e foi recontratado para esta temporada: o pivô Tiagão (ex-Joinville). Além dele, o ala/pivô Jordan Burger (ex-Minas e campeão do Torneio de Enterradas do Jogo das Estrelas de 2011), o ala norte-americano Fred Peete e o ala/armador Gustavo Scaglia desembarcaram no Palestra Itália.

Do elenco da temporada passada, permaneceram dez jogadores. Destaque para o armador norte-americano Caleb Brown, com médias de 17,9 pontos, 4 rebotes e 3,1 assistências por jogo no Paulista. Os armadores Arthur Pecos e Caio, os alas Lucas Costa, Mudo e Douglas Viegas, Gilson de Jesus e os pivôs Marcão, Rodrigo e Gustavo Lino completam o grupo comandado pelo técnico Padola, que ainda deve ganhar mais um estrangeiro para a disputa do NBB.

Trata-se de um plantel que agrada a diretoria alviverde. “Eu disse para o presidente (Arnaldo Tirone) que se tivéssemos um investimento maior do que temos, eu montaria um time próximo do que formamos. É uma equipe competitiva e profissional. Eu acredito no entrosamento dessa equipe”, falou Ronaldo.

Os planos palmeirenses são muito ambiciosos, conforme já foi divulgado anteriormente, de recolocar o clube no topo do basquete nacional e mostrar novamente que, de fato, é o campeão, disputando em até três anos o título do NBB, e de preferência na Arena Palestra, o novo estádio alviverde que será inaugurado no segundo semestre de 2013. Mas, por ora, as metas são mais modestas. “Nosso primeiro objetivo é conseguir a vaga entre os 12 nos playoffs. E se chegarmos às quartas, posso dizer que fizemos muito bem a nossa parte”, declarou o diretor de basquete, sabendo bem o que vem pela frente e reconhecendo a dureza do prélio do NBB.

Jordan Burger é uma das contratações do Palmeiras para o retorno do tradicional clube à elite do basquete brasileiro (Fabio Menotti/Divulgação)

Clássico histórico nos gramados e nas quadras

O Palmeiras não é o primeiro time com muita tradição no futebol a participar do NBB. O Flamengo já tem uma longa história na competição, tendo sido campeão em 2008/2009 e vice em 2009/2010. Há muita expectativa para as equipes revivam nas quadras de basquete o clássico nacional tão visto nos estádios de futebol. Confronto que também tem tradição na modalidade da bola laranja, já que foi a final do Brasileiro de 1977, vencida pelo alviverde.

Ronaldo admitiu que o assunto é muito comentado nos corredores do clube paulista, até pela preocupação por causa da rivalidade das torcidas. Mesmo assim, não há dúvidas de que tudo dará certo, e que a competição será premiada com duas grandes exibições, uma em São Paulo, outra no Rio de Janeiro.

“Aqui, não se fala em outra coisa. Todo mundo já está pensando nesse Palmeiras e Flamengo. Já entramos em contato com a diretoria do Flamengo para deixar tudo tranquilo quando acontecer o jogo, a gente sabe que são duas torcidas de massa. Mas na base, o Palmeiras enfrenta o Corinthians e nada acontece, seja aqui ou lá. Tenho certeza de que tudo sairá tranquilamente e as duas equipes farão um grande espetáculo”, comentou Ronaldo.

O ressurgimento do alviverde imponente no basquete nacional não vai tardar. A estreia do Palmeiras no NBB acontecerá no dia 24 de novembro, contra o Suzano/Cesumar/Campestre, fora de casa.