#JOGAJUNTO

NBB

A nova geraçãofrancana

21-11-2020 | 12:07
Por Liga Nacional de Basquete

Conhecido por sua veia formadora, Franca investe em jovens promessas do basquete nacional na rotação do elenco no NBB 2020/2021

Reta final de clássico no Hugo Ramos, Mogi das Cruzes e Sesi Franca Basquete se alternam na liderança com o jogo totalmente em aberto. Nesse momento de tensão, Gui Abreu, jovem promessa francana, estava em quadra e fez uma bola importante de três pontos quando o placar apontava 79 a 78 para o time francano, aumentando a vantagem do time em um momento crucial do jogo.

No final, a equipe francana venceu a partida por 94 a 82 e conquistou uma vitória importante para o andamento da competição.

Mas essa situação diz muito não só sobre o talentoso ala de 21 anos, mas também sobre outros dois jovens que têm feito parte regularmente da rotação da equipe francana nesse início de NBB: o ala/pivô Márcio e o armador Adyel, ambos de 18 anos. Todos com média superior a 15 minutos de ação por partida na temporada até agora.

“A gente se propôs a fazer isso mesmo nesse ano. Entendemos que precisávamos ser mais responsáveis e tomar a atitude de enxugar um pouco a folha salarial. Então a gente tinha de dar mais espaço para os jovens, acreditando no trabalho da nossa base. A partir disso, eles ganharam confiança. Foi importante também o apoio dos jogadores veteranos”, afirmou o treinador Helinho.

Helinho reforça o espaço dado aos jovens no Franca nesta temporada do NBB (João Pires/LNB)

Os próprios jovens também fazem questão de exaltar o papel que os mais experientes, como Elinho, Danilo Fuzaro, André Góes, Lucas Dias e Guilherme Hubner, têm tido nesse momento de crescimento que atravessam.

“Os mais experientes ajudam demais. Estão sempre à disposição para dar uma palavra de confiança ou aquela porrada que às vezes é necessária. Isso ajuda a gente todo dia a chegar preparado para o jogo”, comentou Adyel.

Confiança é uma palavra que apareceu também no relato de Gui Abreu, que com mais minutos tem tido em suas mãos a oportunidade de ajudar mais a equipe que o formou.

“Os caras sabem do nosso potencial e confiam na gente. Eu fico muito feliz em poder ajudar a equipe. Eu nunca estive em uma equipe tão unida. Os caras mais experientes que já estavam em Franca e continuaram para essa temporada abraçaram o projeto. Eles sabem que para vencer é preciso contar com 10 ou 12 jogadores dentro de um elenco. Então eles procuram nos passar dicas o tempo inteiro. Sempre com muito respeito e cuidado com a gente”, disse o jovem jogador.

Gui Abreu tem tido mais minutos com a camisa francana nessa temporada (João Pires/LNB)

Márcio destacou um outro item na relação entre garotos e os mais experientes: a cobrança.

“Rola todo dia, em todo treino. Errou? Tem cobrança. Mas isso é uma coisa boa, sempre buscando evolução da gente. Existe uma pressão, mas eu gosto da responsabilidade e liberdade que estão me dando, além da possibilidade de crescimento. Eu procuro evoluir todo dia, a cada jogo. Estão apostando muito em mim e eu estou dando meu máximo todo dia”, continuou o ala-pivô.

Para Helinho, a resposta que os jovens têm dado em quadra tem sido resultado do trabalho de um monte de gente envolvida nesse processo: dos técnicos da base, que participaram da formação desses atletas, dos preparadores físicos da equipe adulta, que os deixaram em condição de aguentar um nível maior de intensidade de jogo, e dos próprios garotos, pela maneira como vêm encarando essa oportunidade.

“Desde o começo a gente vem conversando muito com eles, dando feedback sobre que está bom como sobre o que precisam melhorar. Conversamos bastante também sobre a intensidade que precisam jogar, e eles vêm entendendo isso. Quando uma pessoa se prepara mentalmente para executar algo, naturalmente ela vai produzindo e vê os frutos depois. Fico até emocionado em falar por ver eles ajudando já em jogos fundamentais”, afirmou o treinador.

Para Helinho, os jovens já conseguem ajudar em jogos fundamentais (João Pires/LNB)

Ao mesmo tempo em que a conquista de minutos no Sesi Franca é uma conquista e tanto para esses garotos, é importante eles entenderem que o processo de crescimento está apenas no começo. Com relação a isso, Helinho não parece ter preocupação nenhuma. A confiança que tem para coloca-los na rotação é a mesma com relação ao foco deles.

“Apesar de serem jovens, eles têm muita personalidade e total consciência sobre essa questão. Isso nos motiva ainda mais para que eles continuem ganhando as características de um grande atleta”, declarou.

O NBB é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB), com chancela da Confederação Brasileira de Basketball (CBB) e em parceria com a NBA e o CBC, e conta com os patrocínios oficiais da Budweiser, Nike, Penalty, Plastubos, EY, Betmotion, IMG Arena e Genius Sports.