#JOGAJUNTO

NBB

O caminhoda vitória

01-06-2019 | 08:47
Por Liga Nacional de Basquete

Defesa forte, garrafão dominante e mais: confira os fatores decisivos da vitória do Flamengo no Jogo 4 das Finais

O Flamengo entrou no Jogo 4 das Finais do NBB CAIXA com as costas na parede, precisando vencer de qualquer maneira para seguir na briga pelo título. Com uma atuação bem sólida, a equipe rubro-negra conseguiu a vitória sobre o Sesi Franca Basquete, por 76 a 62, e levou a decisão para o Jogo 5.

Em uma série dominada pelos ajustes e pelas mudanças nas estratégias das equipes, o triunfo do clube da Gávea passou por alguns pontos que já tiveram sua importância comprovada nas partidas anteriores (inclusive fizemos uma análise a respeito desses fatores decisivos).

A forte defesa, principal marca da equipe comandada pelo treinador Gustavo De Conti, foi um desses pontos. Assim como foi no Jogo 1, em que venceu por 82 a 68, o Flamengo conseguiu limitar o ataque de Franca, o melhor da competição, em mais de 20 pontos (média de 86,17 pontos por jogo).

“Nossa defesa foi muito importante, conseguimos diminuir o ataque de Franca, que tem média de quase 88 pontos, para 62. É quase impossível você ganhar uma partida de playoffs com 62 pontos, ainda mais na casa do adversário. E foi isso que aconteceu, precisamos continuar nessa pegada, nessa luta um com o outro, para que a gente consiga ter uma melhora ainda melhor na defesa”, afirmou o ala Marquinhos, cestinha da partida com 25 pontos.

+Experiente em Finais, Marquinhos faz grande partida e é eleito MVP da Galera

Flamengo dominou os pontos no garrafão e os rebotes no Jogo 4 (Fotojump/LNB)

Outro ponto fundamental nas Finais até aqui é o jogo no garrafão. Depois de sofrer com o jogo interno francano na última partida (40 x 16 em pontos na área pintada), o Flamengo foi extremamente dominante nesse quesito no Jogo 4.

O time rubro-negro anotou 44 pontos oriundos das bolas de 2 pontos, sendo que 38 deles foram dentro do garrafão. Do outro lado, o Franca conseguiu fazer apenas 28, contrariando os números da última partida e da série no geral, que mostrava o time francano liderando por 102 x 82 nesse quesito.

Quem se destacou nesses pontos mais próximos da cesta foi o pivô Anderson Varejão. O experiente jogador deixou a partida com 19 pontos (16 deles na área pintada), além de nove rebotes e 19 de eficiência, além de toda a sua raça demonstrada em todos os momentos em que está em quadra.

O treinador Gustavo De Conti falou sobre a boa partida Varejão e sua real importância dentro de quadra, que não está em pontuar muito, mas sim em desenvolver o “trabalho sujo” que sempre realizou em sua carreira.

“O Varejão é um cara que as vezes não aparece muito na pontuação, mas que está sempre ajudando na defesa, nos rebotes. Ele foi campeão na Espanha, campeão na NBA, fazendo esse tipo de trabalho. Não adianta a gente esperar que ele vá fazer 30 pontos, porque ele não vai, ele vai fazer esse trabalho ‘sujo’ que é tão ou até mais importante que os pontos”, avaliou o treinador Gustavo De Conti.

E para finalizar os pontos chave, entra a importância dos rebotes e, consequentemente, dos pontos de segunda chance. O Flamengo vem dominando esses dois quesitos na série, com exceção ao Jogo 3, única partida em que foi inferior ao time francano.

No duelo deste sábado, o rubro-negro voltou a liderar esses fundamentos com uma certa folga. Nos rebotes, o Flamengo pegou 43, sendo 14 deles ofensivos, enquanto o time francano totalizou 30 sobras, sendo somente seis na área pintada do adversário. Além disso, o Flamengo fez 16 pontos de segunda chance (oriundos de rebotes ofensivos), contra apenas dois do Franca.

“O rebote é sempre importante. Não necessariamente quem pega mais rebotes ganha o jogo, mas é fundamental ter segunda chance, você defender bem e não dar segunda chance ao adversário. É uma questão muito de confiança, quando você pega muitos rebotes de ataque o seu time fica mais confiante, quando você não deixa o outro time pegar, tira a confiança deles. Então, além de ser um aspecto técnico, por ser um fundamento, é um aspecto mental também”, finalizou o comandante rubro-negro.

O NBB CAIXA é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB), em parceria com a NBA, e conta com os patrocínios oficiais da CAIXA, Budweiser, INFRAERO, Avianca, Nike e Penalty e os apoios de UNISAL, Açúcar Guarani, Ministério do Esporte e Governo Federal.