#JOGAJUNTO

LNB / NBB

Tradição ejuventude

16-10-2020 | 06:46
Por Liga Nacional de Basquete

Com veia formadora e elenco jovem, Pinheiros vem para o NBB 2020/21 com elenco mais jovem da história do NBB; conheça mais sobre o clube

Pinheiros virá com o time mais jovem da história do NBB nesta temporada (Beto Miller/Corinthians )

O Esporte Clube Pinheiros é com toda certeza uma das equipes mais tradicionais da história do NBB. Sendo um dos clubes fundadores da Liga, a equipe já participou de todas as edições da competição, tendo em sua história muitos momentos marcantes

Além disso, o Pinheiros cultivou ao longo dos anos uma veia formadora, com alguns dos principais nomes do basquete brasileiro já tendo atuado nas categorias de base da equipe paulista do Jardim Europa.

Nesta temporada, mais do que nunca, o clube investirá nesta veia formadora e terá o time mais jovem da história do NBB, com uma média de 21 anos de idade. Mas antes de falarmos mais sobre o elenco e o que esperar da equipe para esta temporada, bora conferir um pouco a história desse clube tão tradicional do NBB.

Um dos maiores clubes do país

Em sua história, o Esporte Clube Pinheiros carrega uma tradição mais que centenário com o compromisso com o esporte. Fundado em 1899, o clube poliesportivo, que é o maior da América Latina, desenvolve atividades em mais de 70 modalidades, sendo olímpicas ou não.

Pinheiros é o maior clube poliesportivo da América Latina (Divulgação/Pinheiros)

Com mais de 39 mil associados, o clube proporciona aos sócios e atletas convidados o melhor das suas instalações poliesportivas para o desenvolvimento dos mesmos. Utilizando, ainda, o esporte como um meio de transformação social e cultural para quem frequenta e utiliza do clube.

O resultado disso tudo é uma tradição gigantesca do Pinheiros em esportes olímpicos, sendo um dos clubes nacionais que mais detém medalhas olímpicas e pan-americanas no Brasil. No último Pan (Lima), por exemplo, os atletas brasileiros que fazem parte do plantel do clube paulista levaram para casa cerca de 45 medalhas, sendo elas 17 de ouro, 15 de prata e 13 de bronze. Além disso, o clube também acumula o maior número de medalhas olímpicas do país, com 12 medalhas.

Pinheiros no basquete

Dentro da gama dos esportes olímpicos, o Pinheiros tem no basquete uma de suas modalidades mais tradicionais. O departamento de basquete da equipe surgiu em 1926, e de lá para cá construiu uma bonita história na modalidade.

Um dos grandes nomes da história do basquete pinheirense, curiosamente, foi Zilda Ulrich, uma das primeiras mulheres a integrar a equipe de basquete do clube e a acumular conquistas no mundo da bola laranja –  Bronze nos Jogos Pan-Americanos da Cidade do México (1955) e prata nos Jogos Pan-Americanos de Chicago (1959). No Campeonato Sul-Americano de Basquetebol Feminino foi para em Santiago, 1946, e em Assunção, 1952. Ouro na edição de São Paulo, 1954 e na de Lima, 1958.

O novo Pinheiros

Após um processo de reformulação no time adulto, o Pinheiros voltou ao cenário da elite do basquete nacional com força. Prova disso foi a participação do clube na fundação do Liga Nacional Basquete e consequentemente do NBB, responsável pela maior renovação já vista na história do basquete brasileiro.

Pinheiros foi um dos clubes fundadores da Liga Nacional de Basquete (Ricardo Bufolin/ECP)

A maior prova dessa força do clube no basquete nacional foram as campanhas e conquistas atingidas no decorrer das últimas 12 temporadas de vida do NBB, com a equipe conquistando títulos estaduais e internacionais – Campeão do Campeonato Paulista 2011 e da Liga das Américas 2013.

Além disso, o time bateu na trave em outras oportunidades, sendo elas no Campeonato Mundial Interclubes 2013, Liga das Américas 2014, Liga Sul-Americana: 2011/12, Campeonato Paulista 2010 e 2012, Torneio Interligas 2011 e 2012. Já no NBB, as melhores campanhas da equipe foram na temporada 2010/2012 e 2011/2012 com o terceiro lugar no NBB, além da semifinal do NBB 2016/2017, depois de vencer times tradicionais, como Vasco e Flamengo.

Comandante promissor

Nesta temporada, a equipe passou por uma grande reformulação, que passou desde do plantel de jogadores ao comando técnico. A equipe, agora, carrega o posto de time com a menor média de idade a disputar o NBB – média de 21 anos.

Para o comando desse plantel, o técnico David Pelosini, bicampeão da LDB com a base pinheirense, terá o desafio de comandar o time no profissional. Felizmente, a primeira experiência do treinador será com praticamente o mesmo material humano que o acompanhou na última temporada, ainda quando comandava a base.

David Pelosini foi bicampeão da LDB pelo Pinheiros (João Pires/LNB)

Para David Pelosini, o nível do NBB, claramente, será superior aos das LDB’s que venceu com os garotos que hoje integram o time principal, mas ressaltou que o nível de entrega durante a competição será alto.

“Sabemos que o NBB é de nível muito acima do LDB, mas só poderemos saber o que podemos ser e fazer quando a bola subir. Enquanto isso, como sempre, vivemos intensamente o momento presente nos aprimorando a cada prática diária e nos unindo a cada adversidade e desafio. Tenho orgulho da nossa caminhada vitoriosa na base, passo a passo e agradeço a Deus pela oportunidade que terei de representar um clube da envergadura do ECP no principal campeonato do País”, afirmou o treinador, que completou:

“Vejo a comunidade do basquete como uma grande família que demonstra nas partidas o que de melhor podemos ser. Logo, entregaremos tudo que temos em quadra buscando as vitórias de forma coletiva e destemida. Nossos reforços foram selecionados minuciosamente e estou muito contente com a nossa preparação até aqui”, reiterou.

Treinador terá primeira oportunidade de comandar um time adulto do NBB (João Pires/LNB)

Vencedor das duas últimas edições da LDB, com campanhas contundes, o Pinheiros de David Pelosini se firmou como a melhor equipe de base do país. Pensando agora no profissional, o treinar já projeta como tratará o elenco e alguns pontos importantes do método de trabalho que irá aplicar.

“Meu trabalho é construído sempre coletivamente. Compartilho minhas ideias de jogo, de organização de treinos, de conduta dentro e fora das quadras com todos os envolvidos. Até as estratégias para as partidas decisivas construo com o time no diálogo pauteado nos conhecimentos compartilhados no dia a dia. Nas práticas diárias podemos ir construindo um modelo de jogo que favoreça os atletas, e que assim, propicie companheirismo em todos os lances propostos pelo jogo e pela nossa vida. Fazer juntos é mais significativo que fazer sozinho. Logo, projeto dentro de quadra um time unido e aguerrido, que tem em seu gene uma juventude de qualidade e no seu sistema defensivo sua marca”, disse o treinador.

Elenco mais jovem da história, mas com voz experiente

Como já dito acima, o Pinheiros virá para o NBB com o time mais jovem da história da competição. A média de idade da equipe é de 21 anos, contando com diversos nomes que venceram a LDB 2019, se tornando o melhor time de base do país na época.

Dentro destes nomes, Jonas Buffat, ala/armador e MVP da Final da LDB 2019, surge como um dos novos líderes desse Pinheiros. Na LDB 2019, por exemplo, o MVP da Final não veio por acaso, mas sim foi construído através de ótimas atuações na competição, onde anotou médias de 13,2 pontos, 5,8 rebotes, 4,3 assistências e 16,4 de eficiência.

Buffat é um dos jovens promissores do Pinheiros (Marcos Limonti/Franca)

Já no NBB 2019/20, com mais oportunidades no elenco de cima, o jogador atuou em 27 partidas e anotou médias de 5,1 pontos, 3,1 rebotes, 1,3 assistências e 7,3 de eficiência, funcionando como uma boa peça na rotação da equipe de cima. Agora, nas mãos de David Pelosini no elenco principal, o jogador deve evoluir ainda mais.

“Para ser sincero nem eu sei direto o que esperar de mim. Completamente outro time, outro técnico, outro papel. Mas não vou me permitir de ir mal nos jogos, então espero que venha muitas coisas de boas de mim e do Pinheiros nessa temporada”, afirmou o jogador.

Mas se por um lado o Pinheiros terá um elenco muito jovem, algumas peças chegaram ao elenco nesta temporada para conduzir os ‘novatos’. Um deles é o renomado pivô Teichmann, que aos 37 anos retorna para a equipe com a missão de ser uma voz mais experiente dentro de um elenco tão jovem.

Teichmann foi anunciado como reforço do Pinheiros para esta temporada (Rodrigo Jubram/LNB)

Para o pivô, toda esta missão será um grande desafio em sua carreira, que já vai para sua 13ª temporada atuando no NBB, a elite do basquete nacional.

“Será um grande desafio, fazer um time tão jovem jogar em alto nível não é fácil. O Pinheiros tem um excelente trabalho de base que agora será posto à prova, acredito que em pouco tempo esse time esteja jogando um ótimo basquete”, afirmou Teichmann.

O NBB é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB), com chancela da Confederação Brasileira de Basketball (CBB) e em parceria com a NBA e o CBC, e conta com os patrocínios oficiais da Budweiser, Unisal, Nike, Penalty, Plastubos, EY, VivaGol, IMG Arena e Genius Sports.

Leia também:

+ Paulistano: uma força que vem da base

+ Bauru: seriedade para voltar aos holofotes do basquete brasileiro

Tabela de jogos do 1º turno do NBB 2020/2021 está definida

Minas Tênis Clube: uma potência olímpica pronta para decolar no basquete

Sesi Franca: como uma boa gestão pode mover uma tradição de mais de 60 anos

Flamengo: um projeto estruturado para conquistar títulos